FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Comentários e Apostas Para o Emmy 2012!

Na manhã da última quinta a Academia de Artes e Ciências televisivas de Hollywood divulgou os indicados para o 64th Primetime Emmy Awards. Hoje Davi Garcia, Bruna Bottin, Dierli Santos, Lorena Piñeiro, Aline Diniz e eu comentamos as principais categorias e fizemos as nossas apostas para a cerimônia que ocorrerá no dia 23 de Setembro nos EUA, e que será exibida ao vivo no Brasil pela Warner Channel. Leia e deixe também os seus comentários abaixo!Melhor Atriz em Série Cômica

Zooey Deschanel – New Girl
Lena Dunham – Girls
Edie Falco – Nurse Jackie
Amy Poehler – Parks and Recreation
Tina Fey – 30 Rock
Julia Louis-Dreyfuss – Veep
Melissa McCarthy – Mike & Molly

Aline Diniz: As únicas indicadas a esta categoria que posso falar com propriedade são Tina Fey, Amy Poehler, Julia Louis-Dreyfus e um pouco de Lena Dunham e Zooey Deschanel – não acompanho o trabalho de Edie Falco em Nurse Jackie nem de Melissa McCarthy em Mike & Molly. Então vamos à elas: 30 Rock teve uma temporada instável, mas Fey manteve o nível de sua atuação – mesmo com a sutil mudança de personalidade de sua personagem, Liz Lemon. Poehler, além de atuar, também dirigiu e escreveu o roteiro de um episódio nesta temporada de Parks and Recreation – tarefas as quais executou com maestria (tanto que também está indicada como melhor roteirista de uma série cômica com “The Debate”). Já falo desde o começo do ano que ela apareceria por aqui – e ainda tenho uma pequena ponta de esperança de que ela leve este prêmio. Já Louis-Dreyfus me surpreendeu. A atriz está incrível em Veep desde o piloto e foi uma das indicações mais merecidas nesta categoria – tanto que não só quero que ela ganhe, como também acho que ela deve levar a estatueta. O caso de Lena Dunham é outro que, assim como Poehler, se provou multifuncional em Girls. A jovem atriz mantém bem o ritmo de seu próprio texto e direção na atuação, carregando o peso de suas palavras com leveza e um pé na realidade. Vi os cinco primeiros episódios de New Girl, que todos dizem não fazer jus à série. No entanto, é possível perceber que Zooey Deschanel mantém o seu já conhecido porte da “fofa” – aquela menininha bonitinha, doce e meiga que parece ainda mais querida quando solta um “fuck”.
Quem vai levar: Julia Louis-Dreyfus, Veep.
Quem deveria levar: Julia Louis-Dreyfus, Veep.

Melhor Ator em Série Cômica

Larry David – Curb Your Enthusiasm
Jon Cryer – Two and a Half Men
Louis C.K. – Louie
Jim Parsons – The Big Bang Theory
Don Cheadle – House of Lies
Alec Baldwin – 30 Rock

Aline Diniz: Mesmo Alec Baldwin, Jim Parsons e Jon Cryer, que interpretam personagens conhecidos até demais pelo público, já com personalidades definidas e determinantes em toda e qualquer situação que possam enfrentar em suas devidas séries, todos os atores que concorrem nesta categoria merecem a indicação. Don Cheadle, que é parte de um programa não tão bom quanto de seus competidores, consegue se mostrar dinâmico e apto às situações na qual é colocado – coisa que, na minha opinião, deveria lhe render uma estatueta.
Quem vai levar: Alec Baldwin, por 30 Rock.
Quem deveria levar: Don Cheadle, por House of Lies.

Melhor Atriz Coadjuvante em Série Cômica

Maylim Bialik – The Big Bang Theory
Merritt Wever – Nurse Jackie
Julie Bowen – Modern Family
Kristen Wiig – Saturday Night Live
Sofia Vergara – Modern Family
Kathryn Joosten – Desperate Housewives

Davi Garcia: Com três indicações e dois Emmys de atriz convidada em comédia (e não de coadjuvante, notem), a falecida Kathryn Joosten de Desperate Housewives podia até figurar como a grande surpresa dessa categoria, mas esse posto fica mesmo é com Mayim Bialik e sua performance de uma nota só em The Big Bang Theory. E se a Amy Farrah Fowler de Bialik é sem graça, a Zoey Barkow feita por Merrit Wever em Nurse Jackie também não fica atrás, roubando o que seria uma indicação bem mais merecida para Aubrey Plaza (a April Ludgate de Parks & Recreation), por exemplo, ou mesmo para Casey Wilson (a Penny Hartz de Happy Endings). Com Sofia Vergara correndo por fora, Julie Bowen, que nem foi assim tão regular na 3ª temporada de Modern Family, defenderá seu título conquistado em 2011 e deve ter como grande adversária a comediante Kristen Wiig que se despediu esse ano do SNL e emplacou sua quarta indicação consecutiva.
Quem vai levar: Kristen Wiig.
Quem deveria levar: Kristen Wiig pelo conjunto da obra e por criar tipos absolutamente diferentes e engraçados durante seu período no SNL.

Melhor Ator Coadjuvante em Série Cômica

Ed O’Neil – Modern Family
Jesse Tyler Ferguson – Modern Family
Ty Burrell – Modern Family
Eric Stonestreet – Modern Family
Bill Hader – Saturday Night Live
Max Greenfield – New Girl

Davi Garcia: Como a principal força da série, não se discute que o elenco de Modern Family seja merecedor de todo reconhecimento (ainda que Jesse Tyler Fergunson esteja sempre um pouco abaixo de seus colegas), mas é impossível ignorar a ideia de que as quatro (exageradas?) indicações masculinas da série acabaram contribuindo para que tivessemos a decepção de não ver Danny Pudi (o Abed de Community) ou Nick Offerman (o Ron Swanson de Parks & Recreation) na lista. E como não daria para tirar o divertido e competente Bill Hader (em sua primeira indicação como ator) do SNL da relação final, a pergunta que fica é: quais foram os loucos que colocaram o apagadíssimo Max Greenfield da fraquinha New Girl entre os indicados?
Quem vai levar: Ty Burrell de Modern Family
Quem deveria levar: Ty Burrell, porque em todos os grandes momentos da temporada, lá estava Phil Dunphy.

Melhor Série Cômica

Curb Your Enthusiasm
Girls
30 Rock
Veep
Modern Family
The Big Bang Theory

Aline Diniz: É certo que todo ano a Academia acaba indicando algumas séries por impulso. Programas que não são necessariamente bons, mas tiveram um pico de excelência em algum ponto de sua existência na TV e são lembrados pelos membros votantes com carinho. Este é o caso de The Big Bang Theory, 30 Rock e Modern Family que, apesar de ainda levarem prêmios para casa, permanecem como indicadas não por suas exemplares temporadas como as demais (Girls, Veep e Curb Your Enthusiasm), mas como lembretes de que um dia foram excelentes.
Quem vai levar: Modern Family.
Quem deveria levar: Veep.

Melhor Atriz em Série Dramática

Julianna Margulies – The Good Wife
Michelle Dockery – Downton Abbey
Elizabeth Moss – Mad Men
Kathy Bates – Harry’s Law
Claire Danes – Homeland
Glenn Close – Damages

Dierli Santos: Com seis indicados esse ano, seria impossível a academia ignorar a atuação impecável de Claire Danes na estreante Homeland. Julianna Margulies, vencedora da edição anterior e a veterana Glenn Close não são surpresas da lista. Michelle Dockery, da queridinha dos americanos Downton Abbey, foi algo inesperado, já que ano passado Elizabeth McGovern concorreu ainda na categoria minissérie. Embora Elizabeth Moss tenha recebido muitos elogios nessa temporada, vale lembrar que nenhum ator da premiada Mad Men ganhou nada durante todos esses anos. Surpresa ainda lembrarem de Kathy Bates, da esquecível e já cancelada Harry’s Law. Pelo menos parece que os votantes realmente superaram Mariska Hargitay, indicada de 2002 a 2010 nessa categoria. Ausência sentida de Mireille Enos, que conseguiu manter a qualidade em The Killing.
Quem vai levar: Claire Danes.
Quem deveria levar: Claire Danes.

Melhor Ator em Série Dramática

Steve Buscemi – Boardwalk Empire
Michael C. Hall – Dexter
Bryan Cranston – Breaking Bad
Hugh Bonneville – Downton Abbey
Jon Hamm – Mad Men
Damian Lewis – Homeland

Dierli Santos: Uma categoria sem grandes surpresas. Com exceção dos atores de Hugh Bonneville e Damian Lewis, todos os outros já foram indicados no passado. Michael C. Hall tenta pela quinta vez levar o prêmio mas, se não ganhou quando Dexter ainda estava no auge, não acredito que tenha chances agora, com a série desgastada. Essa categoria poderia ter sido melhor, mas preferiu ignorar Dustin Hoffman, um grande ator de cinema em uma série da HBO e Kelsey Grammer, vencedor da última edição do Globo de Ouro e que possui vários Emmys no currículo.
Quem vai levar: Bryan Cranston, que ano passado não pode participar, deve faturar a estatueta pela quarta vez.
Quem deveria levar: Bryan Cranston.

Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática

Archie Panjabi – The Good Wife
Anna Gunn – Breaking Bad
Maggie Smith – Downton Abbey
Joanna Froggatt – Downton Abbey
Christina Hendricks – Mad Men
Christine Baranski – The Good Wife

Bruno Carvalho: A inclusão de Downton Abbey na categoria de séries do Emmy promete trazer uma sacudida britânica no Emmy 2012. Embora ignorada pelo grande público (e por este que escreve, que apenas assistiu ao piloto – e pretente corrigir essa falha), o drama prova a sua força emplacando indicações em várias das principais categorias da premiação. Não é surpresa, contudo, que o elenco coadjuvante de The Good Wife, representado pelas atrizes Archie Panjabi e Christine Baranski, também tenha ganhado destaque, assim como Christina Hendricks, de Mad Men, após o ótimo The Other Woman. A Academia concebeu uma lista justa e que reflete bem as melhores atuações da última temporada de séries.
Quem vai levar: a veterana Maggie Smith provavelmente ficará com a estatueta.
Quem deveria levar: Anna Gunn, por seu incrível trabalho na 4ª temporada de Breaking Bad como Skyler White e a surpreendente transformação de sua personagem na segunda metade da temporada.

Melhor Ator Coadjuvante em Série Dramática

Aaron Paul – Breaking Bad
Giancarlo Esposito – Breaking Bad
Brendan Coyle – Downton Abbey
Jim Carter – Downton Abbey
Jared Harris – Mad Men
Peter Dinklage – Game of Thrones

Bruno Carvalho: Como disse acima, é inegável que a Academia se derreteu por Downton Abbey. Mas aqui a disputa promete ser um pouco mais acirrada, já que Aaron Paul e Giancarlo Esposito estão no páreo após uma temporada eletrizante de Breaking Bad. Justas também foram as nomeações de Jared Harris (que também ganhou destaque na temporada no papel de David Robert Jones em Fringe) e de Peter Dinklage, que rouba a cena em absolutamente todas as suas aparições em Game of Thrones. É impossível não ficar dividido com tantos talentos e, apesar de fã incondicional do trabalho dos meninos de Breaking Bad, não poderia ficar indignado caso qualquer outro ali leve, notadamente Dinklage.
Quem vai levar: Peter Dinklage.
Quem deveria levar: Um prêmio conjunto para Aaron Paul e Giancarlo Esposito seria o ideal, mas na falta eu gostaria que este último fosse reconhecido por sua brilhante construção do meticuloso, severo e sempre interessante Gus Fring, já que Paul tem o seu Emmy guardado na estante.

Melhor Série Dramática

Boardwalk Empire
Breaking Bad
Downton Abbey
Mad Men
Game of Thrones
Homeland

Bruno Carvalho: A categoria de Melhor Série Dramática este ano denota a crise criativa da TV aberta americana. Downton Abbey pegou a vaga da ainda ótima The Good Wife e todas as outras indicadas vêm da TV paga que, invariavelmente, apresenta tramas em temporadas mais sucintas e temáticas mais densas e relevantes. Aliás, é curioso notar que 4 das 6 indicadas desenvolvem histórias não contemporâneas. E se por um lado não dá para ignorar a empolgação dos votantes com Downton Abbey, por outro não podemos esquecer que Homeland tende a sair na frente por já chegar na lista fortalecida dos Golden Globes e por ter como cerne um tema sensível e relevante para o patriotismo norte-americano. A estatueta, então, provavelmente ficará estre estas duas, com Mad Men, Breaking Bad, Game of Thrones e Boardwalk Empire correndo por fora nesta ordem.
Quem vai levar: Aposto as fichas em Homeland, mas não ficaria surpreso se Downton Abbey for a grande vencedora da noite.
Quem deveria levar: Breaking Bad.

Melhor Atriz Convidada em Série Cômica

Dot-Marie Jones – Glee
Maya Rudolph – Saturday Night Live
Melissa McCarthy – Saturday Night Live
Elizabeth Banks – 30 Rock
Margaret Cho – 30 Rock
Kathy Bates – Two and a Half Men

Aline Diniz: Dentre as seis indicadas, duas atrizes não mereciam de fato estar aqui. Dot-Marie Jones não enfrenta nenhum desafio em sua atuação, vendo que Ryan Murphy adora contratar atores para encarnar a si mesmos em suas séries, vivendo personagens moldados à mão pelo roteirista que caibam nas personalidades dos profissionais que os interpretam. Kathy Bates, ao meu ver, serviu como um tapa buracos. Não é novidade que a qualidade de Two and a Half Men (que não estava das mais altas há algum tempo) caiu após a saída de Charlie Sheen. Na mente de Chuck Lorre (um dos roteiristas mais preguiçosos do ramo), a alternativa era trazer o popular personagem de volta. Como? “Vamos fazer a última piada.” Não culpo Bates, a atriz fez o que estava a seu alcance e viveu um Charlie Harper como não víamos há alguns anos. Ainda assim, acho desnecessário premiar uma já consagrada atriz por um papel medíocre que, querendo ou não, acabou não adicionando nada em sua carreira. Na categoria das que merecem a indicação, Margaret Cho sai disparada na frente. A comediante viveu o falecido líder da Coreia do Norte Kim Jong-il, retratando-o da maneira como pensava que ele fosse, criando o personagem em sua mente. (Existem pouquíssimos registros de Kim Jong-il em vídeo e até em foto.) Elizabeth Banks foi indicada ano passado e, apesar de ter merecido levar o prêmio naquele ano, a atriz continuou seu retrato da inconstante Avery tão bem como nunca – principalmente após o grande trauma pelo qual sua personagem passou. Amo Saturday Night Live, nunca pensem o contrário, mas sinto que as indicações de Melissa McCarthy e Maya Rudolph acabaram acontecendo mais para cobrir espaços vazios do que qualquer outra coisa. O episódio de ambas como apresentadoras foi bom o suficiente para dar umas risadinhas, mas não como foi o de Justin Timberlake – que levou o merecido prêmio para casa em 2011.
Quem vai levar: Kathy Bates, por Two and a Half Men.
Quem deveria levar: Margaret Cho, por 30 Rock.

Melhor Ator Convidado em Série Cômica

Michael J. Fox – Curb Your Enthusiasm
Greg Kinnear – Modern Family
Bobby Cannavale – Nurse Jackie
Jimmy Fallon – Saturday Night Live
Will Arnett – 30 Rock
Jon Hamm – 30 Rock

Aline Diniz: Não é surpresa ver mais dois atores que trabalharam como convidados em 30 Rock sendo indicados nesta categoria. A influência de Tina Fey fez com que, desde a primeira temporada, a série sempre estivesse populada com atores, atrizes e outras celebridades de nomes conhecidos, elevando a qualidade  do programa às alturas. Mas vamos às indicações. Não que Greg Kinnear não tenha feito um bom trabalho em Modern Family, muito pelo contrário. Acredito que a academia irá premiá-lo com a estatueta e não ficarei tão chateada se isso acontecer. Mas volto a dizer que um ator deva se esforçar em seu papel, fazendo algo que seja inédito e o desafie – e já vi aquele papel sendo vivido por Kinnear em algum ponto de sua filmografia. O mesmo vale para Jimmy Fallon com sua indicação por ter apresentado Saturday Night Live – não foi bom o suficiente para uma indicação ao Emmy. Já Bobby Cannavale, por sua vez, conseguiu tirar Nurse Jackie do automático ao dar vida ao administrador ríspido do All Saints. Acredito que Michael J. Fox tenha aparecido aqui por ter levado tudo muito na esportiva durante sua participação em Curb Your Enthusiasm. Foram inúmeras piadas com a doença do ator, que ficam ainda mais engraçadas quando aprovadas por alguém que sofre dela. Pontos por Fox por ter colaborado, mas isso também não é novidade. Jon Hamm recebeu sua indicação por sua participação no episódio ao vivo de 30 Rock, no qual viveu dois personagens – o âncora machista dos anos 1960 David Brinkley e Abner, o “homem branco” em um seriado da época em que “homens negros não podiam ter um programa sozinho na TV”. Apesar de muito boas, as participações não valem uma indicação ao Emmy – pelo menos não tanto quanto valeram suas indicações em 2009 e 2010. E por último mas não menos importante, Will Arnett. É injusto que o ator já tenha sido indicado três vezes a esta categoria pelo mesmo papel e ainda não tenha levado nenhuma. Devon Banks é um dos melhores personagens recorrentes em 30 Rock e fico triste em saber que ele também não deve levar desta vez.
Quem vai levar: Greg Kinnear, por Modern Family.
Quem deveria levar: Will Arnett, por 30 Rock.

Melhor Atriz Convidada em Série Dramática

Martha Plimpton – The Good Wife
Loretta Devine – Grey’s Anatomy
Jean Smart – Harry’s Law
Julia Ormond – Mad Men
Joan Cusack – Shameless
Uma Thurman – Smash

Bruna Bottin: Das seis indicadas nesta categoria, duas já haviam participado no ano passado, Joan Cusack e Loretta Devine. Eata última, inclusive, levou o prêmio no Emmy de 2011 pela sua personagem Adele, a esposa com Alzheimmer do Dr. Webber em Grey’s Anatomy. Gosto de ver Martha Plimpton em The Good Wife, porém não faria nada mal ver Lisa Edelstein no lugar já que, depois de tanto tempo em House, ela fez uma bela passagem pela série.
Quem vai levar: Não duvido que seja Uma Thurman, atriz conhecida nas telonas em uma série musical. A Academia gosta dessas coisas.
Quem deveria levar: Julia Ormond.

Melhor Ator Convidado em Série Dramática

Mark Margolis – Breaking Bad
Dylan Baker – The Good Wife
Michael J. Fox – The Good Wife
Jeremy Davies – Justified
Ben Feldman – Mad Men
Jason Ritter – Parenthood

Bruna Bottin: Duas ótimas indicações para The Good Wife, que sempre desenvolve boas interpretações da parte do elenco de convidados. Tanto Michael J. Fox, quanto Dylan Baker deram um show durante suas aparições. Fox participou no ano passado, assim como Jerremy Davies. Surpresa ao ver o nome Jason Ritter entre os indicados, Parenthood concorreu poucas vezes o Emmy.
Quem vai levar: Pode ser a vez de Jeremy Davies.
Quem deveria levar: Michael J. Fox, já foi injusto o ator não levar no Emmy passado.

Melhor Reality Show de Competição

So You Think You Can Dance
The Amazing Race
Project Runway
The Voice
Dancing With the Stars
Top Chef

Bruna Bottin: Apenas uma mudança do ano passado para cá: The Voice no lugar de American Idol. O resto é tudo igual, como costuma ser desde que foi criada a categoria. Os indicados são praticamente os mesmos nos últimos quatro anos.
Quem vai levar
: The Amazing Race.
Quem deveria levar
: Sempre torço por Project Runway.

Melhor Minissérie ou Filme Para TV

Game Change
American Horror Story
Hemingway & Gellhorn
Sherlock
Luther
Hatfields & McCoys

Bruna Bottin: Duas britânicas concorrendo na categoria com boas chances de vitória: Sherlock e Luther. American Horror Story também é uma das favoritas. Com 17 indicações ao todo na premiação, o terror erótico de Ryan Murphy pode levar a estatueta numa das categorias mais importantes em que concorre.
Quem vai levar: American Horror Story.
Quem deveria levar: Sherlock.

Melhor Direção Série Cômica

Robert B. Weide – Curb Your Enthusiasm
Lena Dunham – Girls
Louis C.K. – Louie
Jason Winer – Modern Family
Steven Levitan – Modern Family
Jake Kasdan – New Girl

Lorena Piñeiro: Existem alguns momentos em que esta misteriosa entidade conhecida como Academia de Artes e Ciências Televisivas faz com que eu conteste o bom senso, a lucidez e a sobriedade de seus integrantes. Certas indicações parecem ter sido fruto aleatório de uma partida de cara ou coroa entre sexagenários entediados – na minha imaginação, premiações sempre são coordenadas por senhores de monóculo. É o caso do fraco piloto de New Girl, dirigido por Jake Kasdan. Além de um aproveitamento medíocre das possibilidades do estilo de filmagem em câmera única, o episódio só apresenta uma questão relevante: qual é a idade mental de Jess? Ainda que a série protagonizada pela manic pixie dream girl Zooey Deschanel tenha eventualmente conseguido o aval da crítica e o afeto do público, seu piloto é um péssimo exemplar do que deveria representar uma direção excepcional. O mesmo pode ser dito sobre os dois episódios concorrentes de Modern Family, que há um bom tempo perdeu o fôlego e a doçura ingênua e original de sua primeira temporada. É risível que “Virgin Territory” e “Baby On Board” sejam louvados em detrimento de diversos momentos brilhantes de séries como Community e Parks and Recreation. Mesmo assim, consigo encontrar algo muito positivo a ser dito sobre esta lista: Chuck Lorre não está presente.
Quem vai levar: Tenho 50% de chances de ouvir o anúncio com um sorriso no rosto. Uma vitória de Louie, Curb Your Enthusiasm ou Girls me deixaria imensamente satisfeita, porém acredito que Steven Levitan irá enfeitar sua estante com a estatueta. Ou seja, imagino que teremos uma dobradinha de Modern Family, vencedora da categoria no ano passado. Aposto minhas fichas em “Baby On Board” com muita amargura.
Quem deveria levar: Lena Dunham e “She Did”, o maravilhoso season finale de Girls. Uma conclusão de inegável simetria com o piloto, também dirigido por Lena, e que reitera todos os aspectos responsáveis por tornar a série tão apelativa para uma geração que tem dificuldades em superar a adolescência eterna, suas expectativas frustradas e horizontes confusos. Lena conhece seu público e sua câmera.

Melhor Direção em Série Dramática

Tim Van Patten – Boardwalk Empire
Vince Gilligan – Breaking Bad
Brian Percival – Downton Abbey
Michael Cuesta – Homeland
Phil Abraham – Mad Men

Lorena Piñeiro: O estereótipo do senhor engomado da Academia que vive na minha cabeça pode não ter um senso de humor apurado, mas definitivamente entende de drama e gasta uma fortuna com TV a cabo. As indicações são uma ode aos canais fechados e desafiam o spacetime continuum para passear pelas décadas de 10, 20, 60 e chegar ao novo século. A lista até saiu dos Estados Unidos para visitar a Inglaterra de Downton Abbey, mas não se deu ao trabalho de marcar presença em Westeros. Senti falta de “Blackwater”, nono episódio da segunda temporada de Game of Thrones, dirigido primorosamente por Neil Marshall. O equilíbrio entre as frenéticas cenas de ação pontuadas por um incêndio esverdeado e o sensacional desenvolvimento de personagens não merecia ser desprezado. Afinal, a HBO não gastou todo aquele dinheiro à toa, não é mesmo?
Quem vai levar: Desta vez Boardwalk Empire não conta com o nome de Martin Scorsese para garantir o prêmio enquanto o resto do teatro finge surpresa. Eu diria que Breaking Bad e Mad Men apresentam chances idênticas, porém sempre prefiro apostar seguindo a direção oposta dos meus instintos. Eles invariavelmente estão errados. Portanto, fico com o ótimo piloto de Homeland.
Quem deveria levar: Breaking Bad. Alguns de vocês sabem que estou vivendo um caso de amor recente e arrebatador com a série de Vince Gilligan. A cinematografia de Breaking Bad faz com que eu queira pausar cada cena para contemplar a palheta de cores e refletir sobre os movimentos de câmera e ângulos inusitados. A HBO deveria emprestar seu slogan para a AMC, porque aquilo é diferente de qualquer coisa que eu já tenha visto na televisão. Yeah, science!

Melhor Roteiro em Série Dramática

Julian Fellowes – Downton Abbey
Alex Gansa, Gideon Raff e Howard Gordon – Homeland
Semi Chellas e Matthew Weiner – Mad Men
Andre Jacquemetton e Maria Jacquemetton – Mad Men
Erin Levy e Matthew Weiner – Mad Men

Davi Garcia: Com reais chances de faturar seu 4º Emmy de melhor roteiro em cinco anos de disputa, Mad Men manteve a tradição dominando a categoria com três das cinco indicações. Concorrendo com a série de Matthew Weiner, está o surpreendente Piloto de Homeland e o apenas correto final da fria, mas eficiente 1ª temporada de Downton Abbey que pode ser resposabilizada por tirar a vaga do excelente “Face Off” (final da 4ª temporada de Breaaking Bad) e é a grande zebra desta categoria. Nesse contexto, “The Other Woman” e  “Commissions And Fees” (episódios 11 e 12 do 5º ano de Mad Men) surgem fácil, fácil como grandes favoritos pela inteligência com que constroem e apresentam suas reviravoltas. Afinal, como ficar indiferente à forma como ocorre a chocante decisão de Joan (Christina Hendricks) para se estabelecer de vez dentro da agência ou às não menos surpreendentes escolhas de Peggy (Elizabeth Moss) e principalmente de Lane (Jared Harris)?
Quem vai levar: Mad Men com “The Other Woman
Quem deveria levar: Mad Men com “The Other Woman” porque foi não só um dos melhores episódios da história da série, mas também um dos melhores dentre todas as séries na temporada.

Melhor Roteiro em Série Cômica

Chris McKenna – Community
Lena Dunham – Girls
Louis C.K. – Louie
Amy Poehler – Parks and Recreation
Michael Schur – Parks and Recreation

Aline Diniz: Não foi o piloto de Girls que me fisgou para ver o resto da série. A trama serve como um curta metragem que funciona muito bem sozinha – achei que tudo ficou redondinho até demais para que a minha curiosidade me incentivasse a assistir aos outros episódios. O trabalho de um piloto é ter um gancho suficientemente interessante que faça os espectadores quererem mais – e é por isso que muitos pilotos acabam não sendo tão bem sucedidos assim. O roteiro de Louis C.K. para Louie, por sua vez, destaca-se do padrão estabelecido na TV e emprega a narrativa antológica em seus episódios que funcionam como divertidas crônicas. “Remedial Chaos Theory” é a excelência de Community que a Academia nunca entenderá, e isso é tudo que direi. Parks, como disse acima, teve uma de suas melhores temporadas. “The Debate” foi a terceira tentativa de Poehler como roteirista da série, bem sucedida em todas elas. “Win, Lose, or Draw” foi um excelente final de temporada, bom o suficiente para, na minha opinião, merecer o prêmio.
Quem vai levar: Lena Dunham, pelo piloto de Girls.
Quem deveria levar: Michael Schur, pelo episódio “Win, Lose, or Draw” de Parks and Recreation.

8 respostas para “Comentários e Apostas Para o Emmy 2012!”

  1. Marina disse:

    Gostei dos indicados e dos comentários de todos! Parabéns pelo site!

  2. Burton disse:

    acho q as mais complicadas são as categorias de coadjuvante drama, atriz gostaria que Anna Gunn levasse, mas não tem como ignorar Christina Hendricks nessa temporada de Mad Men, ator mais difícil ainda, não vejo o Anão de GOT como destaque não …. os de BB bemmm melhores e os de Downton estão excelentes tb

  3. tamy disse:

    mto bom ler comentarios sobre os indicados, só não gostei dos spoilers na parte de roteiro, tô atrasada em mad men hahah

  4. Rodolfo Costa disse:

    Archie Panjabi >>>> Anna Gunn

  5. Lana disse:

    É sempre bom saber que o trabalho da talentosa Lena
    Dunham está sendo reconhecido. Fiquei sabendo dessa nova comédia escrita, dirigida
    e protagonizada por ela, Girls, que
    é um olhar cômico às humilhações sortidas e
    triunfos raros de quatro amigas em seus 20 anos vivendo na cidade de Nova York. Adorei o contexto, as atrizes, tudo dessa
    série.

  6. @ZePicelli disse:

    Que post mais bacanudo, com todo mundo participando! =D As categorias que mais me deixou com uma pulga atrás da orelha foram:

    Não me incomodo em ver Julia Louis-Dreyfuss ganhando, mas acho que Amy Poehler continua mandando muito bem no papel de Leslie Knope. A única que realmente me irritou na lista foi Zooey Deschanel, que parece atuar no piloto automático. Não que ela seja uma péssima atríz (ela até tem um timing bacana, como em uma cena em que Jess tenta falar a palavra pênis), mas diante dos outros nomes ela parece muito inferior.

    Quanto às coadjuvantes de comédia, não consigo entender o oba-oba todo em torno da Sofia Vergara. Gloria é engraçada e tudo mais, mas a impressão que me dá é de que Sofia Vergara está para Gloria assim como charlie Sheen está para C. Harper. Casey Wilson ou Eliza Coupe de Happy Endings. Por mais que adore April de Parks (e Aubrey), não consigo ver muita diferença da atriz, o que me faz questionar o quão genial é a construção dela como April.

    Em comédia, Nick Offerman é o que faz mais falta, mas a lista dos indicados está longe de ser ruim. Até da indicação do Max Greenfield gostei. A série pode ser apagada, mas isso não interfere no desempenho do ator, já que Schmidt é o grande destaque dos personagens.

    Das séries cômicas, acho que trocaria Modern Family e TBBT por Happy Endings e Community.

    Quanto à reality show, acredito TAR leve o prêmio para casa. A temporada pode não ter sido das melhores, mas a produção do programa continua sendo INCRÍVEL.

    Já drama eu até que curti tudo num geral. E por favor, alguém dê o prêmio de melhor host para Cat Deeley!

  7. Roberto disse:

    Sempre acho engraçada a pretensão dos blogueiros ao falarem
    de categorias, que, claramente, não têm formação suficiente pra comentar.

  8. celia maria disse:

    The good wife – Juliana Margulies novamente?????? Pelo amor de Deus…..serie chatéssima…………Coloca a Mariska Hargitay.

Deixe uma resposta

ss