FOTO: REPRODUçãO

Por: André Costa

Crítica | A bagunça que é Batman vs. Superman: A Origem da Justiça

batman vs superman

Quando a filosofia heróica conflitante de Batman e Superman chega ao limite e Os Vingadores atinge mais de um bilhão e meio de dólares em bilheteria, a DC/Warner decide que é hora de jogar suas duas principais marcas uma contra a outra e, da fissão resultante, partir para um filme da Liga da Justiça.

Sabe quando sua mãe te obriga a ligar para aquele primo com quem você não fala há anos para dar os parabéns por alguma coisa? Batman vs. Superman: A Origem da Justiça segue pelo mesmo caminho: não é o filme que a DC/Warner queria fazer, não é o filme que precisavam fazer, mas é o filme que se sentiram obrigadas a fazer. Com o universo fílmico da Marvel já na linha das 80 jardas, a turma do Superman decidiu apertar o passo para tentar competir e o resultado é uma produção apressada num engavetamento de sequências que não consegue ser efetivamente uma história contada de forma satisfatória – algo recorrente na filmografia de Zack Snyder, o fanfarrão.

Afinal, essa produção precisava, ao mesmo tempo: reapresentar o Batman (já que no Batman do Nolan não havia espaço para Supermans e Mulheres Maravilhas), retomar os eventos de Homem de Aço, criar um motivo para o homem-morcego ir atrás do Super-Homem, criar um motivo para este querer transformar a cara do Batman em diamante, narrar toda a trama de Lex Luthor, inserir a Lois Lane para justificar o contrato da Amy Adams, apresentar a Liga da Justiça, e, mais importante, pancadaria. Não há espaço para arcos dramáticos ou desenvolvimento de temas interessantes, mesmo com as inchadas 2h40 de duração.

É muita informação e o pouco espaço que sobra é desperdiçado por alucinações/sonhos vívidos/devaneios/flashbacks que só vão fazer sentido em outros filmes (como a do deserto), diálogos constrangedores (“você voou perto demais do sol“, “ding ding ding ding“) e conflitos vazios como um pastel de rodoviária (os questionamentos de Batman e Superman sobre seus próprios caminhos duram menos do que um tweet, e temas bacanas como a influência do Superman na política externa são abandonados assim que cumprem sua função básica). Tudo é muito rápido. Tem muita coisa acontecendo e as tramas não se conectam de forma orgânica, não há uma linha narrativa que dê para seguir com a confiança de saber o que está rolando. Na ânsia de querer condensar tudo em um só lugar, Batman vs. Superman é atropelado pela sua própria história.

batman superman 2

Não ajuda também que o objetivo de Snyder seja atingir a megalomania total e definitiva, já que todas as cenas querem se mostrar incrivelmente importantes, grandiosas, épicas, olímpicas, como se o filme fosse todo composto de momentos pensados para o trailer – sempre há um plongée, um olhar para o horizonte, alguma frase de biscoito da sorte pipocando para garantir que tudo é significativo e nada é apenas uma cena entre outras duas. E digo algo importante: Snyder não sabe contar uma história, ainda mais a partir desse texto fraco de Chris Terio e David S. Goyer. Ponto. Não sabe que o espectador precisa se identificar com alguém na telona.

A trama é exposta de forma trôpega (só ver que a função de Lois no filme é puramente operacional: ser o veículo para o Super expor pensamentos e sentimentos e atrair a atenção dele em momentos importantes, para depois ser abandonada onde estiver), frequentemente ignorando detalhes (como o Homem de Aço sabia que o plano do Batman era pegar aquele objeto?) e partindo para soluções mixurucas (chega ao ponto de Alfred já ter “escutado uma conversa” e realizado todo o trabalho detetivesco só para economizar tempo) ou dando um tapão na mesa e dizendo “todo mundo cala a boca agora que eu quero falar da Liga da Justiça”. Como se não bastasse, o humor completamente deslocado parece ter surgido apenas porque “é blockbuster e blockbuster tem que ter humor, bota uma piadinha ali em qualquer lugar porque rende”.

A película, claro, é bem produzida, embora alguns bonecos digitais estejam beirando os 16 bits. Mas o visual do Batman é provavelmente o mais legal de todos os filmes da personagem, e há de se elogiar uma equipe que coloca um sujeito vestindo um collant azul no meio de pessoas normais sem que isso soe ridículo. Além disso, Batman vs. Superman consegue criar um pouco de tensão na luta entre os dois protagonistas, o que já é um feito considerando que um deles poderia acabar com o outro com a mesma quantidade de esforço que Chris Terio e David S. Goyer usaram na construção do roteiro (e um momento em particular é bem intenso, usando a pista-recompensa de forma eficiente para determinar como as coisas acontecem).

Entretanto, Snyder começa a babar e a tremer e se se injeta sequências em câmera lenta para alimentar o vício, mas sem ser capaz de construir uma coreografia de batalha empolgante e que não pareça um amontoado de pixels, brilhos e estrondos envoltos em uma nuvem de poeira e detritos. Todo o terceiro ato é basicamente uma interminável fase de videogame, na real. É quase impossível distinguir uma cena da outra, a não ser pela aparição da Mulher Maravilha, que certamente surge apenas como teaser para o seu próprio filme.

batman vs superman 2

Contrariando todas as expectativas, Ben Affleck cumpre bem as funções morceguísticas, ilustrando com eficiência a raiva e a frustração que dominam o homem-morcego, embora sua contribuição ao filme pudesse ter sido muito maior se tivesse dado um golpe de Estado e assumido a direção. Henry Cavill, por outro lado, mantém o Superman sempre na ionosfera e não consegue aproximar o homem de aço de qualquer tipo de identificação que não seja com um bloco de concreto (tenho muito medo desse  Superman dele. Não há nenhum componente remotamente humano na personagem, o que deveria ser sua principal característica).

O resto bate o ponto ali e vai embora, com um pouco de destaque para o magnestimo de Jesse Eisenberg (que exagera de vez em quando, mas, no geral, transforma Luthor no Mark Zuckerberg da DC) e o o momento onde ele mostra fotos como se fossem cartas de baralho – o ás na manga – é brilhante. Já Jeremy Irons tem carisma, mas não sobre quase nenhum espaço para desenvolver seu jovial Alfred. Sem praticamente nenhuma tarefa no roteiro a não ser parecer dissimulada, Gal Gadot não pode fazer nada além de mostrar que interage bem com os colegas e não ficará deslocada na Liga da Justiça.

Prejudicado pela trilha que marreta incessantemente o que parece ser um castigo divino, Batman vs. Superman ainda é alvo do sofrível 3D convertido – que, além de não acrescentar nada (Snyder usa uma profundidade de campo assaz curta), piora a situação porque os óculos da tal terceira dimensão só atrapalham um filme que já é por demais escuro. Com exceção de auto-flagelo, não há nenhum motivo para assistir à película em 3D (embora seja difícil achar uma cópia em 2D nos cinemas).

batmansuperman

No final das contas, um dos principais problemas é que a produção se mostra refém do filme da Liga da Justiça. Por isso, além de quebrar o ritmo para atirar na tela pistas que fazem o coração dos fãs bater mais rápido, acaba investindo na construção de mitos que podem ser vendidos em trailers grandiosos, deixando de lado os elementos que envolvem as pessoas nas histórias. Os conflitos dramáticos superficiais não são dignos de uma produção que, ao menos marketingamente, tenta colocar um oponente como sendo luz e o outro como sendo trevas. No que diz respeito ao embate moral e filosófico entre duas escolas diferentes de pensamento, fica devendo. No que diz respeito a um filme envolvente e intenso, também fica devendo. É uma bagunça fora de controle que precisava muito de uma mão mais firme em sua condução, especialmente por estar lidando com personagens tão grandiosos e queridos por tanta gente. Os fãs mereciam mais.

2star

62 respostas para “Crítica | A bagunça que é Batman vs. Superman: A Origem da Justiça”

  1. Junior disse:

    Mais um site forçando a barra pra ir na onda dos críticos americanos. Não pode mais se esperar credibilidade de veículos de informações brasileiros, credo.

  2. Ramon Ewbank disse:

    Cês são um bando de baba ovo da marvel e netflix.

  3. Ariel disse:

    “a DC/Warner decide que é hora de jogar suas duas principais marcas uma contra a outra e, da fissão resultante, partir para um filme da Liga da Justiça”

    Só esse trecho, que é o começo da crítica, mostra o quanto estão despreparados pra fazer essa crítica. Foi um ótimo filme, cheio de referências, um fã service absurdo e lindo de ver. Tem que ser muito hater pra falar mal desse filme e do Snyder.

  4. Guilherme Dias disse:

    Desde o segundo trailer eu já não esperava nada muito diferente disso. Mas vou acabar aproveitando o fim de semana e cumprindo meu papel de verme comprando o ingresso.

  5. Luiz Pratanos disse:

    A forma como o filme é contado me incomodou bastante. Ficaram revezando tanto as cenas entre Batman/Super/Lex/Lois Batman/Super/Lex/Lois Batman/Super/Lex/Lois que não fluiu legal. Até finalmente juntar todos no desfecho final. Parece que deram o filme pra ser editado ao sobrinho que aprendeu a mexer no Sony Vegas!

    O Lex tá bobão demais! Inovou?! Ok! Mas inovou mal! Cadê o Lex do Michael Rosenbaum?! Se teve algo bom em Smallville foi aquele Lex. Com respeito, rancor, medo e inveja do Superman.

    Para mim o que salvou o filme foram as “surpresas” sobre a Liga e a cena do Flash!

    Como fã da DC e Marvel, eu gostaria muito que esse carro abre alas tivesse destruído! Afinal, a competitividade leva ao melhor, mas infelizmente não aconteceu!

  6. Pati Melo disse:

    Tudo que eu tirei dessa crítica: vc não entendeu o filme, não é fã da DC, nunca leu um quadrinho do Superman na sua vida, não pegou as referencias e provavelmente é um marvette da vida. Sinceramente falar que o filme é uma sequencia de cenas aleatórias é a coisa mais ridícula que eu li até agora, se tem uma coisa que o filme tem é coerência, o roteiro é sim bem construído, a introdução da Liga da Justiça é muito bem feita e ocupa pouquíssimo tempo de tela, a trilha sonora é maravilhosa, o terceiro ato do filme é absolutamente grandioso, a aparição da Mulher Maravilha é SENSACIONAL e essa versão do Lex é a melhor já feita, seja no cinema ou na tv. Você pode não ter gostado do filme, esse é um direito seu, mas escrever uma crítica dessas é ridículo.

  7. Lord_Tec disse:

    Otima Crítica

  8. matheus disse:

    O filme é encaixado com contexto em base nos acontecimentos do “Homem de Aço”. A fotografia do filme é linda, parece arte conceitual em tela, como todas do Zack. E além de tudo, é um filme de heróis, sério, mas de heróis, querer roteiros complexos demais para o segundo filme da abertura de um Universo nos cinemas é exagerado, tudo aquilo ainda será distrinchado, e sobre costura: a Marvel veio tentar um roteiro complexo agora em Civil War (e ainda assim bem pouco complexo, já que será uma história de amor entre Bucky e Steve, pelas palavras do Diretor). O filme trouxe a nostalgia da Liga da Justiça dos Quadrinhos e dos Desenhos Animados, e o Zack disse que a proposta é essa: um filme de fã, para fã. Cabe entender isso.

    É completamente baseado nas HQs. Temos uma adaptação misturando A Morte do Superman, O Cavaleiro das Trevas, Morte da Família, Crise nas infinitas Terras, Reino do Amanhã, Flashpoint entre outras. Nada nesse filme surgiu do nada, TUDO foi respeitando inteiramente o material de origem.

    O Lex não é o Lex que você tá pensando. Ele é Alexander Luthor Jr, filho de Alexander Luthor que é filho de Lionel Luthor. Ele é o filho de Lex, o fundador da LexCorp, e neto de Lionel Luthor, fundador da LuthorCorp.

    Spoiler: Flash aparecendo para o Batman remete Crise nas Infinitas Terras, Flashpoint e até Injustice. Mais uma vez, tudo brilhantemente calculado para ser exatamente um material referencial á HQ, que é a proposta.

    O erro da DC é se apegar aos quadrinhos. Deviam fazer que nem a Marvel, um trabalho porco feito para o grande público, já que um trabalho bem feito para um público menor não rende.

  9. Barbara Vieira disse:

    Na boa, essa crítica é daquelas pra chamar atenção e criar treta desnecessária na internet. Eu não sou fã da DC e odeio Batman e Superman mas mesmo assim assisti ao filme, confesso que eu não gostei mas sair falando mal, é desnecessário mesmo porque o filme não chega a ser péssimo da forma como muitos estão tratando. Se vc está aqui lendo essa crítica antes de ir ao cinema, não se deixe abalar.. vá ao cinema e tire vc mesmo suas próprias conclusões ;)

  10. Lela disse:

    Mais um fã da Marvel criticando o que desconhece, que feio.

  11. Vinicius Guerreiro disse:

    Pois é né. Mas pelo menos a critica não foi grosseira e destrutiva. Eu não concordo com o ponto de vista, mas andei lendo critica na internet de gente q só existe p xingar e ofender até mesmo quem está lendo. Como fã, achei mais q ótimo o filme, mesmo não gostando de um ou outro fator tipo um Batman q pega em armas e aparentemente não se preocupa em matar (foi o que pareceu). Mas teve o melhor Alfred de todos, uma Mulher Maravilha com pegada heroica q salva os 2 colegas e momentos de puro suspense. Eu dou 9 p esse filme q foi feito pensando nos fãs sim.

  12. Bruno Coriolano disse:

    Mas é a opinião do cara. Você assistiu ao filme? O que achou?

  13. André disse:

    hahaha as máscaras dos sites estão caindo, tá feio já

  14. Felipe Storino disse:

    Excelente crítica. Filme fraquíssimo que tenta abraçar o mundo e não consegue. O Batman tem 20 anos de experiência no filme, mas mesmo assim é manipulado facilmente pelo jovem Lex Luthor. Superman chamando a mãe pelo nome só pro Batman botar a mão na consciência foi uma das coisas mais patéticas que vi no cinema. E esse Lex afetado do Jesse Eisenberg teve algumas das cenas mais constrangedoras do filme.

    Os poderes do Superman só funcionam quando se trata da Lois Lane. O cara salvou ela na África, mas foi incapaz de perceber aquele atentado em Washington, sendo que estava do lado dele. Depois ele consegue escutar a Lois se afogando, mas nem pensou em procurar o cativeiro da própria mãe. Pra completar o pacote a fotografia do filme está ainda mais cinza do que em O Homem de Aço (e eu gostei desse filme).

    E o que foi aquela ceninha apresentando os outros membros da Liga da Justiça? Só serviu pra quebrar o ritmo de um filme excessivamente longo. A Warner se desesperou com o sucesso da Marvel no cinema e acabou passando a carroça por cima dos bois com esse filme.

  15. Junior disse:

    Não estou dizendo que ele é obrigado a gostar do filme e nem nada, só que esaa crítica foi feita de forma extremamente genérica e repetindo feito papagaio o que os outros falaram antes. Percebe-se que muitas dessas criticas são só para ganhar audiência, quando você vai ao cinema ou olha nesses sites que o usuário dá sua opinião sobre o filme que a recepção do público está sendo fantástica. Não tenho como tolerar como leitor do site uma crítica tão ruim, não se julga um filme pelo diretor, e sim pela obra que o mesmo está apresentando no momento, e muitos dos críticos falando mal do filme ou é pela marvel ou por trabalhos anteriores do Snyder. Pelo menos ele não está falando que o filme é muito quadrinhos como um ponto negativos como uns outros sites por aí.

  16. vinland disse:

    Cara nao ligue pra essa critica mal feita, e va ver o filme, livre de criticas. Eu gostei muito do filme, e me diverti bastante.

  17. vinland disse:

    Achei o filme fantastico, e essa critica bem porca. Um cara que nao entende nada do que esta falando. Nao gostar do filme tudo bem, mas desmerecer ele dessa forma, apenas indica o seu despreparo, para falar desse filme. Sera que se tivessemos visto essa mesma historia, em uma serie Netflix, vc teria falado tao mal assim ?

  18. Suz disse:

    Quanta coragem em reduzir a trilha criada por Hans Zimmer e Junkie XL a um “castigo divino”, quanto despreparo em afirmar que Batman vs Superman é o filme que foi obrigado a ser feito meramente por concorrência (quando o enredo é fortemente baseado em uma hq de 1986, The Dark Knight Returns, tendo, inclusive, duas animações de mesmo título, em 2012 e 2013) e quanta parcialidade em começar a crítica citando um outro filme. Assim, no que diz respeito a conhecimento de material a que se critica, fica devendo. No que diz respeito a imparcialidade, fica devendo.No que diz respeito ao disfarce de fã da Marvel, fica devendo.

  19. Bruno Coriolano disse:

    O que você achou do filme?

  20. Douglas Henrique disse:

    Eu com esse filme prometi pra mim mesmo depois de ler tanta critica negativa e gente se baseando em foto de site X ou Y que se eu assistisse e curtisse muito o filme nunca mais eu leria critica ou opiniões em redes sociais antes de ver o filme, e foi exatamente o que aconteceu, 90% das criticas não tem nada a ver, vc ve que ou a pessoa não entendeu a cena ou o filme ou simplesmente crio alguns defeitos pra ter munição pra detonar o filme. Seja por ser fan da marvel ou seja por ser como a maioria da geração atual que gosta de ser cult demais como se fosse algo mt bom achar defeito em tudo.

  21. diego machado disse:

    as críticas do André são as melhores – mesmo quando eu discordo, porque são maravilhosamente bem escritas e argumentadas. e nessa eu concordo com tudo (aliás, perdi o momento em que esse filme deixou de ser promessa de bomba, quando anunciaram o elenco, e passou a ser tão aguardado com altas expectativas; não entendi o hype).

    ah, e pessoas do “não leu a hq”, “só quer polemica”, “não entendeu”… até quando?

  22. Iasmin disse:

    Eu assisti o filme, mas acho que toda a expectativa da espera e o que os trailers nos faziam esperar, fez com que eu não enxergasse com profundidade aquilo que estava na tela, mas com admiração de quem tanto espera. O filme realmente deixa umas lacunas vazias de enredo e faz umas apelações cansativas. Fora a luta do Batman no deserto, que mesmo sendo um sonho, foi extremamente artificial, e digo isso sendo muito fã do homem morcego, porém é preciso ser racional e aceitar que o filme não foi tudo aquilo que foi “vendido” a nós.
    Claro, o filme tem excelentes pontos altos, mas as estratégias de venda deles parecem ser mais importantes, pois quando pensamos que determinada cena foi fraca, eles dizem: Esperem e comprem o blue-ray. E eu me pergunto: Vai ser realmente bom? Ter colocado a filme no cinema como +18 não seria mais efetivo?
    Acredito que ter avaliado o filme como duas estrelas é demais, o filme não é ruim a esse ponto, pra mim, umas três / quatro estrelas já fazem jus a produção.

  23. Junior disse:

    Assisti, achei bom o filme e melhor que muitos filmes do gênero que estão por aí hoje em dia, não é um filme perfeito, mas chegaria nunca a ser esse desastre todo que ele diz ser no artigo.

  24. luciano pedro disse:

    Não acreditem nas criticas de CRITICOS, leiam críticas de criticos NERDS, que sao os que realmente entendem do que nós fãs querem ver.
    O filme não é 5 estrelas, mas é 4 estrelas com certeza.

  25. Renan Domok disse:

    Eu gostei do filme como um todo, mas a questão da bagunça durante o filme também me incomodou. O fato que não tem motivo lógico nenhum para o Batman ficar obcecado pelo Superman, a não ser birra (o que deixa com aparência de que o herói mais inteligente da DC, com 20 anos como Batman, é um adolescente com dinheiro e não um mega herói preocupado com a humanidade, como deveria ser), o Superman fica devendo em expressões. Ele parece um robô em algumas cenas.
    Meu resumo do filme é: Um pra filme, que vale muito a pena assistir, mas poderia ter sido épico e não foi.

    Obs: A WW é mais homem nesse filme do que o Batman e o Superman juntos. =D

  26. Cintia Melo disse:

    Assisti ao filme e realmente achei o roteiro confuso, as motivações pífias (só o sequestro de Martha tem fundamento)… um verdadeiro festival de incoerências, Batman enfraquece S Man com criptonita e depois o próprio S Man apanha a lança de criptonita e destrói lá aquela besta âh, como? Só perguntando aos roteiristas… Muitos tomadas poderia ficar de fora e o tempo ser usado para criar uma sólida divergência entre o morcego e H d Aço, a exemplo da morte dos pais de Batman (e logo na abertura), muitos sonhos, lembranças… Achei que M Maravilha poderia ter uma participação maior… Enfim… um caos assistivel que não desejo que se repeita com a Liga da Justiça.

  27. Então está me dizendo que no universo do filme o Lex Luthor nunca foi inimigo do Superman??? Aiaiai…

  28. spezao disse:

    Realmente a maioria absoluta da crítica mundial é hater, se fosse ao contrario ai a crítica seria importante né, o filme é bom, eu gostei, mais é não perfeito, longe disso, e Snyder não deveria ser o diretor da Liga da Justiça, a Warner devia repensar isso.

  29. Ricardo Gelatti disse:

    achei o pior Alfred de todos.

  30. Ricardo Gelatti disse:

    viajou… huahuauh

  31. fabio2c disse:

    Cara, não tem como alguém elogiar esse filme. Só se for pelas questões visuais. A história, a narrativa, a maioria dos personagens… mas principalmente a DIREÇÃO do filme é uma bosta. Eu me blindei de todas críticas, não li nada, fui no cinema e tive a mesma impressão do que li depois.

  32. fabio2c disse:

    só pq feriu seus sentimentos sobre um filme bosta? desculpa… aliás, existe muita bosta feita pela Marvel (VIngadores 2, só para dar um exemplo). Não tem nada a ver!

  33. Williams disse:

    Para os fãs da DC o filme é excelente por causa das inúmeras “explosões”. Pode isso?

  34. Bruno Coriolano disse:

    Mas as pessoas não podem ter visões diferentes? Por que você não escreve um texto e publica aqui nos comentários? Acho que seria interessante e uma prática mais saudável do que sua primeira postagem.

    Boa semana!

  35. Bruno Coriolano disse:

    Mas não seria mais fácil apenas não ler mais?

  36. Magnosama disse:

    Concordo basicamente em tudo,

    talvez discorde apenas em relação a MM,

    que deu sim, seu recado. <3

  37. Magnosama disse:

    A trilha sonora desse filme é mesmo totalmente excelente,

    merece um Framboesa de Ouro tilintando na estante!!!!

  38. MatheusMnhz disse:

    otima review, o terco final do fillme foi realmente um amontoado de cenas juntas, triste

  39. Ary disse:

    BvS como os criticos falam, um filme “rurim” é melhor que todos os filmes da Marvel juntos, que filme fodaaa!!! que venha a liga da justiça, Zack Snyder o visionário!! esse filme é uma live HQ muito do caralho, esperando ancioso a versão de 3 horas.

  40. Vaga Bonds disse:

    E você Bruno, o que achou do filme?

  41. Rennato disse:

    “Sair falando mal”. Não vi em momento algum ele falando mal do filme, o que vi foi um ótimo artigo, com palavras bem colocadas, expressões e argumentos usados na medida certa Sim, só pra uma coisa ficar bem clara, pois acho que você não sabe, existe uma diferença entre “falar mal” e “critica construtiva”, que nesse caso foi uma critica construtiva que não foi a favor do filme.

  42. Leonardo Augusto Freitas disse:

    Não sou marvette nem fã da DC, nunca fui leitor assíduo de HQs mas conheço o Universo destes caras em leituras para entender um pouco o contexto do que estava por ver.

    Tentarei quebrar este filme em tópicos Prós e Contras:

    PROS
    -Lex Luthor surtado funcionou muito bem, sei que não é assim nos HQs, mas essa versão Snyder me agradou;
    – Muita fidelidade à série Cavaleiro das Trevas com a inserção das mídias no contexto da trama, muito bem encaixado;
    – Armadura e Uniforme do Batman ficaram excelentes, bem como a atuação do Ben Affleck, uma supresa das mais favoráveis;
    – Muito boa a introdução da Mulher-maravilha na trama. Aparece o suficiente para deixar sua marca e permanecer com os mistérios para a sequência.

    CONTRAS
    – Filme longo e muitas vezes arrastado, nem os cortes rápidos de uma cena para outra ajudaram no começo;
    – Cenas muito escuras, CGI usado de maneira exagerada, por vezes o batmóvel parecia simplesmente um borrão, o que dizer então dos flares nas cenas de luta, espalhafatoso;
    – Nunca, Jamais o cavaleiro das trevas, astuto investigador e detetive como é, iria cair tão facilmente na lorota criada pelo Lex para por ele frente a frente com o Superman (isso foi ridículo);
    – Cenas de Luta fraquíssimas, poderiam ter umas aulas com a produção da série Demolidor;
    – Superman outra vez água de salsicha, sempre mal utilizado, um verdadeiro mico. Sei que é difícil mas deveriam mesmo deixá-lo morto ou então que ele virasse um vilão no universo cinematográfico.

    O fã que é fã ou melhor, fanático, ao ver aquilo que tanto ama ver materializar-se diante de seus olhos também fica cego de certa forma, não quer ver os erros, simplesmente idolatrar. Quiça por serem justamente fãs, tenham saltado da cadeira várias vezes ao longo do filme enquanto que eu, apreciador de bons filmes que empolgam e contagiam não tive a mesma vontade durante o filme inteiro. Talvez tenham sido os floods de trailers que sairam, muita notícia em volta, nenhuma sacada original, mas o fato é que este filme, no final das 2 horas e lá vai pedrada não me empolgou.

  43. eric vilcek disse:

    Este filme é um aqueles que conforme vierem os próximos explicações melhores virão. O filme é bom sim !

  44. X1301120415 disse:

    O filme deve ter uns dez erros, contra noventa acertos. Mesmo assim toma bomba na prova dos críticos. Bela aritmética essa que não sabe pesar erros e acertos. Pior ainda quando trata de forma pejorativa e só resulta em gerar mais ódio pela internet. Criticar um filme e falar mal por não gostar do diretor e do ator acaba em resenha de boteco.

  45. Paulo Adriano Rocha disse:

    Sem contar que o Lex é ONISCIENTE, né? Ele simplesmente SABE TUDO, e, inclusive, já criou os logos dos membros da Liga. Só falta dizer que a Liga já era ideia dele…
    E aquele “eu sou amigo do seu filho”… KKKKKKKK. A gente tava se matando há dez minutos atrás porque ele não soube me dizer que a senhora tava presa, mas a gente é amigo, viu?
    Sério…

  46. Renata disse:

    Olha, quando vi as primeiras críticas ao filme, pensei logo que discordaria de todas elas, uma vez que os críticos de cinema, em geral, tem uma opoinião oposta ou, ao menos, bem diferente do público. No entanto, me surpreendi: achei a maioria das críticas boas até demais pro filme. Já essa do André, tá sensaciomal. Concordo com tudo. Que filmeco horroroso! Cenas completamente desconexas e aleatórias, fatos totalmente inustificáveis, motivações pífias. O Batman, por exemplo, cria birra pelo Superman sem qualquer exploração da motivação e, mediante descoberta do nome da mãe do Superman, eles simplesmente muda COMPLETAMENTE e desiste de tudo; a cena no Capitólio, ridicula, em que o Superman resiste à explosão com aquela cara apática e depois justifica pra Lois que não fez nada naquela situação, porque “não tava olhando”.. tipo, what????? O filme pode ter sido bom pra quem gosta das sequências apocalípticas de ação, pra quem queria muito ver um gancho pro filme da Liga da Justiça, agora, como roterio, meu senhooorrrr.. Foi o rotreiro mais fraco EVER de todos os filmes de super herói. Se compararmos com a série do Cavalheiro das Trevas então, que é sensacional, dá vontade de chorar!!! Fiquei com pena do Henry Cavill, que adoro, por ter feito um papel tão ridículo!

  47. N1N6U3M disse:

    BvS é uma aula de como nunca fazer um filme de super heróis.

  48. Paulo Stéffano disse:

    Cara, o filme FALHOU muito, ponto.

  49. Gabriel Inacio disse:

    Quando o texto já começa comparando esse filme a um primo que não gostaríamos de ver , já percebemos que vem lixo pela frente…
    Acho engraçado ter coragem de chamar o Seeder de fanfarrão depois disso.
    Bem…
    1 – Os sonhos são muito importantes. Não só abrem brecha para o futuro e dão um prato cheio para os fãs. Como também servem para mostrar o estado psicologismo no qual se localiza Bruce Wayne.
    2 – As cenas fazem sentido agora. Porem para o publico leigo não.
    3 – Diálogos ridículos ? os dois que você citou são excelentes.
    “Você voou perto demais do sol” é uma bela referencia a historia de Icaro.
    “Ding , Ding , Ding , Ding” Não só serve como uma referencia a simbologia dos sinos , como tambêm faz referencia aos objetos chamados de “Caixas Materna” do Universo DC.
    4 – Tanto as metáforas , quanto o resto são incríveis.
    Realmente…tão patético que prefiro não comentar o resto.
    A historia de “Filme grande demais para mente pequenas” e ridícula , porem realmente percebemos que a muitos como você que não entenderam o filme de verdade.
    Antes de criticar entenda e pense direito.

  50. Gabriel Inacio disse:

    Na verdade não. o Lex Luthor desse universo e “Alexandre Luthor” (apenas isso) e ele e a única contraparte de Lex Luthor nesse universo.
    E sim , digo isso sabendo do tal dialogo no qual ele diz que o Lex por trás da empresa era seu pai.

  51. Gabriel Inacio disse:

    Não sei o que e pior. O que você disse ou a critica…
    Poderia falar de outras coisas que você falou como a dos poderes do Superman (que já tem uma grande e boa explicação por parte do Snyder e da sua versão estendida) más..é…da vergonha de ate ler isso…
    A cena da Martha e bela e bonita. Mostra não só o estado que Bruce se localiza. Más também faz um paralelo forte entre Batman , Superman. E claro , o assassino de seus pais. Além de tudo que Bruce Wayne temia se tornar.
    Não é um comentário idiota como esse que mudara isso.

  52. Gabriel Inacio disse:

    Lex Luthor não criou os símbolos. o do Aquaman se localiza no seu cinto , o da Mulher Maravilha pode ser visto na imagem da primeira guerra mundial , o do Flash e o rastro que ele deixa no chão nas gravações da loja de conveniência. E bem… o do Cyborg e complicado. Claro que pelo jeito ele já está pronto e o Lex pode muito bem ter visto o detalhe de seu olho.

  53. Gabriel Inacio disse:

    A trilha sonora e bela. O site que fez uma critica porca e idiota.

  54. Anderson Lima disse:

    Fui assistir ao filme depois de ler essas críticas negativas e me surpreendi positivamente. O filme é ótimo. Eu, como espectador, espero que num filme de super-heróis:
    1 – Eu veja os super-heróis lutando. Feito.
    2 – Eu tenha ação e drama na história. Feito.
    3 – Eu consiga entender a motivação dos personagens para justificar suas ações. Feito.
    4 – Eu possa me divertir. Feito.
    Achei a explicação para a luta entre o Batman e o Superman incrível. Eu fiquei pensando como eles iriam justificar que o Batman conseguisse dar um soco sequer nele, mas achei a estratégia bem pensada.
    Achei a participação do “Flash” e do “Aquaman” desnecessárias, o que não acrescentou nada na trama.
    E o final… que final incrível. Não esperava e me surpreendi.

  55. Liga da Justiça disse:

    Fiquei é decepcionadíssimo com o filme. Eu tinha muita esperança ainda mais por ter gostado de mais de O Homem de Aço. O Homem de Aço foi um ideal de esperança para o DCEU(fazendo trocadilho com Um Ideal de Esperança, uma das músicas temas do filmes).
    A minha sensação é que eu estava vendo outro universo dentre aquele das 52 terras do multiverso DC e que o universo padrão, o da Terra 0 não está com história contada no DCEU (DC Extend Universe – O universo de filmes da DC Comics).
    Do fato de eu não ter gerado gosto não tem nada a ver com o uso de escolha de filmes sombrios e nem que deveria ser igual filmes da Marvel (Eu sou decenauta sistemático e só vi um filme da Marvel, na verdade 2, não 1 e meio: Quarteto Fantástico e Surfista Prateado e metade de Os Vingadores). Então, eu não conheço nada de Marvel, e a DC é meu único entretenimento.
    Vi B vs S a primeira vez esses dias, por causa de problemas pessoais (4 meses esperando e conseguir ficar sem ver nenhum spoiller) e aproveitei para ver a versão estendida primeiro. Fiz um “esquenta”, assistir A Liga da Justiça e Os Jovens Titãs – União em Ação (aliás, as animações da DC quase nunca decepciona a gente, foi aí que conheci a DC – saudades do DCAU), assistir o primeiro encontro do Batman com o Superman em Super-Homem: A Série Animada (pois na época acontecia também o universo compartilhado e depois houve também a fundação da Liga da Justiça), fui assistir com uma camisa com sublimação de uma imagem da Liga da Justiça para entrar no clima e a 1 ano cheguei a por 15 megas de minha invés de 2 megas, que era minha ideia inicial, só para baixar os novos filmes da DC. Acompanho a DC em tudo, HQs, animações e agora o começo dos filmes (só não cito as séries, pois não sobra tempo).
    Achei sensacional a escolha do título e a trama de unir Batman e Superman em uma estranhada para depois eles se juntarem na formação da Liga da Justiça. Mas aí veio a decepção por causa das escolhas de roteiro e direção: Um filme sem conexões. Um filme deprê e sem inspiração, e não é pelo fato de ser sombrio, tá mais em no fato de optarem em não ser um filme de super-heróis e sim um filme de deuses.
    A ideia de ser sombrio como característica dos filmes DC é ótima, nada de um filme pra família, nada de filmes para assistir na Temperatura Máxima, é a diferenciação da Warner e DC e se for voltar atrás o erro será maior ainda. O Homem de Aço, para mim foi uma fórmula que deu certo assim. Mas a queda de B vs S foi em não tratar de heroismo – Eu não vi a hora de o Superman desistir de ser herói, mas a reviravolta foi tanta que ele morreu – e não tratar de justiça, aliás termo que está na segunda parte do título: A Origem da Justiça. Talvez o heroismo e justiça fica para o filme da Liga, mas faltou esse desconecto em B vs S. E se a Liga da Justiça tiver as explicações da trama desconecta de B vs S, o filme terá que consertar muita coisa.
    Só uma notinha: Que Lex Luthor (Jr.) versão Coringa ruim de mais gente!!! Se a DC é ótima e tradicional com os vilões, falhou nesta parte.
    Mais umazinha: Apesar da falha, vida longa a DC Comics, vida longa ao DCEU!!

  56. Lucas Barboza disse:

    O filme não é uma maravilha mas essa crítica é muito mal feita. Reclamar da trilha sonora? Caraca, um dos pontos altos do filme. Dizer que a Mulher Maravilha está de enfeite? Meu Deus.

  57. DLuc disse:

    A critica negativa do filme é simples, está no subconsciente de todos e não querem falar: a surra que Batmam dar em Supermam e vai mata-lo (forçou a barra), isso deixou muita gente puta, a luta era para ser empate ou o super ganhando (mais lógico), como Guerra Civil, por isso foi muito elogiada.

  58. Alexandre Almeida de Magalhães disse:

    Esse não é o Lex pai, esse é o filho do Luthor, pode ver que foi até criado um perfil de twiter do ator com o nome Alexandre Luthor Jr, que aparece nas HQs dos anos 90 e está presente em A morte do Superman como Lex II, por isso ele é bem diferente!

  59. Alexandre Almeida de Magalhães disse:

    Até que enfim mais alguém entendeu quem é esse Lex… pensei que eu estivesse sozinho no universo!

  60. Alexandre Almeida de Magalhães disse:

    Não querida, esse só é o Lex das HQs dos anos 90, onde o Lex estava preso e seu filho Lex II, adaptado para Lex Jr no filme é quem comanda a empresa! Inclusive ele é o Lex da HQ, a morte do Superman, o que por acaso acontece no filme! Ou seja a família Luthor sempre foi imiga da casa EL.

  61. Alexandre Almeida de Magalhães disse:

    Roteiro sem contexto??? vai ler QH cara…

Deixe uma resposta

ss