Séries:

LOST, Perguntas, Respostas e (Muita) Ignorância

É com muita perplexidade que, ao abrir um dos maiores jornais do país, me deparo com uma matéria completamente absurda sobre a 6ª temporada de LOST (não, não vou colocar o link aqui). É fato que as diversas opiniões sobre a série devem ser respeitadas, mas existe uma cavalar diferença entre opinar e discorrer de forma ignorante sobre um tema. Se os autores da determinada peça não detêm, por exemplo, o vasto conhecimento que os colunistas Carlos Alexandre Monteiro (do Lost In Lost) e a dupla Davi e Juliana (do Dude, We Are Lost!) constantemente demonstram em seus ótimos e especializados blogs, deveriam limitar-se a analisar e discorrer sobre o pouco que sabem ou que pesquisaram às pressas na Wikipédia. De cara, o que mais me espantou na dita matéria foi uma seção de “Perguntas Não Respondidas” pelos roteiristas. Eu entenderia tais questionamentos se os autores estivessem assistindo a série dublada em japonês ou se ainda não passaram da 1ª temporada, mas a três episódios do final publicarem coisas como “o que são os números?“, “os mortos na ilha realmente morreram?” e, a pior, “o que aconteceu depois que Juliet fez a bomba explodir?” não tem a menor lógica.

Grande parte das perguntas já foi respondida ao longo das temporadas e outras não têm sequer cabimento atualmente (“por que os Outros falam latim?” ou “O que está à sombra da estátua?“, que era apenas um código para Illana achar Ricardus). Ainda que tais mentes possam ter uma grave limitação interpretativa, nada justifica a completa ausência de uma pesquisa apurada. Para dar um exemplo mais claro do nível de despreparo, em um parágrafo da matéria os autores questionam por que Sun se lembra de Locke na realidade alternativa enquanto ela está na maca (cena de The Last Recruit). Ora, até o espectador de ocasião pode facilmente deduzir que ela se lembra de Locke DA OUTRA REALIDADE, pois isso vem sistematicamente acontecendo desde que Desmond, ciente de ambas realidades evidenciadas após a explosão de Jughead (ó, uma resposta aí!), começou a interferir na vida dos “perdidos” para forçá-los a lembrar. O que esperar, então, de pessoas que não conseguem interpretar os mais recentes e claros acontecimentos da série? Na busca pela polêmica infundada e alguns pageviews a mais, hoje se publica qualquer porcaria. Irresponsável, ainda, um jormal indicar e instruir seus leitores a baixarem episódios no Pirate Bay, numa imagem que foi anexada pra coroar o imbecil e preguiçoso texto.

Que vergonha e, ainda bem, alheia.

Bruno Carvalho
é crítico e especialista em TV, tradutor, advogado e fã de séries desde que foi fisgado por Friends em 1994 e hoje é o editor-chefe do site de séries mais seguido do Brasil! Contato: [email protected]
http://twitter.com/ligadoemserie

Categorias: LOST

Postado em: 25/04/2010 | 0:01