FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Wayward Pines: uma série que você já viu (muitas vezes) antes

waywardpines

M. Night Shymalan já foi considerado outrora o mestre do suspense nos cinemas graças a longas autorais e interessantes como The Sixth SenseUnbreakbleSigns e até The Village (que gosto bastante), mas à medida em que o sucesso crescia a sua capacidade em entregar obras relevantes diminuía consideravelmente e as bombas Lady in the WaterThe HappeningAfter Earth estão aí pra comprovar isso. Assim, foi com certa ressalva que fui assistir ao piloto de Wayward Pines, minissérie de 10 episódios da qual ele produziu e dirigiu (somente) o piloto para a FOX.

Primeiramente falaremos de originalidade, algo que Wayward Pines, pelo menos à primeira visita, não tem. A série começa com o primeiríssimo plano de um olho se abrindo, para depois mostrar um homem de terno com o rosto machucado deitado numa mata acordando transtornado após um acidente. Aos poucos ele vai lembrando o que ocorreu. Poxa, onde será que já vimos isso antes?

waywardcopy

Whoa. Ainda que encaremos isso como uma homenagem a LOST, o que vemos nos minutos seguintes é um longo e imenso “mais do mesmo” de todas as séries de mistério que seguiram o drama dos sobreviventes do Oceanic 815, só que na roupagem de “cidadezinha misteriosa” Twin Peaks. Ethan Burke (Matt Dillon) então se levanta e vai parar em Hayward Pines, cidade do interior aparentemente pacata, mas que aos poucos vai mostrando que na verdade ele está em alguma espécie de prisão.

Uma aparente conspiração? Tem. Sequências de sonho que se misturam com a realidade e não sabemos o que é o que? Tem. Personagens que ajudam o heroi em momentos importantes e somem do nada? Tem. Indícios de um experimento científico na cidade? Tem. Indícios de um experimento psicológico? Tem. Sinais de que tudo pode não passar de um delírio ou o mocinho na verdade é o vilão? Tem também, sim senhor. A roupagem dada, assim como a ambientação, são boas, mas disfarçam o tom vazio que percorre o restante do capítulo.

Mesmo que nenhuma destas teorias se confirme, fato é que o piloto sugestiona de forma bem clara tudo isso, emulando elementos de The Twilight Zone, Fringe, Life on Mars (especialmente essa), a da já mencionada LOST, American Horror Story etc. Matt Dillon aparece aqui no automático e há ao fim do capítulo a sensação de que foi mostrado muito mais do que deveriam para a parte 1 de 10 com aquele plano aéreo que revela os limítrofes da cidade/prisão.

waywardpines2

Assim, é impossível não sair deste episódio com uma sensação de já ter visto algo familiar, mas ao mesmo tempo genérico e sem vida, já que o mal estabelecimento do protagonista e suas motivações impede que torçamos por ele e o excesso de personagens (da atendente do bar interpretada por Juliette Lewis à enfermeira sádica vivida por Melissa Leo) só deixa a experiência mais frustrante, pois não temos a que nos agarrar para motivar a continuar desvendando esse mistério. Espero que Wayward Pines melhore muito daqui pra frente, pois M. Night Shynalan está precisando de um acerto em sua carreira.

2star

14 respostas para “Wayward Pines: uma série que você já viu (muitas vezes) antes”

  1. Wagner Rezende disse:

    Bom, se ele ver a merda gigantesca que foi as últimas temporadas de Lost, e resolveu fazer uma série no mesmo estilo, ótimo.
    estou curioso e espero que essa seja um Lost que saiba ser finalizada.

  2. Magnosama disse:

    verdade,
    copiar os pontos fortes de Lost não é um problema em si, será se copiar tbm os fracos.

  3. Flavio disse:

    Como esse Bruno Carvalho é ranzinza, tendencioso e só fala bosta, tenho que conferir.
    Geralmente quando ele não gosta, o negocio é bom.

  4. Colega, não existe crítica imparcial. Cada um pode assistir e formar as suas próprias conclusões. Abs!

  5. Bruno disse:

    Muitas conclusões gerais sobre a série baseada só no primeiro episódio. Não achei nada demais, mas ainda bem que já revelaram fatos importantes já no primeiro episódio, isso é um mérito.

  6. Caramba, quando vi a primeira sequência, pensei: Não Shymalan, apenas não! Homenagem é uma coisa, cópia é outra, mas ok. O inegável estilo próprio dele já funcionou antes e todos sabemos todos os detalhes de como ele constrói as narrativas e talvez esse seja o problema. Se vai começar a trabalhar outros formatos, insira novos padrões oras! Eu tenho um caso de amor e ódio com ele, por isso vou assistir a temporada, mas vamos ver o que acontece.

  7. Dênis disse:

    Ótima série!

  8. Allan Fábio Carnaúba disse:

    Ótima série, e o segundo episódio superou o primeiro em todos os quesitos. Esse bruno que é mão amado mesmo.

  9. PlantsVSjunior disse:

    Não achei NADA de graça no trailer! AMO o shyamalam mas… to com preguiça de assistir o piloto dessa série.

  10. Leo Zulluh disse:

    Me pareceu aquela minissérie, que já era um remake de outra muita antiga, The Prisioner, que tinha Ian McKellen e Jim Caviezel como principais da história. Quando li a sinopse identifiquei isso de cara.

  11. Wellington disse:

    Gostei muito dessa serie e espero que continue por bastante tempo o EP 3 foi muito massa apesar da amargura na critica aqui em cima recomendo muito uma serie que estar se desenvolvendo e tem tudo para conquistar muitos fãs com os mistérios sem muito lenga lenga

  12. Jacques Costa disse:

    A serie comecou com aquele misterio, mais no episodio 6 melhorou muito ate me surpreendeu, pena que sao apenas 10 episodios quando a chapa esquenta termina. ou melhor esfria.

  13. Kelly Castro disse:

    A coisa mais sensata que li nesse site.

  14. dsd@gmail.com disse:

    Wayward pines é uma otima serie!
    sem mais ;D

Deixe uma resposta

ss