Fringe: Letters of Transit

Por Davi Garcia

[com spoilers do episódio 4x19] No ano 2036 de Fringe, não existem skates que flutuam ou mesmo carros que voam como nos filmes De Volta Para o Futuro, mas existe um regime totalitário comandado pelos observadores que aparentemente se cansaram do livre arbítrio mal usado pelo humanos (e de suas escolhas) num futuro ainda mais distante e, como remédio, voltaram no tempo para tomar o controle de tudo e estabelecer um mundo onde a liberdade de ir e vir (referência que o título do episódio, “Letters of Transit”, já faz inclusive) é um conceito que não existe mais e a prática comum é a opressão em sua forma mais radical. Em suma, um mundo absolutamente diferente e desconectado daquele(s) que a série e a temporada em si vinha nos mostrando, mas que sem dúvida nos deu um vislumbre interessante sobre o espaço que a narrativa de Fringe ainda tem para se expandir sem perder a capacidade de nos contar histórias que nos intriguem e divirtam.

Apresentando um panorama curioso sobre o futuro – que não deve ter ligação com aquele mostrado na 3ª temporada, visto que a atual temporada lida com uma linha do tempo reescrita – redescobrimos uma sucateada divisão Fringe ainda comandada por Broyles, mas que agora responde ao poder dos observadores controladores atuando como uma espécie de força policial de apoio. É nesse contexto que conhecemos os agentes Simon Foster (Henry Ian Cusick, o eterno Desmond de LOST em boa participação especial) e, surpresa!, Henrietta (a filha que Peter deveria ter com a Olivia ‘certa’ conforme indicara September no episódio “The End of All Things”), dois personagens que ali desempenham papéis fundamentais na força de resistência rebelde que ganha novo fôlego com o reforço de um confuso Walter (então preso no âmbar por duas décadas) e, posteriormente, de Astrid e do próprio Peter.

Assim, ainda que não dê para dizer que relação exatamente este episódio evento pode ter com a mitologia explorada pelo 4º ano da série até aqui (ou mesmo da série toda), gostei demais do aperitivo que nos foi dado em mais um belo capítulo que, mesmo isolado do escopo geral, conseguiu não só criar uma ambientação envolvente para um cenário novo dentro da história de Fringe, mas sobretudo introduzir dois bons personagens que, espero eu, ainda possamos revisitar numa por enquanto incerta 5ª temporada.

Outras observações:

- “Esses não são os droids que você procura.” Walter, na cena em que deixa claro ser fã de Star Wars. Tem como não amar este personagem?

- Que bela surpresa essa Georgina Haig que fez Henrietta, hein? Excelente a forma como ela refletiu os maneirismos de Olivia sem necessariamente imitá-los, o que certamente trouxe ainda mais peso para a cena que ela dividiu com Peter no finalzinho do episódio.

- Que universo é aquele que o episódio nos mostrou? O ‘nosso’ ou uma fusão dos dois? Se tivesse que escolher apostaria na primeira, mas se a resposta for essa, o que aconteceu com o outro lado? Destruído ou a ponte que os unia se perdeu?

- E que tal a aparição de William Bell preso no âmbar e a acusação (por parte de Walter) de que ele fizera alguma coisa grave com Olivia? Seria ele o responsável por cumprir a profecia do tal sacríficio de Olivia que September já destacara?  Aliás, se Bell estava vivo no passado, seria exagero imaginá-lo como sendo o cara por trás das iniciativas de Robert Jones, talvez? Enfim, os comentários são de vocês!

Tags: , , , , , ,

  • Daniel

    Acho que fui o único a pensar na estátua de Lost quando Simon disse que seria o “dedo do pé numa sepultura”. :)

  • Leonardo

    Fiquei um tanto decepcionado com o final do episódio, visto que não teve solução para esse arco da história. Será esse o futuro nessa nova timeline?

    O que houve com Olivia? Como disse September, de qualquer maneira, ela teria que morrer.

    E o outro universo? Enfim, muitas perguntas, nenhuma solução.

    E, mesmo assim, o episódio conseguiu ser muito bom, ainda mais com a excepcional Henrietta. Se tiver uma continuação desse episódio na próxima temporada, esquecerei minha decepção.

  • Oliver

    Pra mim, um dos melhores episódios de toda a série! Mostra claramente a capacidade dos excelentes roteiristas de quebrar toda a linearidade dos eventos e serem capazes de, no alto de um 4º ano, introduzirem novos personagens que realmente adicionam a uma já complexa mitologia própria. Como já citado em outras análises de episódios e por qualquer um que tenha qualquer senso de qualidade, John Noble é brilhante! E ficaria até menos triste se (como em um sonho distante) seu personagem ganhasse um spin-off. The Walter’s Diaries, quem sabe?

  • Ronildo

    Não consigo entender como os americanos não assistem a obra prima que é fringe. Como pode ser cancelado? Excepcinal episodio, espero que esse gap tenha continuação.

  • zé das couves

    Profetizei!!! Não é que o Nimoy apareceu mesmo?!?

    Caraca, que episódio!!!

    Final arrepiante!!!

    Fringe ARREBENTA!!!

    Tinha que 100 pontos percentuais de audiência nos EUA. Como é que esse povo não vê essa obra prima?

  • Paulo Henrique Dias

    Abertura com tom azulado… leva a crer que o universo mostrado é o “A”…

  • Candice

    Não tem como ignorar o fato de que Fringe é simplesmente uma das melhores séries de ficção científica de todos os tempos. Como me sinto felizarda em poder acompanhar essa obra-prima ao vivo. Não tem nem como escrever um comentário digno sobre todo o potencial que este episódio tem para abrir o arco narrativo da série. Sinceramente, como pode alguém inteligente não gostar dessa série? (sim, é uma perguntinha meramente retórica hehe)

  • Fábio Martins

    Adorei o episódio, a referência de Star Wars e o modo como os produtores roteiristas arriscam a série e evitam ficar na mesmice. Fringe é brilhante. Uma pena que a audiència da série é baixa. Não condiz com a sua qualidade… Eu matei que ela era filha de Peter e Olívia logo de cara hehehehe. talvez a maneira que ela ilude os Osbervadores-Controladores seja por causa da genética da mãe submetida aos testes de Walter e William… sei lá…

    Mas adorei o episódio e amo cada vez mais Fringe.

  • LEANDRO DE SOUZA RAMOS

    Confesso que fiquei na dúvida se gostei ou não do episódio. Mas tive a certeza de que a série deveria prosseguir por muitos anos ainda. Quem sabe não era isso que queriam mostrar?

    #Etta se mostrou bastante filha de Olivia. Acho que não fez muito sentido do pessoal próximo a ela não a chamarem de Agente Dunham. Esse tipo de mistério não cabe mais na série. Deveriam ser mais honestos de cara.

    #Broyles e Nina envelheceram bem hein? :D Outro ponto do futuro é que quando a coisa complica no roteiro, basta uma pílula de café ou uma injeção de cérebro velho com molho de mostarda na nuca. Mas vale a simplicidade.

    #Outro ponto interessante de toda mitologia Fringe é que não existem presidentes. Basta um Secretário de Defesa aqui e um chefão do FBI ali que nunca aparece. E agora um chefão observador.

    #Com relação a qual mundo se refere, acho que o âmbar deixa claro que é uma fusão mesmo dos dois mundos.

    #Achei meio furado o fato de Walter caminhar livremente pela cidade, visto que ele era considerado uma lenda. Digo isso porque detectaram facilmente a invasão na Massive Dynamic, mas deixaram que Walter até entrasse na área restrita da cidade. Outro detalhe foi a turbinada que ele teve após a injeção. Como ele não pensou nisso em sua timeline?

    #Repararam a bala que Etta carrega no pescoço? Será a bala que matou sua mãe?

    #Desmond caiu como uma luva nessa fase da mitologia. Nada mais conveniente do que o cara mais importante da mitologia Lost aparecer na série que fala sobre o tempo/espaço.

    Enfim, acho que no geral gostei muito do que vi. Infelizmente é um tempo diferente/distante de toda 4ª temporada mostrou até agora. Como ficou em aberto, creio que ainda veremos muito sobre esse tempo.

    #SaveFringe #FightTheFuture

  • Dimitri

    Americano é raça burra mesmo! que massa esse episódio!q série inteligente! se fosse mais um lixo americanaloide já teria umas 3 temporadas a mais garantidas!

  • Mik

    Mas eles não vão mais retornar a esse futuro nessa temporada? Eu achando que no episódio que vem voltaríamos exatamente da onde paramos, e quem sabe ficaríamos sabendo da ligação desse episódio com o restante da quarta temporada. Eu não vejo promos nem leio spoilers, por isso tô por fora.

    De qualquer maneira, achei um episódio sensacional, um dos melhores da série na minha opinião. Foi um episódio que me fez lembrar que eu ainda adoro Fringe e me deixou apreensivo pelo final dela poder estar próximo. Achei genial a ideia de se preservar usando o âmbar; sempre tínhamos visto isso como um mecanismo de defesa do universo, mas realmente faz todo sentido usa-la para se preservar. Também achei muito interessante a maneira com que os Observadores foram colocados como os grandes vilões. Nos acostumamos com o fato d’eles viajarem no tempo e modificarem acontecimentos como algo normal, mas não me lembro de alguém um dia ter se perguntado o que aconteceria caso eles se voltassem contra os humanos, o poder que eles teriam em mãos pra nos arrasar. E digo que gostei mais nesse episódio dos Observadores como ‘vilões’ do que do Jones como vilão da temporada toda. Mas, ok, é uma comparação meio injusta já que nem sabemos ainda as motivações do Jones e nem o que de fato ele está armando.

    E o episódio ainda deixou muitas dúvidas: onde está Olivia e o que Bell fez pra ela? Falando nele, por onde ele andava na realidade reescrita? Ele não tinha morrido também? Como foi parar no âmbar?

    Confesso que esse futuro me lembrou um pouco Dollhouse, que apesar de ter tido uma series finale oficial (meio apressada, mas vá lá), teve dois episódios especiais que se passavam no futuro e que ajudaram muito a contar o final da série. Mas ainda torço pra que Fringe ganhe uma quinta temporada e possa amarrar esse monte de universos, linhas temporais e vilões numa história só.

  • Juan

    A Maquina mostrou o futuro possível pro Walter, mas isso não foi um vislumbre de um personagem sobre o futuro. Foi um episódio mostrando onde a história irá chegar. Ou ao menos querem que a dúvida paire no ar.
    Achei fantástico e uma pitada de Asimov bem boa ali, principalmente ao pensar pelo lado Observadores tomam o controle, deixam sua tecnologia ao ser derrotado, humanos evoluem, se tornam observadores e o ciclo se repete. Ou não, vai lá saber.

    O que me deixou pé atrás com esse episódio foi a quebra abrupta com o raciocínio da temporada. Jones mal revelou suas intenções e já introduzem o vilão/arco final? Achei um salto muito grande. E pelo jeito, as coisas vão ficar ainda mais apressadas. Outra é que, com esse episódio, sem antes mesmo de qualquer coisa, já sabemos que os Observadores vão aprontar. Acho que, no susto, ver um causando o caos e então introduzir esse episódio seria mais interessante. Seria mais assustador do que essa quebra estranha.

    Fringe vai ter a 5ª, mas já foi confirmada como última, então puxa o cinto que a coisa vai voar bem rápido a partir daqui, principalmente se ganhar mesmo só 13 episódios como dizem. Essa pressa me assusta, não tratar com cuidado e paciência os detalhes pode ser perigoso. =

  • Raphaella

    O Walter caminhar pelas ruas e ninguém reconhecê-lo, ainda mais os observadores, foi bem falho!

    Uma coisa que achei curiosa foi o fato do Simon entregar um pedaço de papel como comprovante pra entrar na cidade. Esse pode ser um indício de que o mundo alternativo não sobreviveu (pois lá eles não usam papéis), sei lá.

    Achei brilhante o aparecimento da Etta (tanto em atuação e trejeitos puxados da mãe). E não achei estranho ela não sei conhecida pelo sobrenome da mãe, pois até mesmo seu amigo Simon não sabe quem é ela. Logo, facilmente ninguém mais saberia. Até porque ela possui a habilidade de “enganar” o pensamento.

    Não sei se to com sono ou viajando, mas pelo o que entendi, a Etta disse que viu os pais pela última vez quando tinha 4 anos. A confusão toda aconteceu em 2015. A season finale de 2012 ta chegando e a Olívia nem ta grávida..to fazendo as contas erradas?

    Reparei na bala no pescoço da Etta sim..acho justamente que tem a ver com o Bell e a morte necessária da Olívia..mal posso esperar por esse episódio..vai ser daqueles de ficar sem ar (se acontecer ne eiuhia)

    Eu amei o episódio..to maluca até agora…fringe é foda demais

  • Juan

    Correção: “A Maquina mostrou o futuro possível pro PETER”

  • Matheus

    Esse é um mistério que nem a Fringe Division consegue solucionar!

  • Felipe Soares

    Episódio bom mas confuso, mal começaram os planos de Jones e já pulam para esse arco, e o Bell não estava morto me todos os universos possíveis? No 1º ele atravessou e morreu para o outro lado, o do outro lado ja estava morto, e agora ele aparece, e muita confusão.

  • Ismael

    Simples, não assistem porque não acontece numa emergência de Hospital.

  • Andre

    Sinceramente eu estava torcendo para Frige terminar nessa 4ª temporada, nao estava gostando do caminho meloso que a serie estava tomando. Mas depois de assistir este fantástico episodio torço para que a serie tenha pelo menos mais umas 3 temporadas no minimo! Tenho certeza que este episodio sera um divisor de águas para a serie. Nao so por abrir um leque imenso de possibilidades, mas por fazer desacreditados na serie como eu se apaixonar novamente por toda mitologia que Fringe é capaz de criar! A sensação que tive ao assistir esse episodio foi a mesma que tive quando assisti o piloto, CURIOSIDADE pura para saber como isso vai se resolver!

    #SAVEFRINGE ? Acho que isso não sera mais necessário, Fringe acabou de se salvar sozinha!

  • Juliano Haussen

    Esse episódio serviu para o fight the future mesmo, impressionante como Fringe pode sempre trazer algo novo para nós.
    A bala não seria aquela que a Olivia levou um tiro em um futuro da temporada passada?
    Espero que tenha sequencia.

  • Robsonejs

    Esse epsiódio merecia um podcast com uma análise mais ampla sobre a relação dele com episódios de temporadas passadas, futuro e etc. Acho que seria bem bacana..Abraços!

  • Camila

    Eu vou ficar doida com essa serie!
    QUEREMOS 5ª TEMPORADA!!!

  • Anderson Chagas

    Bell havia morrido antes da timeline ser reescrita. Nessa nova ele nao morreu ainda.

    Esse episódio salvou a temporada.

  • Anderson Chagas

    Bell havia morrido antes da timeline ser reescrita. Nessa nova ele nao morreu ainda.

    Esse episódio salvou a temporada.

    [postei errado antes.]

  • Flávio

    Episódio fantástico, com cara de filme de ficção científica, não sei se por se por esse episódio se passar no futuro ou se daqui pra frente todos os próximos episódios terão essa mesma qualidade, me lembrou o filme Johnny Mnemonic quando assisti pela primeira vez, em alguns detalhes, teve de tudo nesse episódio, só mesmo em um universo como o da série Fringe os roteiristas podem arriscar colocar ficção, ciência e tudo mais em um lugar só sem parecer clichê e forçado, meus parabéns aos roteiristas, qual outra série poderia fazer isso com essa tranquilidade, espero que renovem a série para uma quinta temporada, li em outro site que para uma série ganhar o direito de ser reprisada e assim também para que os produtores continuem lucrando (mais) com ela, é necessário que se alcance os 100 episódios totais, se realmente renovarem para uma quinta temporada de 12/13 episódios alcançariam essa marca, então acredito que iram renovar a série, mais acredito que seja mais pelo lucro, não pela audiência e o carinho dos fãs, mas para todos nós já está de bom tamanho.

    Henry para mim era nome de homem, nisso os produtores conseguiram nos enganar, o nome da filha de Peter com Olivia é Henryetta, curioso isso.

    Alguém notou quando Simon vai digitar a senha na Antiga Massive Dynamic com os seguintes números 092112#, não seria esses números uma data, (do formato inglês para o português 21/09/12), talvez a data de quando a série retornaria com a 5º e última temporada, não sei, é só palpite.

  • Henrique

    Mas não esqueça que também são americanos que criaram e fazem a série.

  • Gaby

    Raphaella :
    O Walter caminhar pelas ruas e ninguém reconhecê-lo, ainda mais os observadores, foi bem falho!
    Uma coisa que achei curiosa foi o fato do Simon entregar um pedaço de papel como comprovante pra entrar na cidade. Esse pode ser um indício de que o mundo alternativo não sobreviveu (pois lá eles não usam papéis), sei lá.
    Achei brilhante o aparecimento da Etta (tanto em atuação e trejeitos puxados da mãe). E não achei estranho ela não sei conhecida pelo sobrenome da mãe, pois até mesmo seu amigo Simon não sabe quem é ela. Logo, facilmente ninguém mais saberia. Até porque ela possui a habilidade de “enganar” o pensamento.
    Não sei se to com sono ou viajando, mas pelo o que entendi, a Etta disse que viu os pais pela última vez quando tinha 4 anos. A confusão toda aconteceu em 2015. A season finale de 2012 ta chegando e a Olívia nem ta grávida..to fazendo as contas erradas?
    Reparei na bala no pescoço da Etta sim..acho justamente que tem a ver com o Bell e a morte necessária da Olívia..mal posso esperar por esse episódio..vai ser daqueles de ficar sem ar (se acontecer ne eiuhia)
    Eu amei o episódio..to maluca até agora…fringe é foda demais

    A Olivia deve descobrir que está grávida nos próximos episódios =)

  • Bruno

    Sinceramente, eu espero mais explicações.
    É muito legal um show de interpretações pra cá, pra lá, teorias malucas, viajadas e tudo mais. Mas depois de ver algumas séries bem amarradas (Six Feet Under), sinto que esta tática de deixar tudo “aberto” é adotada quando perdem o rumo da história (como Dexter) ou quando são surpreendidos com cancelamento da série e não tem tempo de fazer um final decente (Stargate Universe).

    Fringe é demais, mas não gostaria que muita coisa ficasse perdida no ar ou na “certeza” das teorias…

  • Lussianno

    Caralho, não notei, mas com certeza não é coincidência!!! É A data!!!! Uohoooo! Sei que tá todo mundo torcendo pra uma temporada de 13 episódios, mas ainda continuo na minha enganação que poderiam dar 22 dividida em 2 de 11, ou 16 em duas de 8. Há muita história.

  • Lussianno

    cara, enquanto a série não terminar não dá pra reclamar disso. Por enquanto ela vem segurando bem o roteiro. E não vejo como não deixar em aberto uma coisa que claramente não chegou ao seu fim.

  • Lussianno

    Não querendo bancar o fodão, mas acompanho 3 reviews e não sei se foi aqui que postei, mas um dia considerei que o(s) vilão(ões) da parada fosse(m) o(s) observador(es), sendo que na época – the end of all things – eu considerei o setember, coitado rs. Pra mim é bem mais interessante do que Jones.

  • Bruno

    Lussianno :
    cara, enquanto a série não terminar não dá pra reclamar disso. Por enquanto ela vem segurando bem o roteiro. E não vejo como não deixar em aberto uma coisa que claramente não chegou ao seu fim.

    É só um temor, com os boatos que ouvi de que a série poderia ser cancelada…
    Talvez seja só um trauma, seria um desperdício com uma série desta qualidade

  • Daniel Pimentel

    Acho que este episódio nos mostra um futuro que será evitado. Por isto ele não terá continuação.

    Não existem observadoras? Apenas observadores?

  • Zé das Couves

    Além disso, ao final, quando Etta está perto de uma janela, dá pra ver o “novo” prédio que ficou no lugar do WTC. É o Universo A, sim.

    O lance do âmbar deve ser tecnologia “by Walter”…

  • Zé das Couves

    Esse fato da timeline ser reescrita salvou todo e qualquer equívoco que os roteiristas possam ter feito antes…

    Muito esperto, né? rsrs

  • Zé das Couves

    Ninguém aí acho estranha a “petulância” do Broyles em chamar o Observador-Chefão de “crápula”?

    No início da cena até pensei que o Broyles fosse ele mesmo um Observador! (afinal, ele também é carequinha, né? rsrs)

  • TIAGO PL

    Esse é um episódio para os fãs. Nunca conquistariam a audiência não-fringe com 50 minutos tão mitológicos. Aparentemente, o episódio só terá consequencias na provável 5ª, mas temos que ficar ligados e até mesmo conformados se não revisitarmos esse futuro, e os produtores darem um jeito de invalidadar tudos nos 3 eps finais.

  • Cintia

    Também me lembrei de Dollhouse. Mas espero que Fringe tenha mais uma temporada para explorar melhor esse futuro, coisa que Dollhouse infelizmente não teve.

  • Marcos Doniseti

    Ismael :
    Simples, não assistem porque não acontece numa emergência de Hospital.

    E também porque não acontece em uma delegacia de polícia…

  • Marcos Doniseti

    Lussianno :
    Caralho, não notei, mas com certeza não é coincidência!!! É A data!!!! Uohoooo! Sei que tá todo mundo torcendo pra uma temporada de 13 episódios, mas ainda continuo na minha enganação que poderiam dar 22 dividida em 2 de 11, ou 16 em duas de 8. Há muita história.

    Quando Walter, Simon e Etta estavam no terminal, também apareceu uma imagem que dizia ‘to tracks 14-22’… São os produtores da série usando o episódio para fazer campanha por uma 5a. temporada completa, com 22 episódios, e não apenas com 13, como deseja a Fox.

  • Lussianno

    PRA QUEM VIU A PROMO DO 4X20 Worlds Apart.

    Quando vi a promo do próximo episódio fiquei puto. Tinha certeza que continuaríamos de onde paramos o LOT. Mas daí vc vê a promo, lê a notícia da mudança do nome dos 2 últimos episódios – de End Game I e II para Brave New World I e II – e junta tudo isso com o comentário do Noble sobre que o que veríamos nesse 4×19 é onde os roteiristas queriam realmente nos levar. Resultado?? Esse 4×19 parece ter sido mesmo da 5º temporada e nos próximos 3 episódios nós veremos como isso ocorrerá. E pra quem viu o promo e fez uma ligação com o que foi visto nesse 4×19, parece que…SPOILER!

  • Marcos Doniseti

    A fala de Walter, atacando o Bell, me convenceu de que este fez alguma coisa contra Olívia. Talvez, ele tenha sido o responsável por sua morte (a bala que Etta carrega deve ser, sim, aquela que matou Olívia).

    Por que Bell faria isso? Bem, não podemos esquecer que o Bell desta temporada é diferente daquele da Timeline original. O Bell atual é um cientista que possui princípios éticas.

    O Dr. Malcolm Truss falou que Bell vivia dizendo que ‘certas coisas são da alçada de Deus’. Assim, Bell estabelecia limites para as suas pesquisas, bem diferente de Walter e de Jones.

    Porém, vimos que Walter conhece o futuro da Humanidade (porque o September lhe disse) e sabe que os Observadores irão devastar com a Terra no século 27. E Bell, com certeza, também sabia disso.

    Então, se os Observadores são os descendentes da Olívia cortexiphada, o ético Bell pode ter pensado que a única maneira de evitar a devastação do planeta no futuro seria impedindo o surgimento dos Observadores. Mas, para isso, ele teria que matar Olívia, impedindo que ela gerasse descendentes.

    Porém, mesmo assim, Etta nasceu (em circunstâncias que, é claro, ainda não foram esclarecidas) e ela possui mais poderes do que a própria Olívia. E se ela resultará na Humanidade evoluída do futuro, ou seja, nos Observadores, isso talvez explique porque ela é preservada por eles.

    Não duvido que os Observadores saibam quem é, realmente, a Etta e o que ela representa. E é justamente por isso que eles não o matam.

  • Neysângela

    Só eu achei que esse episódio teve uma super vibe Star Wars? Além da referência explícita já citada no texto, senti um clima SW desde os dizeres na início do episódio, na perseguição no antigo prédio da Massive Dynamics (trilha sonora inclusive) e até com Walter preso em âmbar (pode me chamar de doida, mas lembrei de Solo preso em carbonite).

  • Carlo

    Quem gosta realmente de ficção, além da lembrança de Star Wars o cenário quando Etta sai da boate lembra o de Blade Runner, ou seja, chuvoso e sombrio durante o dia.

  • Camila Oliveira

    Também fiz essas contas Raphaella… como é que a menina tinha 4 anos????

  • Rodrigo

    Gente,é em 2036 que ocorre o episódio…

  • Andrei Alvarenga

    Putz, desde Lost não sinto esse frio na barriga com uma série. E o melhor é que Fringe vem conseguindo amarrar todas as pontas até agora (ao contrário de Lost, que teve um final ridículo e não explicou um terço da mitologia da série). Esse episódio foi, sem sombra de dúvidas, um dos melhores de todas as temporadas. Realmente ficou com cara de um filme explorando além da mitologia da série. Tudo perfeito, roteiro, atores, cenários. E, ainda criou novos mistérios e questionamentos, que só fazem os fãs pedirem cada vez mais. Se dependesse de mim, Fringe teria, no mínimo mais três temporadas, mas pelo menos mais uma tem que ter, né? #savefringe #fightthefuture

  • Plínio

    E 21 de setembro é realmente uma sexta, dia que Fringe sai nos EUA. Será? :O

  • Jairo

    Tb gostei muito do episódio, mas não sei se ele vai ter alguma relação com os outros ou se ela vai ser mostrada. Pelo que lembro de um extra do DVD da 3ª temporada, os roteiristas falaram que cada temporada queriam fazer um episódio diferente mais ou menos na mesma época (o 19 da 2ª foi o Brown Betty, o 19 da 3ª foi o LSD e o 19 dessa o letters of transit). Espero que apareça alguma resolução para essa timeline ou então que a Etta volte pro passado e tente alertar a equipe Fringe dos dias de hoje sobre o futuro possível e acabe virando uma regular na 5ª temporada da série, em uma luta contra os observadores. Viajei total, mas esse episódio me fez pensar em mil possibilidades para Fringe e torcer para que saia logo o anúncio da renovação. #SaveFringe!!

  • Ricardo

    If anything goes wrong, Walter Bishop will be my constant

  • Adriana Leão

    Eu realmente notei essa referencia e achei demais!!!

  • Adriana Leão

    não entendi essa mudança de nomes que você falou… Isso é um indicativo de que teremos de fato uma 5ª temporada e que os titulos ‘end game’ seriam o final caso a serie fosse cancelada de vez agora na 4ª?

  • Andre

    #LOSTFOREVER

  • Sofia

    Notei que Walter voltou bem diferente, com o olhar muito parecido com o do Walternativo, depois que teve seu cérebro restaurado… Será que vamos conhecer um pouco do “Walter” que ele temia em se transformar quando retirou parte do seu cérebro ??

  • ray.ka

    Tambem fiz as contas da idade dela…kkkk Um amigo curtiu,me chamando de detalhista exigente..ainda bem que naum eh soh eu…kkkk

  • Zé das Couves

    Tem um furinho no episódio ou eu estou errado?

    Quando o Walter vai fugir da sala da Massive Dynamic ele diz que “Belly e ele não fariam uma sala com uma saída só”; aí mete a mão na parede e… abre-te sésamo!

    Mas… ele não construiu a Massive Dynamic… Foi só o Bell, não é?

  • Bruno Carvalho

    Sim, mas eles eram amigos.

  • Zé das Couves

    Eles eram amigos… Daí a saber que a sala tinha uma saída estratégica e EXATAMENTE o ponto certo onde enfiar a mão, sem sequer titubear, vai uma “pequena” distância, né? rsrs

    Mas tudo bem… é só uma bobagem. Fringe está tão boa que pode dar uma escorregadela de vez em quando…

  • André

    Tinha café, é o A.

  • http://www.facebook.com/fagnerfsouza Fagner F Souza

    #A filha da Olivia não seria chamada de Agente Dunham, pois você herda o nome da família do pai.

    #Toda vez que Henrietta pegava algo que estava pendurado em seu pescoço eu ficava maluco, pois pensava que veria um daqueles pingentes que portam as fotos de alguém. E quando ela pega é uma bala! Fala sério, somente na ficção alguem iria carregar a bala que MATOU a sua mãe(estamos presumindo que Oliv eseja morta, certo?). Mas como foi praticamente no final do episódio, eu já estava juntando o que tinha sobrado do meu cérebro.

    O Walter realmente ficou muito similar ao Walternativo após a tal injeção, fiquei até um pouco com medo de vê-lo agindo friamente imaginando se ele estava do lado dos agentes ou não, mas quando ele bolou aquela bomba com a anti-matéria e fez TODO o prédio desaparecer eu percebi que toda a frieza demonstrada pelo personagem fazia todo o sentido, pois o mesmo entendia que naquele momento tudo era diferente, mais urgente que o normal, tanto que Simon tomou um puxão de orelha no momento em que eles retiravam Peter do âmbar pela demora.

    Resumo: Este episódio é um dos melhores até agora de todas, TODAS as temporadas.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=699703037 Rodrigo Ratan

    She have to die? Me parece referencia ao Exterminador do Futuro..
    Ou seja, se no futuro vai haver uma reveliao e observadores que se tornarão controladores, September já devia prever que a Filha da Olivia, talvez também com (mais) ‘super poderes’ (ainda mais pensando q Peter tb é ‘especial’ e tb é o pai da menina) seria provavelmente a unica com chance de derrotar os Controladores no futuro.. Uma especie de John Connor.. I’ll be back! :P