FOTO: AMC

Por: Bruna Bottin

Breaking Bad: um ano após o fim do fenômeno

rememberdestbb

Para acompanhar a leitura desse post especial, pode dar play na música abaixo.

“Guess I got what I deserve, kept you waiting there, too long my love.
All that time, without a word, didn’t know you’d think, that I’d forget, or I’d regret…
The special love I have for you… My baby blue!”

29 de setembro de 2013: o dia que os fãs de Breaking Bad aguardavam freneticamente para decifrar qual seria o destino final do complexo Walter White/Heisenberg e seu antigo parceiro Jesse Pinkman. O episódio Felina encerrou perfeitamente a sofrida trajetória desses personagens. Walter, possuído pelo ego, abandonou seu exílio em busca de vingança e redenção. O início da vingança veio com aquele toque de humor perfeito, que só Breaking Bad consegue deixar na medida, ao trazer os sequelas Badger e Skinny Pete para assustar os magnatas Elliot e Gretchen. Depois veio a sutileza do pacote de Stevia com ricina para envenenar a neurótica Lydia (que o Mike bem que avisou que ela merecia morrer mais que muito homem por aí), e por último, mas não menos importante, a parte sangrenta e cheia de ódio e orgulho, onde Walter abraça finalmente seu alter ego – Heisenberg – para metralhar aqueles que queriam levar adiante o SEU legado. Como o Davi Garcia falou em sua excelente crítica do series finale, Walter preferia morrer abraçado ao império que criou a vê-lo associado a outrem”.

Se o desfecho da série já estava maravilhoso com o personagem de Bryan Cranston amarrando todas as pontas soltas de sua vida bandida, foi tocante o momento de redenção, quando finalmente Walter revisita a família e assume a grande verdade, que tudo o que ele fez foi apenas por ele. A família, que inicialmente até pode ter sido o fator que impulsionou a guinada em seu destino, foi substituída rapidamente pela ganância e pelo sentimento de ser o melhor em algo – seja isso ilegal ou não. Particularmente, a confissão de Walter para Skyler foi a parte mais emocionante e verdadeira de toda a série, tanto que chegou a virar tatuagem:

Não é arriscado dizer que Breaking Bad é um fenômeno da televisão. Poucas vezes vimos uma série com uma produção tão minuciosa, com figurinos ultra detalhados quando se tratava de cores, com uma direção e roteiro de nível cinematográfico. Além disso, estabeleceu fortemente uma relação afetiva com seu público ultra fiel. Você ainda imagina qual foi o destino que Jesse Pinkman tomou depois que assumiu o volante de um carro para fugir de seu cativeiro. Você ainda consegue enxergar o reflexo de Heisenberg em um daqueles tanques do laboratório que produziu a metanfetamina mais pura já vista no tráfico. Você ainda pensa no Walter Jr./Flynn na hora do café da manhã. Toda vez que você vê alguém vestindo roxo, você lembra da Marie. E você ainda consegue escutar as últimas palavras de Hank: “Do what you’re gonna do…”

Um ano depois, ainda é forte a presença de Breaking Bad. A série levou em 2014 os principais prêmios do Emmy Awards pela parte final de sua quinta temporada. Inclusive, o drama virou fator avaliativo para novas produções. Agora, nós indicamos uma série dizendo: “É muito boa, nível Breaking Bad!”. É tão difícil encontrarmos seriados que tenham início, meio e fim. Algo com lógica, que não mude abruptamente conforme audiência e afins. Vince Gilligan tinha um projeto ousado para a TV norte-americana, e o defendeu até o fim. A data de hoje, 29 de setembro, será sempre celebrada pelos grandes fãs de séries – assim como LOST Friends, que em 2014 comemoraram um período significativo desde seu encerramento, mas ainda estão eternizadas em nossa memória.

BBThankYou

9 respostas para “Breaking Bad: um ano após o fim do fenômeno”

  1. Wesley Aloisio disse:

    Legal pacaralho apertar o play do SoundCloud e ser redirecionado a uma propaganda do site =)

  2. bruna bottin disse:

    Ué, isso não era para acontecer. E pelo menos aqui no meu pc, não ocorreu. A intenção da música do SoundCloud é apenas para deixar o post mais bacana.

  3. Amg, vc clicou no banner overlay da HBO e não percebeu. Só isso ;)

  4. Bill disse:

    Muito boa a homenagem. Breaking Bad sem dúvidas foi a melhor série que já vi! Totalmente viciante!

  5. Darlan Silva disse:

    Saudades desta série… assisti ela inteira duas vezes, e ainda quero ver de novo…

  6. Judd Cruz disse:

    Detesto qnd colocam friends como parâmetro de alguma coisa, uma comedia romantica boba, e Lost então nem vou comenta essa tosqueira. Por favor colocar Breaking Bad ao lado de duas bombas é um erro sem perdão.

  7. felip disse:

    Ui, se mata

  8. Judd Cruz disse:

    “Ui, se mata” muito gay seu comentários, tanto qnt homem gostar de friends. Hauhauhua

  9. Judd Cruz disse:

    Esse ” ui” sei não heim, aposto que é fanzete de Friends kkkkkkkk

Deixe uma resposta

ss