FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Crítica | As divertidíssimas Caça-Fantasmas

ghostbusters

O novo Caça-Fantasmas é um grande acerto em diversos sentidos. O primeiro deles, claro, é o de apresentar para uma nova geração esse universo que conquistou a década de 80, mas o filme vai além e traz um exemplar original e extremamente divertido. Mas talvez o melhor desse reboot seja o casting das excelentes Kristen Wiig, Melissa McCarthy, Leslie Jones e Kate McKinnon (veteranas de Saturday Night Live) no papel das protagonistas, além de diversos comediantes talentosos de grandes séries como Veep, Inside Amy Schumer e Silicon Valley que povoam a produção.

Caça-Fantasmas acena para os filmes oitentistas com ótimas referências e cameos ao mesmo tempo em que reinicia o universo sem se limitar à cópia. Tudo isso numa roupagem moderna com um design de produção inventivo, eficientes efeitos visuais, um ótimo uso dos recursos 3D e com empolgantes sequências de ação, provando que o diretor Paul Feig não apenas foi a escolha ideal da Sony para o projeto, como merece continuar na inevitável sequência que logo será anunciada.

ghostbustersmovie

Na história as cientistas Erin e Abby (Wiig e McCarthy, excelentes) voltam a trabalhar depois de anos separadas quando estranhos fenômenos sobrenaturais começam a aparecer por toda Manhattan, fazendo com que elas se unam à amalucada inventora Jillian Holtzmann (McKinnon, impecável) e à durona Patty (Jones, hilária) para formar o grupo que dá nome ao longa. Apesar de simplória, a premissa é sólida o suficiente para que as quatro talentosas comediantes carreguem o filme demonstrando sinergia e uma dinâmica inigualável na composição de diversas sequências engraçadíssimas, em especial àquelas que criticam o machismo e a misoginia dos comentários de Internet que injustamente vitimaram essa produção desde o seu anúncio.

Feig, aliás, conduz o filme com maestria permitindo que cada uma das quatro atrizes tenha seus momentos de protagonismo em vez de favorecer sua colaboradora rotineira Melissa McCarthy. Além disso, o roteiro do diretor com Katie Dippold evita cair na armadilha de criar “versões” femininas para os personagens originais e aqui cada uma possui personalidades distintas daquelas de Bill Murray, Dan Aykroyd, Harold Ramis e Ernie Hudson. Uma bela surpresa, inclusive, é o talento cômico de Chris Hemsworth, que complementa o time como o abobalhado Kevin.

Contando com um terceiro ato que supera o dos filmes de 1984 e, especialmente os de 1989, Caça-Fantasmas é um agradável e necessário reboot que atualiza de forma muito bem sucedida uma das franquias mais queridas do cinema.

4stars

Há cenas durante e após os créditos finais.

14 respostas para “Crítica | As divertidíssimas Caça-Fantasmas”

  1. Deeeeeeeeer disse:

    Foram pagos pra fazer esses elogios também? Como acreditar em voces, se vcs recebem dinheiro pra elogiar?

  2. Nunca vendemos ou venderemos opinião amg.

    Você já assistiu ao filme? Nós já. E adoramos, assim como a maioria das críticas que já saíram.

    Agora, se você quer difamar este site, é bom que tenha provas. Se em 10 anos achar qualquer evidência de que vendemos opinião em algum lugar, entrego a senha da publicação na sua mão.

    Quem nos segue desde 2007 sabe que não precisamos disso.

    Babaca.

  3. Michael Marques disse:

    Vi o filme na pré-estreia ontem e é excelente! As meninas mandaram muito bem!
    FODAM-SE HATERS!!!!!!!

  4. Douglas Ferraz disse:

    Esse tipo de gente foi lá no Omelete e até hoje falam que os caras foram pagos pra gostar de BvS. As pessoas não respeitam a opinião alheia em nenhum caso, se gosta é pq recebeu, se não gosta é pq prefere o filme do concorrente, é nego babaca que se marcar nem no cinema vai.

  5. Rodrigo Leal disse:

    Só digo uma coisa sobre o reboot de Ghostbusters: A última vez que eu ri tanto no cinema foi em Deadpool. Minha única crítica, é que o filme é cheio de piadinhas sarcásticas ótimas que infelizmente se perderão na tradução caso o espectador não esteja familiarizado com a cultura norte americana.

    Mas posso dizer que gostava do filme dos anos 80, mas não amava. Não sentia que o filme foi feito para mim como não foi (geração, eu digo). E simplesmente o reboot me fez ser fã ao ponto de olhar o filme antigo com outros olhos. (:

  6. Luis F Dias disse:

    É aquele ditado, haters gonna hate mas não muda em nada a qualidade do filme

  7. Raniel De Almeida Xavier disse:

    Para de ser trouxa! Assiste a porra do filme antes de falar algo! Internet ta um inferno, cheia de babaca igual você.

  8. Deeeeeeeeer disse:

    BABACA, eu te perguntei se vcs foram PAGOS pra elogiar a nova serie da HBO e voce CONFIRMOU NO TWITTER PRA MIM, SEU OTAAAAAARIO, e voce apagou a resposta agora lá.

  9. Gibran Felipe Cobra Teske disse:

    No Férias Frustradas de 2015 o Chris Hemsworth também fez um homem abobalhado que se achava o garanhão e foi bem

  10. Nunca nenhuma agência de publicidade paga para ELOGIAR algo. Ninguém é doido de pedir isso.

    Quando há campanha publicitária, o que não é o caso aqui, paga-se para DIVULGAR o site de atrações, como esramos fazendo com Invocação do Mal do Cinemax, mas não se paga por crítica positiva. Isso não existe entre empresas sérias.

  11. Eduardo disse:

    Mas não rola um medo de ser excluido de futuras ações publicitárias? Enfim, pelas criticas que vi ta 50% pra cada lado, não vou deixar de ver.

  12. Eduardo, não há porque ter esse medo. Primeiro porque nós não fazemos anúncios de cinema. Segundo porque, mesmo com TV, agências de mídia compram espaços publicitários objetivos: impressão de banners, diárias de peças, links para build de SEO e chamadas em redes sociais.

    Nenhuma agência de respeito que trabalha com os grandes da indústria negocia esse tipo de coisa. Em 10 anos nunca recebi nem sequer um pedido para se falar bem de um produto (ou mal de outro, como nos acusaram de receber $ da Disney pra xingar BvS).

    É muito bom quando o produto anunciado é bom, mas quando não acontece eles sabem muito bem separar o que é mídia e o que é crítica.

  13. Eduardo, não há porque ter esse medo. Primeiro porque nós não fazemos anúncios de cinema. Segundo porque, mesmo com TV, agências de mídia compram espaços publicitários objetivos: impressão de banners, diárias de peças, links para build de SEO e chamadas em redes sociais.

    Nenhuma agência de respeito que trabalha com os grandes canais e distribuidores da indústria negocia esse tipo de coisa. Em 10 anos nunca vi um pedido para se falar bem de um produto (ou mal de outro, como nos acusaram de receber $ da Disney pra xingar BvS).

    É muito bom quando o produto anunciado é bom, mas quando não acontece eles sabem muito bem separar o que é mídia e o que é crítica.

  14. vinland disse:

    Olha eu vi o filme e nao gostei, mas nem por isso saio falando que os outros estao se vendendo que nem puta por dinheiro. Desnecessario esse seu comentario. Gostos diferentes amigo !!! Ja ouviu falar nisso ?????????

Deixe uma resposta

ss