Séries:

A genialidade de Donald Glover em Atlanta

atlanta_destaque

Foi em Community que conheci Donald Glover, o criador da série Atlanta, do FX. O carisma e expressões do ator me conquistaram tanto, que não demorou muito para eu começar a buscar por todos os outros projetos dele na internet, como o Childish Gambino, nome artístico que o astro carrega no mundo da música. Glover me pegou pela sua excelente performance como comediante e então Gambino me conquistou de vez com suas rimas espertas.

Atlanta reúne essas duas vertentes do ator e cantor. Criada, produzida, dirigida, escrita e estrelada por Donald Glover, a série composta por dez episódios se destacou por sua genialidade para abordar críticas sociais com uma excelente trilha sonora e personagens reais. A “comédia” acompanha Earn (Glover) tentando fazer seu caminho como empresário no cenário rap em Atlanta. Após ter abandonado Princeton, uma das melhores universidades dos EUA, sem muita explicação, ele tenta conciliar a vida com Van (Zazie Beetz), mãe de sua filha, e sobreviver com pouco dinheiro tentando pegar carona no pseudo-sucesso que seu primo Alfred “Paper Boi” (Brian Tyree Henry, Boardwalk Empire) está fazendo após lançar uma demo tape.

A temporada toda é repleta de ironias sociais e pequenos detalhes escondidos nos episódios, o que acabou me lembrando muito Community, comédia que ficou conhecida por seus easter eggs. No capítulo Juneteenth,  por exemplo, consegui identificar uma cena que fez referência ao novo álbum de Childish Gambino, Awaken, My Love. A maravilhosa arte da capa está exposta em uma estante do fanático Craig (Rick Holmes).

atlanta_awaken

Além disso, Atlanta executou um episódio especial (intitulado B.A.N.) com maestria, desenvolvendo-se no formato de um talk-show no fictício canal Black America Network, onde Paper Boi vai para discutir alguns tweets do rapper sobre ele não querer transar com a socialite transgênero Caitlyn Jenner. Destaque para o roteiro que desenvolveu um debate com excelentes argumentos de ambos os lados. Outro grande ponto desse sétimo capítulo são os comerciais que expressam muitas questões sociais importantes, como a paródia do lobo querendo roubar o cereal de crianças negras e sendo violentamente retido por um policial branco.

Esse capítulo representou o ápice de uma excelente temporada. É preciso ousadia para uma série novata optar por correr o risco de interromper o fluxo narrativo da história para explorar os outros potenciais da produção, provando que a renovação para a segunda temporada foi um grande acerto. Outro momento que merece destaque em relação a produção rolou no season finale, que marca a busca do personagem Earn pela sua jaqueta, e em determinado momento ele decide assistir à todos os vídeos publicados no Snapchat do primo para tentar identificar o momento em que perdeu o casaco. As inserções dos snaps ficaram perfeitas e esse elemento acabou funcionando muito bem para se aproximar de um público cada vez mais orientado por esse tipo de mídia.

atlanta_ban

Atlanta encerrou seu ano de estreia concluindo bem a proposta inicial de nos relacionarmos com as personagens e suas abordagens que transitam naturalmente entre o real e surreal. A série é exibida no Brasil simultaneamente com os EUA pelo canal FOX1, que a reprisará nos próximos meses em maratonas especiais. A segunda temporada tem previsão de estreia para 2017.

5stars

Bruna Bottin
é fã de séries, estudante de Relações Públicas na UniRitter e autora convidada do Ligado em Série. Snapchat: propriabotts
http://instagram.com/brunabottin

Categorias: Atlanta, Críticas, Séries/TV

Postado em: 21/11/2016 | 23:33

  • DaviMartins

    Sem dúvidas uma das melhores surpresas de 2016! Excelente série!

  • DaviMartins

    Sem dúvidas uma das melhores séries de 2016! Excelente! Fico feliz em vê-la sendo abordada aqui. :)

  • Felipe Evangelista

    Também achei a série sensacional, mas não curti o episódio do talk-show. Achei que exageraram um pouco…

  • Júnio

    Achei o termo mais adequado pra descrever essa série “ironia social” e além de tudo eh uma comédia sensacional! Concerteza uma das melhores estreias do ano, entre as comédias eu diria que a melhor. Quero segunda temporada urgente !!!

  • Nossa, eu A-M-E-I o episódio do talk show (como deu pra perceber no meu texto né hahaha)
    Acho que o Paper Boi tem uma presença muito boa, ri alto com os diálogos que rolaram no talk-show. E os comerciais que foram produzidos tem toda aquela pegada irônica de crítica social. Considerei bem interessante terem dedicado um episódio pra explorar outras possibilidades criativas :)

  • DaviMartins

    @brunabottin:disqus quado assisti fiquei com uma dúvida e não tive a quem recorrer! haha Não entendi como funciona o relacionamento do Earl com a Van. Pra mim eles tavam casados normalmente até aquele episódio em que ela o pega na casa de outra mulher e age tranquilamente. Como assim? Aliás, gostei demais da Van! Achei uma ótima atriz. Aquele episódio focado todo nela também foi excepcional.

    Outro personagem que achei genial foi o do Craig. Espero que ele retorne em algum episódio da próxima temporada, quem sabe ajudando o Earl e o Paper Boi de alguma forma.

  • Oi Davi!! Sim, o relacionamento entre Earn e Van é bem diferente do convencional, né?! Eu vejo eles como duas pessoas que tem uma filha e ainda se gostam, mas não tem uma relacionamento de marido e mulher porque estão em momentos diferentes. Acho que na próxima temporada isso deve ser mais explorado. :)

  • Felipe Evangelista

    Eu percebi! Huahuaha…Mas eu concordo que todo o episódio foi de uma criatividade imensa. E eu dei muita risada tb!

  • Felipe Evangelista

    Ahh! Parabéns por ter pego essa cena com a capa do álbum. Achei incrível!

  • Bah, eu achei a arte desse álbum INCRÍVEL e linda! Quando rolou a cena em Juneteenth, foi a primeira coisa que reparei na estante. <3