FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Morre Roberto Gomez Bolaños, o eterno e querido Chaves, aos 85 anos

chaves

A rede de televisão mexicana Televisa anunciou há pouco que morreu hoje, 28 de novembro de 2014, Roberto Gomez Bolaños, criador e intérprete dos queridos personagens Chaves e Chapolin. “Chespirito”, apelido carinhoso pelo qual era conhecido, tinha 85 anos e sofria de problemas pulmonares. Ele faleceu devido a complicações respiratórias em sua residência em Cancún. A notícia também foi confirmada pela rede de televisão CNN.

Bolaños nasceu em 1929 e era sobrinho do ex-presidente do México Gustavo Díaz Bolaños. Filho de uma secretária e de um cartunista, ele formou-se em engenharia elétrica, mas logo seguiu para a profissão de ator, sua paixão. Atuou no rádio e na TV na década de 50 e tornou-se roteirista de esquetes humorísticos e para o cinema. O apelido Chespirito é diminutivo de Shakespeare e foi dado pelo diretor Agustín Delgado, pois o considerava capaz de escrever roteiros versáteis e inteligentes como os do autor inglês.

Seus personagens mais célebres começaram a ser formados no humorístico Los Supergenios de la Mesa Quadrada, onde contracenavam com Bolaños Ramón Valdés (Seu Madruga), Rubén Aguirre (Professor Girafales) e María Antonieta de las Nieves (Chiquinha). Criou o Chapolin em 1970 como esquete deste mesmo programa e, no ano seguinte, veio o “Chavo” (no Brasil, Chaves), personagens que logo derivaram suas próprias séries independentes, El Chavo del Ocho El Chapulín Colorado em 1973, após o fim do programa Chespirito. Em 1975, a Chaves era vista por 350 milhões de espectadores nas Américas e ficou no ar até 1980. Depois, virou um quadro do Programa Chespirito, que retornou, permanecendo no ar até 1992.

Bolaños teve dois casamentos, o mais recente com Florinda Meza (a Dona Florinda). Deixou seis filhos, todos com a primeira esposa. Em 2013 foi honrado com o prêmio espanhol Ondas Iberoamericano pea trajetória exemplar na TV mundial.

Deixe uma resposta

ss