Dexter: This is the Way the World Ends [Season Finale]

Parte I, por Bruno Carvalho

Sensacional; espetacular; fantástico“: estas foram as reações de vários espectadores sobre o final da 6ª temporada de Dexter, influenciados única e exclusivamente pelo impacto da cena derradeira. Mas a que preço? Cada vez mais que a série se distancia da criação de Jeff Lindsay, o drama perde os elementos que a consagraram no sucesso que é hoje e os novos roteiristas, liderados pelo showrunner Manny Coto (de 24), afundam a qualidade da produção com um texto indulgente e repleto de furos. Começo esta análise indignado pelo interesse romântico de Deb com Dexter – sim, irmãos (não biológicos, mas irmãos) – fato que jamais fora ventilado na série até o episódio anterior. Aliás, o desconhecimento sobre o passado de Dexter Morgan por esses novos escritores é preocupante, visto que em determinado momento desta temporada o protagonista exclama: “Sempre soube que algo poderia acontecer comigo, mas agora tenho que me preocupar com mais do que minha própria vida“, se referindo à potencial ameaça de Travis a seu filho Harrison.

Ora, como assim “agora”? E Rita, Astor, Cody e até mesmo Deb? Simplesmente se esqueceram das ameaças que estes já sofreram nas temporadas anteriores, culminando inclusive no momento mais apoteótico da série – a morte de sua mulher? Os atuais roteiristas demonstram não conhecer bem a própria obra que escrevem em continuidade. Isso sem falar no festival de cenas forçadas deste finale, como o escancarado Deus ex machina com o barco de imigrantes “Milagro” resgatando o herói (recurso narrativo pobre e que geralmente demonstra uma grave falha de preparação dos autores) e ainda o momento inexplicável em que Batista e todo o departamento esperam, do lado de fora, Dexter chegar numa cena de crime: justamente aquela em que o assassino pintou um enorme retrato com o rosto de seu algoz como a “Besta” na parede. Ora, como assim? Desde quando todos esperam Dexter para investigar um homicídio, ainda mais um que nem tem tanto sangue?

Falhas, falhas e mais falhas se acumulam nesta mesma temporada que postergou a “reviravolta” mais antecipada da TV (Gellar morto) e introduziu personagens que não acrescentaram em nada à trama, como o policial transferido Mike, a babá irmã do Batista e o tal “Irmão Sam”. Além disso, a quantidade de pendências deixadas “a resolver” no próximo ano (se lembrarem) foge do padrão das primeiras temporadas, que sempre deixou seus arcos bem fechados para iniciarem outros. Falo do caso do estagiário de Masuka – cuja trama ficou esquecida como a caixa contendo a mão roubada em cima da geladeira no apartamento do protagonista – , assim como desfechos capengas para as histórias de Quinn, Batista, Laguerta e Matthews. Foi neste ano, ainda, que tivemos a maior dose de diálogos expositivos até agora (“Me certifiquei que ‘Slice of Life’ estivesse no vídeo que mandei a Travis; Ele esperará me encontrar no meu barco”, como exemplo), fora as cenas em que os personagens mudam de canal e os noticiários estão justamente dando a notícia apropriada para o momento, o que aconteceu várias vezes ao longo da temporada.

É possível relevar tudo isso em prol da cena final com Debra testemunhando o ritual da morte de Dexter? É? Vamos analisar melhor este momento: após perder Travis no terraço do prédio (aliás, que amontoado de clichês a captura do bandido pelo mocinho, não?), Deb resolve ir para a terapia falar do súbito amor nada fraternal que passou a sentir pelo irmão e, encorajada pela terapeuta, decide contar a verdade a ele. A cena corta e vemos Travis deitado no Kill Room de Morgan na Igreja e, aquele que deveria ser a cena mais intensa e importante de toda a temporada – a morte do terrível DDK -, virou um plano conjunto (como bem apontou o crítico Pablo Villaça), misturando dois momentos cruciais da narrativa e imediatamente interrompendo-os com um abrupto corte para causar o efeito esperado do cliffhanger no público: “esqueçam todos os problemas, agora a Deb sabe, boom!

Não entendi também porque Dexter, sabendo que sua irmã pedira para que ele vasculhasse a igreja de DDK após a apresentação de Harrison, utiliza justamente aquele lugar como seu Kill Room. Transformaram o sempre meticuloso perito sanguíneo num grande e desleixado bocó – o que vai diametralmente contra a natureza do personagem. Se bem aproveitado, algo que a cada ano de Dexter fica mais e mais improvável, este cliffhanger potencialmente pode ser muito positivo para a série. É uma pena, porém, que ele tenha seguido as duas temporadas mais fracas do drama até agora. É preocupante saber que temos mais 2 anos garantidos pela frente nestas condições. Dexter Morgan é uma excelente criação de Jeff Lindsay que está sendo destruída aos poucos por autores que não sabem dar o devido valor a este grandioso personagem e sua história. Sou fã incondicional de Dexter, mas não coaduno, de forma alguma, com o que estão fazendo com a série.

Parte II, por Davi Garcia

Um season finale fraquíssimo com uma cena final impactante. No geral, assim foi “This is the Way the World Ends”, o derradeiro episódio de uma temporada conceitualmente interessante e corajosa (pelo tema central que poderia abordar e cuja promessa nunca se concretizou), mas que que com mais baixos do que altos, perdeu-se, sobretudo na reta final, na medíocridade de roteiros estapafúrdios e direções equivocadas que não só descaracterizaram (ainda mais) aquele que era um dos protagonistas mais complexos que a TV já produziu, bem como reduziu a pó qualquer peso dramático que a trama central da temporada desenvolvera até então.

Amparando-se pesadamente em ‘viradas’ convenientes, previsíveis e, em muitas situações, esdrúxulas – vide o já citado forçadíssimo interesse romântico por Dexter que Debra abraça sem uma lógica interna mais elaborada –  o desfecho da temporada trouxe a prova irrefutável de que os atuais responsáveis pela série não tem a menor ideia (ou seria capacidade?) do que fazer para recolocar a produção no nível de excelência que ela já teve. Com isso, salvo raríssimos momentos de inspiração como, por exemplo, aquele em que vemos o protagonista assumindo sua ‘santíssima’ trindade assassina (“Eu sou um pai, um filho e um serial killer“), o que sobram são muitos momentos constrangedores envolvendo bons personagens perdidos num emaranhado de tramas cujas resoluções trouxeram resultados absolutamente questionáveis ou simplesmente inexistentes (no que deu toda a historinha envolvendo o estagiário do Masuka?).

Sobre a cena final que encerra o episódio – e que de fato é promissora para o futuro da série (mas, por enquanto apenas isso) -, uma breve reflexão se faz premente para os que acreditam que ela representa o ponto de partida da tão esperada retomada de rumos da produção. Ainda que seja lógico, muitos parecem não ter atentado para o fato de que Debra ainda não descobriu que Dexter é um serial killer, visto que, por enquanto, tudo que ela viu e sabe é que o irmão matou alguém. Com isso em mente, resguardar certas expectativas para o que pode acontecer é salutar para quem, assim como eu, ainda se considera fã de Dexter. Afinal, com os roteiristas que a série tem hoje, esperar uma macarronada de quem só sabe fazer miojo é, infelizmente, uma possibilidade bem menos possível.

Tags: , , , , , ,

  • http://amoscabranca.com Marcio Santos

    Só pra complementar, tem o meu obituário do Dexter no meu blog: http://amoscabranca.com/2011/12/20/review-dexter-6×12-this-is-the-way-the-world-ends/

  • João Paulo

    É inacreditável que mesmo tendo uma obra literária a disposição os responsáveis por Dexter optem por esses roteiros sem eira nem beira. Já pode dar a mão pra The Walking Dead, diga-se de passagem.

  • Laís

    Ora, ela foi até a igreja porque ela disse para o Dexter aparecer lá para coletar mais evidências. A problemática, no caso, está no fato dele ter esquecido desse pequeno detalhe. risos.

    E sobre desfigurar a obra do Jeff, descordo e muito. A série sempre se dfierenciou BASTANTE da obra do livro, sendo um fenômeno, porque fica INFINITAMENTE melhor na adaptação. Eu leio os livros e acho simplesmente muito, MUITO abaixo do que vejo na TV. Sem falar que não sou nenhum pouco fã da escrita do cara. A única parte que realmente gosto é a extra-escuridão que ele apresenta. Mas acho muito compreensível, tendo em vista que ele precisa parecer muito mais simpatico aos olhos dos telespectadores.

    No mais, concordo com review em praticamente tudo. O futuro da série é realmente preocupante, ainda apesar de gostar muito e de ter esperanças de duas ótimas temporadas com esse final apresentado, que sim, concordo, não limpa de forma alguma os baixíssimos momentos que a série apresentou esse ano. Não considero ruim, chata, entendiante… pior que tudo isso, foi decepcionante por tudo que prometia apresentar.

    p.s.: Vontade de morrer toda vez que caio na real com essa história da Debra apaixonada. Jogaram no mato uma relação maravilhosa de parceria que eles tinham por um choque e polêmica totalmente desnecessária. Fruto desse desconhecimento dos novos roteiristas. E ainda jogaram no lixo a evolução da personagem da Carpenter junto. Virou uma boba alienada novamente!

  • Lyana

    Primeiro: Adorei as tags =x Huahauahua
    Segundo: O maior erro da temporada, dentre muitos, foi essa paixão da Deb pelo irmão. Completamente desnecessária.
    Terceiro: “Ora, e como Debra Morgan apareceu justamente ali naquele exato momento?” – Fiquei pensando nisso quando acabou tbm, mas lembrei que ela havia pedido para o Dexter voltar à igreja, então, foi fácil de encontra-lo.
    Por fim, concordo com muita coisa do que foi dita, muitas falhas nessa temporada, mas achei o tema abordado mais interessante do que a passada e deixou brechas para próximas histórias (estou muito curiosa em como vão desenrolar a história do Stag do Masuka e o fato de a Deb ter presenciado o irmão matando uma pessoa).
    Acho que um dos grandes problemas que Dexter enfrenta é que, após a impecável 4ª temporada, as expectativas aumentaram e os episódios não correspondem à altura. Mas fico na torcida para que o encerramento da série seja, ao menos, satisfatório e coerente.

  • Renata

    Realmente, concordo com quase tudo que foi dito no post. Só queria dar algumas opiniões. A história do estagiário, ao meu entendimento, é o gancho para a próxima temporada. Aparentemente, ele tem uma fixação por Dexter desde o princípio, resta saber o porquê. A resposta de Dexter quando ele pediu ajuda com o videogame mexeu bastante com ele e pareceu que o fruto dessa revolta/fixação ainda está por se desenrolar. Notaram que Dexter sempre utiliza o sistema desenvolvido pelo estagiário? Assim como o google faz conosco, não é difícil manter um histórico das buscas que o Dexter realizou (assim como o dia/hora). Talvez ele consiga usar isso pra ir desvendando os mistérios que Dexter possui (já que está tão fixado e não conseguiu uma maior aproximação).

    Em relação a Deb aparecer na Igreja… Ela mesma mandou Dexter ir lá depois da apresentação do Harrison. Então, se ela queria falar com Dexter urgente, após sair da terapeuta, ela sabia que o encontraria ali. Isso explica porque ela decidiu isso, mas abre um espaço pra mais furos: Dexter mataria o Travis ali, sabendo que a irmã tinha conhecimento que ele estaria naquele local, naquela hora e, eventualmente, poderia aparecer (ou mandar alguém pra ajuda-lo ou fazer uma “vistoria final” também)? Não seria mais fácil/comum ligar pro Dexter antes de encontrá-lo? :P

  • Gabriel

    Sou grande fã de Dexter e e muitas vezes quando falam mal da série eu fico com ‘raiva e tal’, mas tenho que concordar com o texto de ambos vocês (Bruno e Davi). Não sei explicar, mas se for analisar tecnicamente, Dexter já não é mais a mesma série que um dia foi.

    Obs: Pode não ser de relevância, mas lembram nas primeiras temporadas que o Dexter usava aqueles fios/linhas vermelhas nas manchas de sangue e bonecos pra calcular o impacto e direção do sangue de uma ‘agressão’, por exemplo. E agora, nas últimas temporadas ele vai nas cenas do crime, simplesmente olha e ‘pá-pum’, resolve o crime.

  • Georgea Alexandra (@geo2508)

    Adorei a review em 4 mãos! : )

  • Wilian

    Concordo plenamente com as duas partes.Essa temporada foi muito irregular. Concluíram o plot principal relacionado a religião de uma forma preguiçosa,deram importância a coisas que não deveriam ter tanta importância(Matthews,Ice Truck Killer…) e desenvolveram esse que deve ser a pior storyline da série que é a paixonite da Debra com o Dexter.
    A cena final não deveria ser outra senão aquela. E,sim, a Deb só sabe que o Dexter matou o Travis(e olhe lá se ela sabe que era o Travis) mas ainda não conhece o segredo do irmão.
    Bruno,seu eu não me engano, a Deb tinha combinado com o Dexter deles conversarem na Igreja mais tarde,até porque o Dex iria recolher algumas evidências na Igreja a mando da própria irmã.

    “Ora, como assim “agora”? E Rita, Astor, Cody e até mesmo Deb? Simplesmente se esqueceram das ameaças que estes já sofreram nas temporadas anteriores, culminando inclusive no momento mais apoteótico da série – a morte de sua mulher?”

    Isso é a pura verdade! Já li várias entrevistas em que a Sara e o Scott diziam que o Dexter só amou de verdade a LUMEN. Oi? ELE NÃO AMOU A RITA,SENDO QUE ELE ESTAVA DISPOSTO A DESISTIR DA VIDA DE SERIAL KILLER PRA VIVER COM ELA E SEUS FILHOS?
    Só por aí eu já percebi que eles estavam se perdendo ou negando algumas coisas da série.
    Minha expectativa pro próximo ano é que a série consiga voltar a ser o que era antes, com histórias mais elaboradas, ousadas e criativas.

  • Klaus

    Concordo em todos os aspectos com a review.Não deixando escapar todo o inicio de discução religiosa que foi proposto e desapareceu, em relação a Dexter e o pequeno Harrison.

    Só complementando o motivo de Deb ir a Igreja, durante o episódio, Deb pede a Dexter para fazer um ultimo pente fino no local, ele diz que poderá somente durante a noite, após a apresentação de Harrison.

  • @tconz

    Pergunto: o apartamento do Dexter tem alguma porta de saída pelos fundos que nunca apareceu antes? Porque, quando o Travis entrou lá, Harrison e a babá estavam no quarto e sumiram. Saíram por onde?

  • Anna

    Essa história do amor da Deb pelo Dexter… É totalmente ridícula. Mas por ser tão absurda, talvez a Deb possa ser mais receptiva ao fato de que o irmão é um serial killer. Porque esse amor todo é meio doentio e ela tem que esconder de todos. O Dexter também tem sua “doença” que é o desejo de matar. Pareceu uma forçadazinha(zona? hehe) pra a Deb conseguir pelo menos pensar sem julgar demais. Não deixa de ser forçado e ridículo.

  • Anônimo

    também me perguntei isso! ficou uma cena estranha…

  • tamy

    acho tão difícil ser fã de uma série e reconhecer que ela está uma merda, mas é a verdade.
    se antes eu achei que as reclamações estavam exageradas, pelo menos qto à trama principal (gellar), que eu não sei se pensaria na teoria sozinha se não tivesse visto na internet, e qto ao brother sam, eu gostava das conversas e achei que ia dar em alguma coisa, depois desse último episódio não deu mais.
    forçaram muito a barra com dexter sendo esperado na cena do crime, o erro mais evidente e vergonhoso, será que eles acharam que por ser season finale a gente nem ia reparar? triste, viu.
    eu achava que o dexter e a deb eram irmãos de sangue, achei que o dexter tinha sido escolhido, e não o irmão dele, pq ele era filho do caso dos dois, não sei de qual episódio eu tirei essa ideia, mas de qualquer forma qualquer confusão sentimental amorosa de deb com relação a dexter não pode durar mais do que 1 episodio e esse absurdo ainda vai aparecer na próxima temporada, deu até saudade da lumen =(, e até daquela louca da segunda temporada hahahahaha, OH GOD!

  • Wilian

    Gabriel :
    Obs: Pode não ser de relevância, mas lembram nas primeiras temporadas que o Dexter usava aqueles fios/linhas vermelhas nas manchas de sangue e bonecos pra calcular o impacto e direção do sangue de uma ‘agressão’, por exemplo. E agora, nas últimas temporadas ele vai nas cenas do crime, simplesmente olha e ‘pá-pum’, resolve o crime.

    Realmente! Eu também sinto falto dessas análises mais inspiradas do Dexter.

  • tamy

    pois é, fiquei pensando “cadê eles” e puf!
    qto mais a gente reflete pior fica.

  • Bruno Carvalho

    Já corrigi a parte que falo sobre Deb na igreja. Realmente ela pede que Dexter vá lá.

  • http://www.twitter.com/fernandopiress Fernando Pires

    Pra mim, essa história da Deb desenvolver sentimentos carnais para com o Dexter foi a gota d’água. Os roteiristas parecem desesperados para chocar a audiência, a ponto de utilizar-se de um elemento ‘WTF!’ para isso. Sem contar que, no ritmo que anda, daqui a pouco o Dexter vai virar uma Maria do Bairro, de tão sentimental/molenga que vem se tornando.

  • Bruno Carvalho

    Conforme explicado no início da temporada, Dexter comprou o apartamento ao lado e expandiu o dele para fazer um quarto maior para Harrison. Por isso existe uma outra saída.

  • Bruno Carvalho

    Sim, correto. Editei esta parte do post.

  • Anônimo

    Só faltou aquele PAM! e aparecer LOST na tela hahah

  • tamy

    fico pensando em como eles tiveram essa brilhante ideia, como que isso conseguiu sair do roteiro, pra filmagem, pra edição e sei lá mais o que e ngm parou e falou: QUE MERDA É ESSA, CES TÃO LOUCOS?

  • http://www.twitter.com/fernandopiress Fernando Pires

    Ficou difícil digerir essa situação ‘Deb ♥ Dexter’ e estou contigo quando diz que isso não deve ultrapassar o 1º episódio da próxima temporada. Depois de jogar essa batata quente nas nossas mãos, só nos resta esperar uma eternidade para nos livrar dela.

  • Gabriel

    Opa… bom saber que não é só eu que sente falta das análises mais detalhadas do Dexter. Era tão legal =P

  • Laís

    Pior, C. Hall como ex marido e roteirista deveria ser o primeiro a tentar barrar isso hahaha fala sério!

  • Bruno Carvalho

    C. Hall é produtor, não é roteirista. Ele é consultado pelos roteiristas às vezes (o que é um erro), mas não pode ser considerado um.

  • Guga

    Concordo, especialmente com as falhas. Muito conveniente o Dexter usar uma cena do crime altamente visada pra matar o DDK. Cadê o Dexter cuidadoso? Putz, muita mancada! E como bem o Bruno falou, que merda foi aquela do Dexter entrar na cena do crime? O Dexter sempre foi um coadjuvante muito inteligente nas investigações, nunca um líder.

    Só discordo quando Bruno disse “sou fã incondicional da série”, pois, pra mim, o Bruno teria que aplaudir a série mesmo em momentos ruins, caso fosse fã incondicional. Mas se me disser que é fã incondicional da personagem, ou do universo criado por Jeff Lindsay, aí é mais coerente.

  • Dudu

    Outra coisa, no penúltimo episódio o Dexter prepara o kill room no barco de alguém e depois que Travis pega ele e tal, ele não volta la pra desfazer o kill room. Claro que não precisava mostrar ele desfazendo, mas ele podia falar que desfez né.

  • Josh

    Eu considerei que a temporada começou tão bem e, de repente, DESPENCOU e, o pior!, PREVISÍVELMENTE! Eles tinham em mãos um tema que podia ser tão bem explorado e tão bem elaborada que não sei, exatamente, que raios ocorreu. Esse interesse brusco da Debra pelo irmão é indiscutívelmente escroto. Estou decepcionado. Aquela cena final não limpa a CAGADA espalhada pela temporada inteira. O que faltou, MEU DEUS? Cadê a competência?

  • Luria

    Concordo 100% com o post! Este season finale teve tantos furos… A babá estava toda feliz na escola com os dois de repente ela sumiu, num edifício daquele tamanho não existe câmera de segurança? E o Dex é bem forte para carregar o Harrison + o Travis para o carro sem chamar atenção né? O barco dele afundou e beleza. Fora tantos outros que a galera já postou. Enrolaram duas temporadas para ter o grand finale com a Deb e ainda inventaram essa apaixonite da Deb…. sou super fã de Dexter mas caramba que rumo que a série tomou… =(
    Agora é aguardar o desenrolar Deb e Dex.

  • Mik

    O fato é que Dexter jamais voltará a ser o que foi um dia. Justo o momento mais incrível da série, que foi a morte da Rita, foi também o que fez Dexter despencar irremediavelmente em qualidade. Por alguma razão o imbecil que assumiu a série decidiu recomeçar tudo na quinta temporada, ignorando tudo o que veio antes, e o Dexter deixou de crescer emocionalmente, passou a agir de maneira errônea e desleixada, e os furos e incoerências tomaram conta da história. Depois da quinta temporada ser massacrada pela crítica, me impressiona ainda apostarem no mesmo idiota pra comandar a sexta.

    Mas vá lá, até o décimo episódio Dexter ainda estava passável. Longe de ser ótimo, distante de ser bom, mas estava razoável. Dava pra perder 50 minutinhos da semana vendo uma trama mediana. Mas os dois últimos conseguiram arruinar absolutamente tudo o que veio antes. Não só o Travis mudou de personalidade da noite pro dia, deixando de ser o homem torturado por acreditar que tinha uma missão difícil na Terra pra se transformar num vilão de filme da Disney, mas todas as outras tramas paralelas chegaram a lugar nenhum. Mesmo a própria história da religião foi abandonada sem mais nem menos.

    Debra apaixonada por Dexter então, não só enterra a série como ainda joga concreto em cima. E algo me diz que os produtores vão mesmo fazer o Dexter ficar balançado e se apaixonar pela irmã também, ou então não teriam introduzido essa história. E agora isso enfraqueceu muito aquele que deveria ser o segundo melhor momento da história de Dexter, que é ela descobrir que o irmão é um serial killer. Seria chocante de qualquer forma ela descobrir isso. Se a terapia que ela fez evidenciasse apenas o quanto ela respeitava e admirava o irmão, a revelação seria ainda mais chocante. Porém, adicionarem um conflito amoroso pra tornar tudo maior só traz o efeito contrário.

    Dificilmente vão conseguir fazer mais duas temporadas boas. O Dexter que nós conhecemos acabou na quarta temporada e eu não vejo nada que indique o contrário. É torcer pra que as duas últimas continuem sendo apenas assistíveis, porque ia ser lamentável chegarmos quase no último ano da série desejando abandona-la.

  • Mik

    Outros dois furos que pra mim foram imperdoáveis nessa season finale: a facilidade do Travis em sequestrar o Harrison, sendo que duas mães estavam ali do lado e viram que o Dexter deu só três passos pra porta pra atender um telefonema, e a maneira milagrosa com que o Dexter conseguiu levar o Travis desacordado do topo de um dos prédios mais famosos de Miami até o subsolo sem ninguém ver. Nem uma única câmera de segurança instalada em lugar algum, boa. E ele ainda teve que fazer isso com o Harrison ao lado, hein? Não tinha como ele despachar a criança pra algum lado enquanto o Travis continuaria desacordado lá no topo do prédio sabe Deus quantas horas. E como a Debra aceita tão fácil o fato de estar apaixonada pelo próprio irmão? Tá ruim a coisa, hein.

  • Leandro

    Eu concordo que a temporada foi ruim, que o texto diminuiu muito a qualidade e tudo o mais. Mas o fato deles terem deixado coisas em aberto para a próxima temporada mostra uma evolução. Até agora em Dexter a evolução dos personagens foi pouca: os fatos de uma temporada pouco impactavam a seguinte, e sempre arranjaram meios de “contornar” os problemas. Mesmo a morte da Rita foi contornada, tendo só um episódio realmente impactante (My Bad).
    Eu espero que a série agora se torne algo mais fluido e menos cheio de fórmulas. É sempre o jogo de gato e rato, sempre Dexter matando geral, mas cometendo errinhos aqui e ali que no final são perdoados. Com a descoberta da Deb e essas histórias em aberto, a série pode tomar um rumo mais de série mesmo, e deixar de lado a previsibilidade que tem atingido desde o ano passado.

  • Marcos José

    Concordo com quase tudo o que foi dito nas resenhas. A minha única discordância é a respeito do Bruno ter colocado o irmão Sam com um dos personagens irrelevantes da temporada. Na verdade a presença dele foi uma das poucas coisas que se salvaram nesta temporada, os diálogos com o Dexter foram todos ótimos. A morte do personagem me deixou triste, mas fazendo um retrospecto do que ocorreu nesta temporada acho que foi melhor assim. Com esse nível de desleixo por parte dos rorteiristas da série, é certo que acabariam estragando o personagem com o tempo, assim com estão fazendo com Deb, transformando uma personagem que evoluia extraordinariamente na série numa adolescente apaixonada da noite para o dia.

  • Leandro

    E eu acho meio estranho elogiar tanto a obra do Lindsay sendo que ele enfiou até elementos sobrenaturais na história. Mesmo com a série em péssima forma, eu ainda prefiro isso do que dizer que o Dark Passenger é uma “entidade sobrenatural”.

  • http://www.cotidianoranzinza.blogspot.com Fábio Martins

    Uma temporada triste em todos os sentidos. E Dexter segue os rumos de Lost. Temporadas iniciais brilhantes e decadência nas demais. A série tem tudo para ter um final tão pobre ou até pior que o de Lost.

  • http://@Eryenny Eryenny

    tbm achava que Deb era irmã de sangue do Dexter rsrs
    Não lembro em qual temporada, mas a Deb descobriu que o pai teve casos com as informantes, porque não com a mãe do Dex e por isso ele ter sido o escolhido, sempre pensei assim ^^

  • Alexandra

    Foi exatamente isso que pensei quando vi que ele tinha levado o Travis para ser morto na igreja, achei uma puta burrice já que a Debra tinha pedido que ele fosse lá.

    Quanto à “descoberta”, talvez esteja errada, mas como a Deb e´toda metida a certinha, não sei como reagirá, só consigo pensar que aquilo foi o começo do fim dela na série. E a paixonite foi a coisa mais ridícula de toda a história

  • Beth C.

    Tem uma coisa que me assusta MUITO.
    Não existe a possibilidade de Dexter ser meio-irmão de Deb? O pai dela não tinha um caso com a mãe de Dexter? Será que Dexter não é de fato filho do seu ‘pai adotivo’?
    :S

  • Bruno Fernandes

    Dexter está precisando cair na mesa de alguém… Sinceramente, ano que vem acompanharei Dexter de teimosia.

  • Bruno Fernandes

    O tempo passa e quanto mais filmes, livros e séries eu consumo, quanto mais histórias eu conheço uma coisa fica evidente: não importa o que acontece, mas COMO acontece. Se contentar com “o que” acontece é o que torna Grey’s Anatomy uma “grande série dramática” (para deixar claro, Grey’s Anatomy é uma bosta e parece ter sido escrita pelo limitado e sexista do Manoel Carlos).

    O mérito de Dexter era pegar boas premissas e trabalhar cuidadosamente na execução. Logo, não importava saber quem era fisicamente o assassino, ITK ou Trinity, o grande lance era conhecer de fato estes personagens – por que mata? Como mata? Como convive com seu “dark passenger”?

    Sendo assim, Dexter era o melhor drama porque reconhecia que histórias bem contadas focam-se na forma como elas acontecem e não no resultado. Digo isso apenas para evidenciar meu DESGOSTO com as duas últimas temporadas de Dexter. Dexter virou comum. E daí se Debra descobre a verdade sobre Dexter, a forma como isto foi trabalhada durante toda a temporada foi constrangedor.

  • Para Beth C.

    Sim, é exatamente isso. Eles são meio-irmãos.

    Mas pelo rumo que a série vai, capaz até de fazerem teste de dna outra viver esse amor mexicano.

  • luísa

    Cara exatamente, igual aconteceu com Lie to me… de repente era como se não precisassem mais usar técnicas e análises para resolver o crime em questão, simplesmente a resposta vinha do além e eles sabiam tudo na hora.

  • Rafa Bauer

    Concordo com quem disse que o ‘brother’ Sam foi uma das poucas coisas boas desta temporada. E realmente foi. Os melhores diálogos foram dele com o Dexter, aqueles em que saíam os melhores questionamentos e todo o potencial que foi desperdiçado nesta temporada.
    Além disso, a atuação do Mos Def foi impecável, a melhor participação especial desta temporada, sem sombra de dúvida. Edward James Olmos foi só OK e Colin Hanks foi muito, mas MUITO ruim.

  • Artur

    Davi Garcia, no início da temporada eu estava estranhando suas críticas elogiosas, imcompatíveis com oq eu via. Aquela discussão sobre fé, pra quem já viu e viveu “Lost”, davam vergonha alheia. Em Dexter, a filosofia sempre foi superficial e sempre funcionou como uma “decoração”, um enfeite. Mas no momento q foi centralizada, a série fez cagada.

    Por essas e outras, parei de ver a série e comprei o box da 1, 2, 3 e 4 temp (a 3ª nao faria falta no box), já q a série morreu junto com a rita, dando até pra salvar a premiere da 5ª. E continuei acompanhando suas críticas por aqui, até ver q consegui salvar meu tempo de um personagem desgastado e mutilado pelo roteiro, personagem este q me dá saudades quando resolvo de assistir o box.

    Por fim, fica aqui minha despedida da série e meu diário, e até as reviews de Breaking Bad.

  • Ângelo Costa

    Nunca lí tanta besteira na minha vida (relacionado a Lost)

  • Ângelo Costa

    Eu sempre torci para que Deb finalmente descobrisse quem realmente Dexter era, porém, isto aconteceu de uma forma tão preguiçosa, que restou-me comemorar a situação forever alone. Desde a 2ª temporada, a série dava dicas de que isto aconteceria e eu esperava que a verdade fosse vir a tona após uma intensa narrativa que culmina-se no caso, mas infelizmente, optaram por uma forma mais preguiçosa. Quanto a temporada em sí, eu particularmente gostei, todo simbolismo sendo questionado e apresentado de forma irônica foi louvável, infelizmente, os personagens na trama realmente foram mal aproveitados.

    Em suma, a série em sí caiu bastante é claro, mas resta ainda uma fagulha de esperança no desenrolar da próxima temporada. Espero que eu esteja certo!

  • http://www.twitter.com/viciadoemserie_ Fábio Lins

    Bruno e Davi, vocês disseram muito bem o que foi esse episódio/temporada de Dexter. O roteiro episódio, tal como a série, parece uma peneira de tantos furos. Além dos que disseram, destaco:

    *Travis coloca Harrisson no elevador antes de Dexter aplicar a injeção em seu pescoço. O que impediria Dexter de não aplicar a injeção e partir pra cima de Travis?

    O que fizeram com uma das minhas séries favoritas?

  • Fá Nascimento

    Infelizmente, concordo plenamente com vc!

  • Val

    …”E sobre desfigurar a obra do Jeff, descordo e muito. A série sempre se diferenciou BASTANTE da obra do livro, sendo um fenômeno, porque fica INFINITAMENTE melhor na adaptação. Eu leio os livros e acho simplesmente muito, MUITO abaixo do que vejo na TV. Sem falar que não sou nenhum pouco fã da escrita do cara.”

    –> Concordo em gênero, número e grau.

  • Mariana

    Acredito que um dos momentos mais aguardados de toda a serie sempre foi o momento em que Deb descobriria a verdade sobre Dexter. E o que foi que fizeram com isso? Um cliffhanger mediano para encerrar a temporada. Alias, desde quando Dexter encerra as suas temporadas assim, com um cliffhanger interrompendo uma cena? Isso funciona (e muito bem) em algumas séries, mas não em Dexter! Cade aquele momento filosofico do personagem principal que encerra os eventos da temporada?
    Outra coisa: algo que eu sempre gostei em Dexter é que tudo o que era mostrado ao longo da temporada, tudo, teria uma função e uma explicação quando chegasse o episodio final da tempora. Como um quebra-cabeça que se encaixava com perfeição. Dessa vez foram tantas coisas que não serviram pra nada que é dificil saber o que serviu pra alguma coisa. A chatice do Quinn, a irma do Batista, o stag do Masuka, o envolvimento desses ultimos dois, o detetive novo, a Laguerta…que repercusão tiveram cada uma dessas coisas? Nenhuma! Fora outros elementos como o quadro que retratava Dexter como a besta. Achei que dali poderia sair algo, mas nada. De novo, qual a repercusão daquilo?
    Essa temporada definitivamente não foi digna de Dexter. Espero ansiosa pela setima, torcendo para que a série (que continua sendo a minha preferida) reencontre o seu rumo.

  • marcia

    Nossa, concordo com vc, faz falta a meticulosidade do Dexter nas cenas de crime, agora ele apenas conta com a sorte (lembra quando ele foi no museu e a mulher disse pro Dexter entrar que estavam passando um vídeo que logo em seguida mostra o Trevis…sério???).

    Eu realmente sinto falta das cenas dele com o sangue sintético, testes com bonecos, linhas…bem lembrado!

  • Felipebr

    Li os conentarios e concordo com quase tudo.

    O problema todo começou com o nascimento o Harrison. Podiam ter deixado o Travis matar o Harrison agora para termos um motivo para o Dexter retornar as suas origens.
    A Rita que era mãe de 3 e mataram ela logo na temporada que ela ficou mais gata.
    Agora esse amor da Debra pegou muito mal. Tragam a Lumen de volta entao.

  • Laís

    “E agora isso enfraqueceu muito aquele que deveria ser o segundo melhor momento da história de Dexter, que é ela descobrir que o irmão é um serial killer. Seria chocante de qualquer forma ela descobrir isso. Se a terapia que ela fez evidenciasse apenas o quanto ela respeitava e admirava o irmão, a revelação seria ainda mais chocante. Porém, adicionarem um conflito amoroso pra tornar tudo maior só traz o efeito contrário.”

    EXAAAAAAAAAAATO! Perfeitamente colocado. O que eles querem, exatamente? Li o Scott Buck dizendo que foi um caminho inevitável, que isso está na cabeça deles há anos. Pelo amor de Deus, que mentira. Tudo isso foi extreamente gratuito. A relação deles de dependência por parte da Debra e de extremo carinho e afeto da parte do Dexter, mesmo que isso seja quase impossível pra ele, sempre foi o principal. O que sentimentos de paixão e envolvimente sexual tem a ver com isso? Foi tão “inevitável” e desesperador por parte deles que bastou um comentário da psicóloga, um sonho e um dia de desconforto para Debra cair na razão que o irmão adotivo que ela viveu a vida INTEIRA como IRMÃO é a verdadeira paixão da vida dela? Pára! E isso vai só estragar o que seria o grande momento da descoberta do irmão, só e somente só IRMÃO. Uma pena. Parece que eles querem que ela pense no Brian e lembrar que sentiu o mesmo duas vezes: amor pelo seria killer. E oh, da mesma família. Ainda não consigo engolir isso, fiquei extremamente decepcionada. E vai muito além de desconforto com incesto (sim, são irmãos, de sangue ou não. mais irmãos que muitos de sangue.)

  • marcia

    O que eu mais achei estranho foi que o Travis até o momento em que parecia que o professor Gellar estava “vivo”, agia de uma forma. No momento em que Dexter descobriu a verdade, Travis se transformou.

    Ou seja, Travis não deveria continuar acreditando que o Gellar estava vivo e se comportando como aquele rapaz bom irmão e etc? Foi tudo tão artificial…ele deveria então dividir momentos entre o bom rapaz e o serial Killer…não sei, não foi convincente pra mim.

    Achei muito estranho isso…como uma pessoa com esquisofrenia mudaria tanto o comportamento?

  • marcia

    Aliás, Colin Hanks não me convenceu, muito fraco, foi de longe a participação mais fraca em Dexter. Lembro do Jimmy Smith na 3 temporada como Miguel Prado e pra mim foi o melhor ator convidado (ao lado do inesquecível Jonh Lithgow).

    Bem, eu tb discordo que o Brother Sam não foi um bom personagem, ele sim foi um dos raros acertos da temporada.

    Adorei a review, adoro esse site…estou sentindo falta da última review de Community.

  • Leandro

    Nossa, eu acho muito engraçado: as pessoas reclamam que a temporada tá previsível, mal escrita e etc. E tá mesmo. Aí eles quebram todas as fórmulas da série fazendo um novo cliffhanger e deixando coisas para ser resolvidas na próxima temporada (como todas as outras séries fazem) e reclamam também.
    O que vocês querem? Que o Dexter seja o “Super Serial Killer” pra sempre, sempre matando os big bads, saindo ileso, tendo as pseudo-reflexões dele que sempre levam ao mesmo lugar e as histórias paralelas dos coadjuvante não levando a lugar algum também? Eu não quero ver essa série. Eu quero evolução dos personagens, de uma forma fluida, verossímil. Dexter precisa MUITO aprender com Breaking Bad, e talvez seja isso que vão fazer na próxima temporada.

    De resto: o Brother Sam e a psicóloga da Deb foram as melhores coisas da temporada. A psicóloga deu uma escorregadona no final com aquela conclusão ridícula, mas as cenas da terapia foram algumas das melhores.

  • http://santobacon.wordpress.com André Catapan

    Dexter acabou de entrar na liga das séries que já deveriam ter acabado. Eu estava adorando essa temporada, mas não sei o que houve, foi só descobrir que o Gellar estava morto que perdeu a graça.
    Esse último episódio foi cheio de furos que eu cheguei a ficar com raiva.
    E acho que a descoberta da Debra não vai dar em nada, ou então vai dar em quase nada e o Dex vai acabar se salvando. Só sei que só volto pra série depois de conferir as primeiras impressões daqui do site, por enquanto eu abandonei Dexter. Uma pena.

  • Didi

    Ah Dexter…. que saudades do “tonight is the night….”
    Agora Deb, apaixonada, se alia a Dexter, que terá que matá-la no final. Mas será que mata? E… homeland 10 a zero nas series atuais, mas não é nenhum épico. Apenas competente o que já é mais que Dexter fez.

  • Didi

    Ah… eu não vou abandonar Dexter.. ainda… mesmo pq não tem muito pra onde ir, tem?

  • Gabi

    Alguém me corrija se eu estiver errada, mas eu achei muito estranho o Travis ter matado o Gellar, eu entendi que ele via o Gellar do mesmo modo que o Dexter ver o Harry, mas aquilo pra mim pareceu mais algo de dupla personalidade, tipo “A Janela Secreta”, alguem também achou isso?

    Concordo com que disseram, eles tinha uma ótima trama e não souberam aproveitar.

    Agora, sobre a Deb, sempre imaginei que mais cedo ou mais tarde ela descobriria, mas achei que tinha modos muito mais interessantes e orginais, não ela achar o Dexter justo onde ela tinha mandado ele coletar evidencias.
    E acho que não vai muito longe essa história da Deb e Dexter in love, não vejo por onde dar certo….

    Agora é esperar a sétima temporada e esperar que ela seja tão boa quanto as quatro primeiras

  • Orlando

    Vejo que agora a modinha e criticar Dexter!!!!!!!!!!!!!!!!
    A audiencia esta otima ainda e mostra que brasileiro so sabe criticar as coisas mesmo
    Nao ta no nivel da 4ª e isso e normal!
    Do nivel da 4ª so foi a 2ª
    Dexter ta uma serie muito boa!

  • Orlando

    A MODA DO MOMENTO…..DEXTER ESTA UMA BOSTA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Isso nao me suspreende!!!
    Tudo aqui e assim….
    Dexter nao e uma serie conhecida como Lost e por isso vem sofrendo essas critica ridiculas!!!!!
    Lost foi uma das series mais aclamadas….Isso pq era misteriosa e no final nao passou de uma bosta!!!!!!!!Ficamos anos assistindo uma serie que nos mostrou ser perda de tempo diante daquele final que nao explicou NADA!
    Quanto a Dexter….A serie mantem um nivel bom!
    A pior temporada de Dexter ainda se mantem a 3ª!
    Em minha opiniao a melhor e a 2ª seguido da 4ª!
    O restante mantem praticamente o mesmo nivel!
    PELO AMOR DE DEUS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    DEBRA NAO E IRMA DE DEXTER BOSTA NENHUMA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    O PAI DO DEXTER MORREU E ATE DEIXOU UMA CASA PRA ELE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    VCS NAO ESTAO VENDO A SERIE NAO???????????????????
    CADA BESTA QUE APARECE AQUI!!!!!!!!!!

  • Rodrigo

    Está indefensável mesmo. Lembro que com Lost pelo menos você tinha contra-argumentos sólidos. Mas agora, até o mais fanático não tem como defendê-la. Há a possibilidade de voltar a equipe da primeira temporada, especialmente os roteiristas?

  • Bruno Carvalho

    Leia os críticos internacionais e verá que é uníssono. Não é exclusividade do “Brasil” criticar Dexter.

  • Flávia

    Realmente achei forçada a ideia de que Debra está apaixonada pelo Dexter, mas não muito pela paixão, mas pelo tempo que esse sentimento “aflorou”. Pensem, a série não é um clichê – o personagem principal e herói da série é um serial killer, né – e TALVEZ um romance entre Dexter e Debra não fosse totalmente deslocado se fosse introduzido no roteiro em doses homeopáticas. Enfim, é minha opinião, né. rs
    Mas concordo mesmo que a temporada foi muito fraca. O Dexter passou de meticuloso a babaca e descuidado de uma hora pra outra, e isso é inadmissível. Realmente pensei, com o começo da temporada, que ela seria boa; gostei bastante do enfoque religioso que deram à série, mas essa temática acabou se perdendo completamente. Fico triste porque é minha série favorita, e, como outros já disseram, é difícil admitir que a série está decaindo demais.
    Muito boa a resenha de vocês. :D

  • Renata

    Quando eu vi a parte em que Debra se descobre apaixonada pelo irmão pensei “é, é o assim que o mundo acaba” ou o seriado, no caso, tipo parece que eles estão aprendendo a escrever roteiros com os escritores de novela das 8! Um monte de conveniencias no roteiro que não deu pra engolir, realmente foi pra rir esse final.
    Pra mim Dexter se foi junto com o ‘Slice of Life’

  • http://aberturalateral.blogspot.com/2012/01/dexter-percepcao-sobre-6-temporada.html Fernando Borges

    Eu até gostei dessa 6° temporada, mas isso só foi possível pois eu estava sem expectativa nenhuma e, portanto, não tinha como me decepcionar.

    Mas por mais que eu tenha tentado relevar os inúmeros furos, foi difícil aceitar tanta incoerência e tantos clichês. Espero que eles consigam aumentar o nível na próxima temporada.

  • Yasmin

    É triste ver o caminho que a série está tomando por causa dos escritores nada capacitados! Eu amo Dexter, assim como sei que muitos adoram também e eles estão fazendo uma das melhores séries já produzidas acabar aos poucos. Espero realmente que melhore mas do jeito que está acho bem difícil.. É uma pena. Ainda bem que tenho os livros para me refugiar.

  • Viviane

    Olha sinceramente…
    Sempre achei que a Deb era apaixonada por ele…
    e creio que ele tbm… Tem algo entre eles, meio que sem definição… Afinal ele não se importa muito com nada… Mas com ela sempre foi prioridade… Matou seu irmão biológico e não ela…
    Acho que esse sim pode ser a cura para todos os defeitos dessas temporadas… As pontas tem que serem fechadas…
    E o Dexter não pode ser o único a não ser descoberto por ninguém…

  • http://www.novelafinaestampa.net Corina

    keep up buddy, you people are doing a great job.http://www.novelafinaestampa.net

  • Paulo

    E tome imagens do deus illuminati Bafhomet nos supostos crimes biblicos como se já não bastasse o que fizeram com o “um olho” na temporada anterior.E nem comento a estupidez que fizeram com a Deb.

  • Paulo

    Olha sinceramente…
    Sempre achei que a Deb era apaixonada por ele…
    e creio que ele tbm… Tem algo entre eles, meio que sem definição… Afinal ele não se importa muito com nada… Mas com ela sempre foi prioridade… Matou seu irmão biológico e não ela…
    Acho que esse sim pode ser a cura para todos os defeitos dessas temporadas… As pontas tem que serem fechadas…
    E o Dexter não pode ser o único a não ser descoberto por ninguém

    Voce gosta de novelinha da Globo.Ele salvou a irma de um psicopata que tinha o sangue dele, mas não foi criado com ele e merecia morrer independente disso pelo proprio código do personagem.Onde isso prova amor sexual?

  • Paulo

    Está indefensável mesmo. Lembro que com Lost pelo menos você tinha contra-argumentos sólidos. Mas agora, até o mais fanático não tem como defendê-la. Há a possibilidade de voltar a equipe da primeira temporada, especialmente os roteiristas?

    Com certeza.Como alguem pode argumentar contra fãs que assistem um seriado onde se muda uma ilha de lugar com uma roda de carroça?Isso é muito além de qualquer argumento.

  • Paulo

    PELO AMOR DE DEUS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    DEBRA NAO E IRMA DE DEXTER BOSTA NENHUMA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    O PAI DO DEXTER MORREU E ATE DEIXOU UMA CASA PRA ELE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    VCS NAO ESTAO VENDO A SERIE NAO??????????????????? CADA BESTA QUE APARECE AQUI!!!!!!!!!!

    Você é um exemplo.A terceira é maravilhosa perto do lixo que foi a ultima.

  • Paulo

    Eu espero que a série agora se torne algo mais fluido e menos cheio de fórmulas. É sempre o jogo de gato e rato, sempre Dexter matando geral, mas cometendo errinhos aqui e ali que no final são perdoados. Com a descoberta da Deb e essas histórias em aberto, a série pode tomar um rumo mais de série mesmo, e deixar de lado a previsibilidade que tem atingido desde o ano passado
    Certo, agora virou uma novelinha das 8 com personagens de série, ou seja, Lost.Ele vão evoluir muito, vão mudar de cinco em cinco minutos.

  • cleber07

    Não sabia dessa troca de roteiristas do Dexter.
    Gostei das resenhas! Parabéns ao site, descobri pelo twitter do Davi do saudoso “Dude, we are Lost!”

  • Daniel Bezerra

    Pelo amor de Deus, o que eu faço?????? Comecei a assiste a 6 temporada e lendo esses comentários está me dando vontade de desiste completamente da serie. Dexter é meio irmão de Debra isso foi relatado todo aquele tempo de episodios com Dexter tentando pegar documetos de Harry sobre a mãe de Dexter foram jogado no ventilador. Vou correr para os livros de Jeef e esquecer o seriado. Vou assiste Breaking bad essa sim esta sendo um seriado maravilhoso ate então.

  • Daniel Bezerra

    Quem não assistiu a serie foi você. Me lembro muito bem do episodio em que Dexter procura e pega um documento de Harry que comprovava que ele teve um caso com a mãe de Dexter que era informante particular dele. Eles são irmãos de parte de pai, sinão foi essa a intenção desse episodio ele é inútil.

  • Jhonny Moreira

    “Transformaram o sempre meticuloso perito sanguíneo num grande e desleixado bocó…”

    Exatamente isso que me veio em mente ao assistir o episódio. O motivo de eu ter gostado dessa coisa da Deb ter descoberto essa morte por parte do irmão, é imaginar o que Dexter fará, e qual mentira será jogada para se safar de tal, ainda assim, ele tendo motivos um tanto quanto óbvios pra ter feito isso.

  • Silas Mendes

    Concordo em tudo! tinha tudo pra ser uma temporada brilhante, mas foi um fiasco… cheia de furos…

  • Gabriel

    Tem também o site que o assistente do Masuka falou pro Dexter acessar, dizendo que é melhor que o Google, acho que qunado o Dexter pesquisa alguma coisa o cara fica sabendo

  • http://twitter.com/rapha_schiller Rafael Schiller

    Foi uma temporada cheia de erros, qualquer um percebe que certos pontos na história ficaram absurdamente ruins, relaxados mesmo. Tinha tudo pra ser a melhor temporada? Não sei, talvez, mas já sabíamos o quanto esses roteiristas “abobalharam” o Dexter na 5ª Temporada! Eu espero que eles tentem fechar as histórias (péssimas) que eles deixaram em aberto nessa temporada, e com urgência, porque não vou aguentar ver o lado apaixonado de Deb ficar cada vez mais intenso pelo seu próprio irmão!

  • Daniel Bezerra

    Po Leandro, isso é melhor do que mostrar um Dexter manezão e que senti emoção, como tem feito o seriado. Pelo menos Jeff tem sido fiel a sua historia, pois Jeff sempre deixou claro que o dark passenger era uma pessoa ( ou coisa). Veja nas cenas em que Dexter faz o ritual dele ele chama ele de “Nós” e principalmente quando Dexter relata que ele não estava mais no comando e sim o passageiro das trevas. Eu prefiro o livro que a Serie.

  • Daniel Bezerra

    , o grande lance era conhecer de fato estes personagens – por que mata? Como mata? Como convive com seu “dark passenger”?
    Você esta precisando lê os livros de Jeff Lindsay, Esta tudo lá explicado além de você realmente sentir que está na cabeça do Dexter. Pois a narração do livro é em primeira pessoa.

  • wander

    Realmente a cena da equipe esperando o Dexter pra investigar o duplo homicídio foi gritante. Já as pontas soltas, como o cara que mandou a prótese pro apartamento de Dex acho até interessante que fique em aberto.