Séries:

Documentários encontram porto seguro em serviços de streaming

68 milhões de pessoas ou 73% dos assinantes da Netflix assistiram pelo menos um documentário em 2016. Esse é o dado revelado por estatísticas recém divulgadas pela empresa de streaming segundo o The New York Times. Visto como um gênero menor pelo cinema comercial, já que raramente consegue figurar nas listas de maiores bilheterias, os documentários vem ganhando mais evidência graças aos serviços de streaming.

Na HBO, grandes histórias também estão disponíveis para assinantes, inclusive através da crescente plataforma HBO GO. O serviço premium se caracteriza pela exibição de documentários que, além do padrão de qualidade, mostram ao público que esse gênero pode ser tão inovador e atraente quanto a ficção. Um dos melhores exemplos foi a premiada docussérie The Jinx, que expôs o curiosíssimo caso de Robert Durst, com um final arrebatador. Todos os anos, os documentários do canal trazem assuntos variados, relevantes e polêmicos, abordando política, saúde, terrorismo, família, crime e arte, incluindo os indicados ao Emmy Mapplethorpe e Nora Ephron: Tudo é Cópia. No Brasil, a empresa anunciou recentemente a produção de 14 atrações nacionais, sendo 9 documentários.

A docu-série Making a Murderer, por exemplo, tornou-se um dos maiores hits da Netflix em 2016 e provocou até a anulação da sentença de um de seus protagonistas. Não à toa, aliás, a plataforma global da empresa tem atraído nomes cada vez mais proeminentes como a da diretora Ava DuVernay (do filme Selma), responsável pelo excelente 13ª Emenda que concorreu ao Oscar desse ano. Por falar em Oscar, Capacetes Brancos, vencedor na categoria de doc curta metragem, também encontrou na Netflix o canal ideal para dar eco ao impactante registro dos voluntários que trabalham em áreas civis atacadas na guerra da Síria.

Lisa Nishmura, responsável pela área de produção de documentários da Netflix, comentou que diferente das salas de cinema (onde casais dificilmente vão assistir documentários) ou mesmo da televisão que depende exclusivamente de audiência, a plataforma global da empresa permite dar espaço para um gênero que sempre ajuda a criar reflexão sobre algum aspecto da sociedade ou da cultura. “Contamos as histórias dos outros e como tratamos os outros como humanos e o que acontece quando as coisas saem dos trilhos. Isso ressoa na audiência global e por isso os documentários seguirão vivos no nosso serviço para sempre”, disse ela reforçando a ideia de que a Netflix e seus concorrentes se tornaram de fato um porto seguro pra esse importante gênero do Cinema.

Davi Garcia
é administrador, cinéfilo, viciado em séries desde a estreia de The X Files, colecionador entusiasta do formato Blu-ray. Fundador dos lendários blogs Dude, We Are Lost! e DudeNews.
http://twitter.com/dav1garcia

Categorias: HBO, Netflix, Notícias

Postado em: 11/03/2017 | 13:40

  • theTaripy

    Desde que continuem adquirindo os docs da BBC, pra mim ta valendo haha

  • Bruno Sousa

    Tem algum documentário bom da BBC para recomendar?

  • theTaripy

    Olha, pode ser que você já os tenha visto, mas tem: Planeta Terra. The Hunt, Wonders the universe, Hiroshima, Africa, The blue planet… Caso tenha Netflix, coloque “documentários” na barra de pesquisa. Boa parte dos qye tem são da BBC.