FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

True Blood: Beautifully Broken

True Blood (3×02: Beautifully Broken): Com os vampiros desmistificados após a Grande Revelação e andando livres por aí, a 3ª temporada de True Blood foi extremamente eficaz em abordar os mistérios que cercam uma outra raça, os lobisomens. E em vez de simplesmente introduzirem estes seres, a série criou um contexto histórico intrigante, que os coloca no centro da 2ª grande guerra com uma ligação direta com o nazismo, estabelecendo-os como os novos e grandes vilões da vez. Mesmo que ainda contando com contornos de uma subtrama, a tal Operation Werewolf integra muito bem o rico universo deste drama que, de tão vasto, já se mostra capaz de se autosustentar como bem vimos na cena em que Jason questiona a existência do Papai Noel (impagável) ou no momento que Sookie exprime sua vontade de ver Bill chegando à sua porta dizendo “Sooookeeeh“. True Blood é uma das poucas produções atuais que consegue fazer isso muito bem sem parecer indulgente, graças ao seu cuidadoso texto e ao sempre talentoso elenco. Dito isso, preciso reconhecer que embora conte com diversas (e ótimas) histórias paralelas, o episódio pecou em focar e desenvolver melhor algumas delas, já que no final ficou clara a impressão de que avançamos pouco. De qualquer forma, os elementos para que esta seja mais uma ótima temporada estão aí, com destaque especial para a missão imposta a Bill pelo “rei” do Mississipi, as aventuras de Jason com Andy e mais um cliffhanger matador. E foi só eu que achei ou deram a entender que Terry Bellefleur seria uma espécie de “lobisomem do bem”? Assista novamente e repare…

Os comentários estão desativados.

ss