FOTO: REPRODUçãO

Por: André Costa

O desfile das Escolas de Samba das séries

O carnaval está logo aí, e, como todos sabem, ninguém fica indiferente ao samba no pé e às desculpas para encher a cara e fazer loucuras na mão – nem mesmo nossos amigos da televisão (e do Netflix!), que ganham aqui um merecido desfile à altura de suas ambições folionas.

Império de Casa Branca

house of cards carnaval

Intérprete/puxador: Frank Underwood
Samba-enredo:Ó Abre Alas Que Eu Quero Passar
Mestre-sala: Carrie Underwood
Porta-bandeira: O povo dos Estados Unidos da América
Rainha da bateria: Costelas feitas pelo Freddy
Destaque: Comissão de chantagem

Análise do desfile:
Início promissor, ensaiado, organizado, seguindo bem o ritmo, com o Bloco do Povo fazendo um papel eficiente como base para as outras alas e comissões brilharem. Mas o desfile virou tragédia quando um megalomaníaco carro alegórico, ornamentado com um rosto de Frank Underwood do tamanho da Casa Branca, saiu atropelando todo mundo.

Nota: 3/10

Unidos da Ilha do Urso Polar

lost carnaval

Intérprete/puxador: Drive Shaft
Samba-enredo:Deixa o Magnetismo Me Levar
Mestre-sala: Jacob
Porta-bandeira: Ben Linus
Rainha da bateria: A narrativa não-linear
Destaque: Ala das escotilhas

Análise do desfile:
Muitos carros alegóricos grandiosos e bem ornamentados, grande diversidade de fantasias e elementos, mas a comissão de frente teimava em subitamente ir para trás, e depois voltou para a frente, e depois, pasmem, decidiu ir para os lados. Um tanto estranho não deixarem passistas grávidas desfilarem, mas ok. Alguns efeitos foram prejudicados pelo excesso de fumaça e aquele cachorro poderia ter uma participação maior. O carro alegórico do avião quebrado, entretanto, ficou impecável – a qualidade foi tanta que nem entendi porque um dos organizadores queria desfilar de novo, já que ele ficava gritando “we have to go back!”

Nota: 8/10

Dragões da Fiel Torcida

game of thrones carnaval

Intérprete/puxador: O choque dramático
Samba-enredo:Atrás da Próxima Temporada Só Não Vai Quem Já Morreu
Mestre-sala: Tyrion Lannister
Porta-bandeira: A primeira profissional da vida que dobrar a esquina
Rainha da bateria: Como tentar definir um rei já rendeu muita confusão, a escola abdicou de escalar uma rainha
Destaque: Ala dos passistas (desta para uma melhor)

Análise do desfile:
Um dos desfiles mais polêmicos da noite. Quando pisaram no sambódromo até parecia que seria um desfile bem tradicional, pois abordava um elemento bem característico do carnaval (i.e. putaria). Mas logo a Comissão dos Lannisters decidiu que Joffrey devia ser o intérprete/puxador e acabou fazendo com que os integrantes da bateria usassem suas caixas de guerra como, bem, como caixas de guerra. O resultado foi uma feroz batalha campal, disputada com cuícas e acessórios, e todo o sangue e violência eram horríveis de ver (além do mais, os gritos de sofrimento estavam descompassados em relação ao ritmo). A confusão respingou bastante na Ala do Casamento – e vou dizer que a noiva provavelmente não era virgem, porque a fantasia dela definitivamente não ficou branca -, e a coisa só arrefeceu um pouco quando todo mundo se virou para ver se o velhote barbudo da Velha Guarda ia aguentar até o final do desfile.

Nota: 4/10

Acadêmicos da Grande Referência Pop

Community carnaval

Intérprete/puxador: Pierce “vovô flatulento” Hawthorne
Samba-enredo:Troy and Abed in Sambódromo
Mestre-sala: Dean Pelton
Porta-bandeira: Jeff Winger (imitando Dean Pelton)
Rainha da bateria: Annie Edison, com Britta Perry no papel de Inimiga da Monarquia
Destaque: Comissão do Paintball

Análise do desfile:
O que parecia um desfile de escola de samba tradicional acabou se tornando um elaborado exercício de metalinguagem carnavalesca, apropriando-se de elementos e temas tradicionais da celebração (como a desculpa pra usar pouca roupa) para criar um desfile que é ao mesmo tempo uma homenagem e uma crítica às convenções do gênero – e se a Ala das Imagens Para Entrarem Nas Capas dos Portais de Notícias e Agregarem Cliques foi uma ideia inspirada, com todos os integrantes vestindo uma collant de corpo inteiro que emulava um corpo nu, o carro alegórico com pessoas produzindo carros alegóricos para desfiles de carnaval foi o ápice da apresentação.

Nota: 9/10

Unidos de Central Perk

friends carnaval

Intérprete/puxador: Ross Geller
Samba-enredo:Todo Mundo Estava Dando um Tempo
Mestre-cozinha: Monica Geller
Porta-bandeira: Phoebe Buffay ou Rachel Green (depende de quem realmente foi a culpa do incêndio no apartamento)
Rainha da bateria: Chandler Bing e a dancinha definitiva (Joey Tribbiani fez teste para o papel, mas não conseguiu porque cheirava à peixe)
Destaque: Alas Vegas

Análise do desfile:
Um dos favoritos do público, o desfile levou o sambódromo inteiro ao delírio com o Bloco do Comentário Sarcástico e a incrivelmente bem coreografada alternância entre a Ala do Apê 19 e a Ala do Apê 20. Em pouco mais de uma hora, a escola conseguiu ir de Nova York a Londres com naturalidade, e a forma com que o carro alegórico Phoebe Buffay se dividiu em três carros menores iguais foi um dos pontos altos da noite – eclipsado apenas pela surpreendente e repentina imitação de Baywatch no sambódromo. Ao final, o que melhor definiu a qualidade do desfile foi o comentário de uma espectadora de rosto longilíneo, cabelos cacheados e nariz avantajado: “oh my god!

Nota: 10/10

Faraó Ozymandinense

breaking bad carnavalFOTO: AMC

Intérprete/puxador: Walter White
Samba-enredo:A Metanfetamina do Vovô Não Sobe Mais
Mestre-sala: Heisenberg
Porta-bandeira: Jesse Pinkman (usando ponto eletrônico para receber as orientações de Walter White)
Rainha da bateria: A química.
Destaque: Ala das bitch!anas

Análise do desfile:
Não entendi nada: foi uma simples apresentação sobre um lava-jato. Alguns carros indo, alguns carros vindo, alguma água e ponto final. E tudo muito quadrado, certinho, nenhum errinho ou improvisação em nada. Não entendo como os donos da escola de samba têm uma vida tão folgada, já que com essa falta de criatividade ela não deve render muito dinheiro. Ao menos distribuíram frango frito para o público.

Nota: 4/10

Elementares do Caro Watson

sherlock carnaval

Intérprete/puxador: Benedict Cumberbatch
Samba-enredo:Me Dá uma Temporada Aí
Mestre-sala: John Watson
Porta-bandeira: Sherlock Holmes, mas só porque houve um crime no sambódromo (suspeitam que uma das escolas de samba está usando o desfile para lavar dinheiro de drogas)
Rainha da bateria: Senhora Hudson
Destaque: Comissão da Atenção Para os Detalhes

Análise do desfile:
Muito irregular. Os blocos, alas, carros alegóricos etc eram extremamente inventivos e intensos, retratando temas sombrios e complexos (o monstruoso carro alegórico da Comissão dos Baskerville é um bom exemplo), mas alguma falta de organização fazia com que houvesse uma demora de dez ou até mesmo vinte! minutos a cada três atrações. De qualquer jeito, o desfile mostrou bastante força ao conferir ritmos modernos a harmonias mais tradicionais, conseguindo assim um incrível equilíbrio entre homenagem e criatividade. Alguns deslizes com a a Ala da Scotland Yard (que parecia meio perdida) e o diretor da bateria, Professambô Moriarty (estava frequentemente à frente do compasso), é verdade, mas o desfile foi mais do que eficiente na sua parte mais…. como é mesmo a palavra? sua parte mais elementar.

2 respostas para “O desfile das Escolas de Samba das séries”

  1. Marcos disse:

    Isso sim eu assistiria!!!
    Me rachei de rir com a Comissão de Frente da Unidos da Ilha do Urso Polar.

  2. Janaina Helena disse:

    Muito criativo! show .

Deixe uma resposta

ss