FOTO: REPRODUçãO

Por: André Costa

Crítica | Extant 1×08: Incursion

zap-extant-season-1-episode-7-more-in-heaven-a-004

[com spoilers do episódio 1×08] O oitavo episódio desta primeira temporada de Extant é, até aqui, o melhor: investindo praticamente em apenas uma trama – a invasão da incubadora mais high-tech da história -, Incursion consegue construir sequências melhor desenvolvidas e criar um clímax eficiente, além de criar ganchos que pegam uma vareta e cutucam a curiosidade do público.

Claro, não há muito espaço para o desenvolvimento e as reações das personagens. Gordon foi uma das pessoas que tirou o bebê-alien da barriga da Molly e recebe só um tapinha na cara de reprovação, Sparks assume que Gordon o traiu porque é isso que o roteiro precisa, Kryeger fica o tempo todo gritando e sendo contra tudo porque… bem, porque sim. Se Extant nunca foi uma série que curtiu muito trabalhar com conflitos e personagens, Incursion vestiu a camisa e manteve a mesma abordagem.

Por outro lado, o episódio consegue empurrar a trama bem para a frente, jogando no liquidificador todos os segredinhos e manipulações e partindo para o caos. Sem medo de tomar decisões que vão mudar completamente o status quo estabelecido até ali, Incursion mantém um bom ritmo de revelações e possibilidades para deixar o espectador sempre interessado, além de se preocupar em mostrar como diabos Molly, Gordon e Kryeger chegaram até o lugar (ao contrário de simplesmente fazer a protagonista surgir no meio de uma instalação secreta, né episódio anterior?). Toda a segurança que as personagens tinham até ali foi para o espaço com a fuga do bebê alien, o que torna as coisas mais imprevisíveis e alimenta novas perguntas (afinal, o que é o “descendente”? Ele cresceu? Precisa de um hospedeiro? Precisa de Molly? Até onde Sparks e Yasumoto sabem o que ele pode e não pode fazer?).

Do outro lado, temos Ethan assumindo cada vez mais a característica humana da adolescência – revoltas contra ordens (tirar os tênis, não sair de bicicleta) e questionamento do mundo ao redor. Aliás, é curioso que tanto a cria de John quanto a de Molly estejam a) se rebelando contra o ambiente ao redor e b) não sendo humanas, dividindo o casal em diferentes abordagens: enquanto a protagonista não mede esforços para ver o que aquela coisa alienígena consegue fazer, John tem receio do comportamento de Ethan, tentando podar o garoto-máquina (e descobrindo, ao longo do caminho, que o tão sonhado livre arbítrio da inteligência artificial também o exclui do comando que ele não parece querer abrir mão). E ainda há os terroristas anti-tecnologia, que parecem ter conseguido uma ótima brecha com a presença de Odin na casa de Ethan.

Finalizando com um bonito e intenso clímax, que, debaixo de uma luz vermelha e de muita psicologia, brinca com os poderes do “descendente”, com os objetivos de cada indivíduo (Molly quer abrir a câmera, Kryeger quer dar tiros na supracitada câmara, Sparks quer a filha de volta) e consegue criar tensão na sequência, além de deixar um gancho descomunal para o próximo episódio. Assim, Incursion é uma ótima surpresa e, quem sabe (e com bastante otimismo, é verdade), um indicativo de que os próximos episódios da temporada vão fugir do lugar comum e realmente apresentar algo diferenciado.

4star

Deixe uma resposta

ss