The Good Wife

FacebookTwitterPinterestLinkedInGoogle+Tumblr

Por Bruno Carvalho

[contém spoilers] The Good Wife certamente está em seu melhor momento até agora. Conforme eu disse no post das 10 Melhores Séries de 2011, o drama é capaz de desenvolver diversas e intrigantes tramas em cada episódio de forma magnífica e coesa, abordando temas como guerra, religião, corrupção, lobby de empresas, bastidores da política e sórdidos casos. Além disso, apesar de essencialmente ser uma série de  “caso da semana”, estes sempre estão ligados, de uma forma ou de outra, à história principal guiada por Alicia Florrick. Nos últimos episódios vimos a situação das apostas de Will no jogo de basquete crescer, até chegar no ápice no último e excelente episódio Another Ham Sandwich com o júri comandado por Wendy Scott Carr a mando de Peter por ciúmes. Os depoimentos de várias figuras do Lockhart/Gardner foram um espetáculo à parte, notadamente aquele protagonizado pelo escuso causídico David Lee, sob o comando da esquisita, mas sempre brilhante Elsbeth Tascioni (interpretada com um vigor único pela atriz Carrie Preston). Foi como testemunhar uma suja batalha de xadrez em que a promotoria de Illinois acabou perdendo. É notável, ainda, um roteiro que permite seus personagens colocarem todas as cartas na mesa, como no intenso diálogo entre Peter e sua ex-mulher, onde ele admite que tudo aquilo é uma retaliação pessoal a Will. Mas a guerra não foi vencida. The Good Wife sabe muito bem construir uma grande história, plantando pistas lá atrás e que serão muito bem utilizadas no futuro.

Em paralelo, o sempre astuto Eli Gold conduziu com maestria a aquisição de mais uma conta e espero que ele esteja mais envolvido nos assuntos do escritórios que em campanhas políticas daqui pra frente. A estranha sensação de quietude sentida por Alicia ao final do Grand Juri (aliás, curioso este procedimento de indiciamento da justiça de Illinois, que não permite o contraditório e a ampla defesa do acusado) é tão efêmera quanto frágil. E graças a sempre útil Kalinda, as coisas podem ficar muito complicadas para a “boa esposa”, com o inevitável retorno do caso do documento forjado no processo de alienação afetiva apresentado mais cedo nesta temporada e à óbvia perseguição que Wendy iniciará depois que fora (merecidamente) humilhada pelo seu chefe e ex-oponente. Destaco, ainda, o personagem de Cary Agos como um dos mais complexos e interessantes nesta incrível sequência de episódios. Dinâmico, ambíguo e sempre imprevisível, Cary pode ser um elemento chave para o destino de Alicia, pois enquanto é implacável como promotor de justiça, ele também é fiel e justo. Não há nenhuma série na TV aberta americana com a densidade dramática de The Good Wife, que já é uma das melhores séries jurídicas da TV.

Tags: , , , , , ,

  • Cadu

    Concordo. A cena em que a Alicia sai no meio do depoimento foi muito boa!

  • Matheus

    Impossível discordar! The Good Wife é item obrigatório na lista de todo fã de séries, até mesmo aqueles que torcem o nariz para séries jurídicas ou que não aguentam mais ver procedurals (como é o meu caso, comecei a ver TGW depois de muita relutância mas depois não me arrependi nem por um segundo). Casos incríveis, ousadia, ausência de embromation na hora de resolver os arcos principais e, especialmente, personagens e atores ótimos, tanto no elenco recorrente quanto nas maravilhosas e inúmeras participações especiais ao longo das temporadas são fatores que me levam a dizer sem medo que The Good Wife é uma das melhores séries no ar, especialmente se levarmos em conta apenas a TV aberta, cada vez mais carente de dramas de qualidade.

  • Thais Afonso

    Concordo plenamente com suas palavras, Bruno.

  • Carol Graziano

    Esse episódio 14 foi de uma inteligência de roteiro impressionante! As personagens se movem muito bem dentro das histórias na série, todos têm personalidades muito marcantes e são frequentemente ambíguos, o que mantém uma certa imprevisibilidade que deixa o espectador interessado. Essa ambiguidade esteve presente nesse episódio também, em especial com a Kalinda, que é uma incógnita até o fim, quando descobrimos qual a sua estratégia e para que lado ela resolveu ceder. A conversa entre Alicia e Peter foi outro momento inspirado: uma cena crível, que revela quanta coisa ficou contida e não dita entre eles desde a separação. É uma pena que vocês não façam resenhas semanais da série, porque é uma que com certeza merece!

  • Fernanda

    Olá, meu nome é Fernanda e acompanho a série pela Universal. Alguém sabe me dizer quando a mesma irá estrear aqui no Brasil?

  • Jéssica

    Adoro The Good Wife, é incrível como eles conseguem criar tramas tão interessantes e tão entrelaçadas, chegando ao ponto de continuarem em outras temporadas histórias já esquecidas.

  • Matheus

    Acho que nem a Universal sabe isso, vivem perguntando isso no twitter oficial deles e eles só se limitam a responder “A data de estreia da 3ª temp está sendo definida.”. O jeito é ter paciência, o que é geralmente é necessário pra qualquer um que acompanha séries pela TV a cabo (infelizmente)…

  • Claudia

    A série é interessante, criativa, com excelente elenco, supera a cada episódio, mas discordo que seja densa. Sou fã da série desde a primeira temporada, e por mais que tentem explorar os dramas e mimimi da Alicia, os casos sempre se sobressaem ao plot principal. Não acho que isso desmereça a série, pq concordo com a crítica de que é um dos melhores dramas atuais, só que não vejo a tal densidade.

  • http://www.twitter.com/RodolfoCV Rodolfo

    The Good Wife é a melhor série de tv em exibição nos EUA atualmente.

    Óbvio que Breaking Bad, Homeland e Mad Men são tão boas quanto, mas nenhuma outra consegue ser tão inteligente, refinada, com um elenco tão afinado e com 0% de episódios ruins quanto The Good Wife.

  • Fernanda

    Obrigada pela resposta Matheus! Então eu não estou louca: não estreeou ainda…

  • Francisco

    Só uma informação: o sistema do “Grand Jury” para indiciamento de acusados não se restringe ao estado de Illinois. Há outros estados que o adotam. Esse site da American Bar Association explica direito o que é e como funciona o Grand Jury: http://www.abanow.org/2010/03/faqs-about-the-grand-jury-system/

  • Dream

    O último episódio foi espetacular. Indescritível. É incrível como o nível dessa série só aumenta.

    Tanto a cena da saída da Alicia, quando a revelação de que Kalinda não estava traindo Will foram maravilhosas.

    No mais, espero que a Elsbeth apareça com mais frequência, pois mostrou-se uma personagem fascinante.

  • Glícia de Souza

    Acabei de assistir “Another Ham Sandwich” e só posso dizer uma coisa: perfeito! Ágil, intrigante, inteligente, sarcástico e engraçado; foi um pot-pourri de todos os melhores elementos da série usados de uma só vez e com maestria. Conseguiu aproveitar muito bem todos os principais personagens, ao invés de destacar apenas o Will, como seria previsível.
    Não posso dizer que TGW seja a melhor série de tv da atualidade, mas com certeza está no meu top 3 de favoritas.

  • Rafael Resende

    Posts como esse me lembram que preciso colocar a série em dia urgentemente! Parei na metade da 2ª temporada quando viajei e perdi as exibições do Universal (pois é, eu assistia com a minha namorada pela tv a cabo), mas tenho a série como uma das melhores da atualidade.

  • Claudia

    Nossa, eu sempre fico confusa com algumas coisas sobre o direito americano, preciso de um advogado pra tirar as dúvidas haha.