FOTO: AMC

Por: Bruno Carvalho

Diretora conta segredos nunca revelados sobre Breaking Bad!

breaking bad carnavalFOTO: AMC

Em recente entrevista ao jornal The Huffington Post, a diretora de elenco Sharon Bialy revelou segredos até então desconhecidos sobre o processo de casting de Breaking Bad, série de Vince Gilligan estrelada por Bryan Cranston e Arron Paul. Sócia de Sherry Thomas na empresa Bialy/Thomas & Associates, as duas são responsáveis por selecionar talentos para diversas produções de Hollywood.

Um dos maiores desafios de Bialy foi a de superar a exigência dos executivos do então estreante canal AMC de chamar apenas rostos famosos e consolidados. No lugar, ao lado de Vince Gilligan, elas precisaram convencer a diretoria para achar os atores certos e não necessariamente grandes nomes do cinema e da TV.

Vamos às curiosidades:

Jonathan Banks “não poderia ser melhor” para o papel de Mike

Quando as sócias estavam no processo de seleção para o personagem Mike, algoz e depois aliado de Walter White e Jesse, Bialy contou que Sherry escreveu no formulário: “Melhor que ele não há. Muito bom, mesmo”. Elas o classificaram como uma escolha “simples, mas ideal” para o papel e nenhum outro ator chegou tão perto do que Vince Gilligan tinha imaginado para o personagem. Ela tem, inclusive, a anotação da época:

o-SHARON-BIALY-570

Seinfeld no currículo

Uma das maiores sitcoms dos anos 90, Seinfeld, foi o terreno perfeito para explorar atores, incluindo o próprio Cranston, que já havia participado da série e também Bob Odenkirk, Anna Guun, Nigel Gibbs, Larry Hankin, Mark Harelik e Jessica Hetch (a Gretchen). Mas isso não ocorreu por conta de alguma exigência de Gilligan. Na verdade, a agência de casting começou a distanciar-se do meio cômico e ficou cada vez menos procurada para selecionar atores de comédia. Por isso, as sócias decidiram que iriam colocar comediantes em Breaking Bad por conta própria. O resultado é que a BT&A passou a ser referência no placement de atores cômicos no mundo dramático. O vídeo abaixo mostra a conexão entre atores de SeinfeldBreaking Bad:

Bryan Cranston entrou em Breaking Bad por uma coincidência

Como já sabemos, Cranston não era o principal escolhido para o papel de Walter White. Matthew Broderick (Godzilla) e John Cusack (Being John Malkovich) eram os atores que a AMC queria contratar. Cranston havia sido entrevistado pelas diretoras para outro papel – uma peça de teatro de Aaron Sorkin (The Newsroom) – quinze dias antes do encontro com Gilligan na AMC. Com o material em mãos e já decididas que Broderick e Cusack não eram ideais, elas foram lá e sugeriram o nome de Cranston para o diretor e o mesmo contara que era justamente ele a escolha do diretor. Nada havia sido combinado e se Cranston não tivesse feito o teste para o teatro, provavelmente não teria entrado no papel. Isso porque Gilligan já conhecia Cranston de The X Files, onde o ator havia feito uma ponta como convidado.

Aaron Paul e R.J. Mitte quase não entraram na série por serem “bonitos demais” para os papeis de Jesse e Walter Jr (Flynn)

Vince Gilligan não queria galãs para os papeis de Jesse Pinkman e Walter Jr. Este último fora desenvolvido para ser um personagem com deficiência física, mas Mitte foi considerado “muito bonito”. As diretoras contaram que precisou de uma conversa “muito difícil e intensa” para convencer o diretor que R.J. Mitte, ator que sofreu paralisia cerebral na vida real, já havia feito muitas horas de fono e fisioterapia e estava preparado para interpretar o personagem. Eles também precisavam que o personagem fosse mais debilitado que o ator R.J. apresentava.

Outro que quase não entrou por sua beleza foi Aaron Paul. Já haviam circulado boatos de que ele fora considerado bonito demais para o que o diretor imaginava para o papel de Jesse e as diretoras confirmaram. “A questão de Paul causou muitos receios, inclusive por ele ser velho demais“, mas o teste dele falou mais alto. Assista:

SDDS!

Deixe uma resposta

ss