FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Friday Night Lights: East of Dillon

O maior trunfo de Friday Night Lights, que retornou com sua 4ª temporada ontem pelo AXN, é o de ser um drama adolescente relevante, sempre apresentando uma trama densa e que discute temas morais e bastante contemporâneos. O fato de contar com interpretações brilhantes e ter uma direção de fotografia impecável é “apenas” um adicional. O novo ano começa retratando os efeitos que o rezoneamento de Dillon causou: segregada em leste e oeste para fins meramente financeiros e administrativos, a cidade ficou com sua população literalmente dividida, fato que repercutiu seriamente nas escolas East e West Dillon High. Quem foi para a “nova” área sofreu com a infra-estrutura precária, apesar do conselho da cidade, liderado por Tami Taylor, afirmar o contrário. Claramente prejudicados foram o East Dillon Lions, o time de futebol “B” que agora está sob o comando do treinador Taylor depois que a aliança do poder de McCoy o destituiu dos Panthers.

East Dillon terá literalmente que começar do zero enquanto West Dillon conta com uma larga vantagem. No gramado, o disparate entre os dois lados fica ainda mais evidente. Mas Eric terá um desafio ainda maior do que o de levar o seu time para competir no campeonato: ele terá que, primeiro, conquistar o respeito dos novos jogadores que não estão nem aí pra nada (afinal, sempre foram do lado “esquecido” do município). Os veteranos Matt Saracen e Tim Riggins também não estão nos melhores dias, já que abandonaram a carreira acadêmica na busca da verdadeira vocação. Apesar dos desfalques no elenco (Lila, Tyra etc.), é impressionante como que a história foi renovada de forma fluida e coerente com os acontecimentos da temporada passada. O final no dia do jogo com os Lions derrotados pela fadiga e forçados a render a partida deu o tom de que esta vai ser uma temporada e tanto. Clear eyes, full heart, can’t lose”! Friday Night Lights está de volta com tudo!

Deixe uma resposta

ss