FOTO: AMC

Por: Bruno Carvalho

Crítica | The Walking Dead 8×05: The Big Scary U

Negan está de volta e formou uma espécie de “conselho” para deter Rick e Ezekiel, não antes de termos um flashback para recapitular o que aconteceu com o persistente vilão desde a última vez que o vimos, em mais um episódio lento e arrastado.

Meia hora se passaram desde o início (com direito a uma abertura para estabelecer o óbvio) e tudo que vimos foi mais enrolação desnecessária com o objetivo de preencher o tempo de tela, especialmente nas cenas envolvendo a conspiraçãozinha Eugene e Dwight. Tivemos que aguentar, ainda, mais das insuportáveis piadinhas fálicas de Negan. Aliás, o que foi ele baixando a guarda para o padre no container, hein?

Movendo a trama em passos de tartaruga, os roteiristas prolongam cada situação ao máximo, evidenciando o quão vazia a série está. Criaram mais um conflito idiota, desta vez entre Rick e Daryl com direito a uma briguinha besta que durou 30 segundos e foi logo interrompida quando eles viram que o caminhão ia explodir. Até ajuda pra levantar teve – NO MEIO DA PORRADA.

Aliás, a volatilidade dos personagens é outro grande problema que acomete a série. Negan, por exemplo, é implacável ou complacente quando o roteiro exige por conveniência. É interessante, também, como a saída de “vestir” as entranhas dos walkers é raramente usada, mesmo sendo tão eficiente.

Tecnicamente, o capítulo também deixou a desejar, como no péssimo uso da câmera subjetiva na sequência de fuga do vilão (e que serviu para uma não intencional quebra da quarta parede) e do padre com tiros que simplesmente não saíam da arma ou faziam buraco na cabeça dos andantes. Toda semana The Walking Dead vem trazendo uma preparação pra algo que sempre vem depois. Já é a 5ª semana e tivemos pouquíssimo avanço.

Mais um fraco episódio. Podem vir me xingar, walkindetes. Não vai fazer a série ficar melhor.

  • matheus

    a parte das entranhas do zumbi faz sentido nao usar, pois eles tem contato com o sangue do zumbi e assim podem se infectar mais facilmente, ou pegar alguma doença pelo mesmo, então evitam para nao se arriscar ficar doentes.

  • Thalyta Andrade

    Cada temporada tinha que ter no máximo 10 episódios. Talvez obrigasse os roteiristas a fazer a história fluir. Mas, infelizmente, a série está desde a 4 temporada em um ciclo sem fim de repetições de enredos e traminhas e dramas que não levam nem a um ápice, quanto mais acrescentam em algo. Muito triste o conforto dos números da audiência que deixaram os roteiristas a vontade pra cagar aquela que tinha tudo pra ser uma grande série em TODAS as temporadas. A fonte era excelente, mas não souberam beber da água. Triste!

  • Thalyta Andrade

    Na verdade lá na 1 temporada o Rick disse pra tomarem cuidado com olhos e etc mas SÓ. Então nao acho tmb que justifica não usarem esse recurso eficaz com mais frequência. Fora que em Fear The Walking Dead, por exemplo, o Nick se lambuza em entranhas de zumbi como o povo de TWD nunca fez. Cabelos, rosto, um banho de entranhas hahahhaah

  • vinland

    Desisti já! Essa série não tem salvação mais.

  • Bruno Pimenta

    Kkkkk É, xará… Xingar vc é mole. Quero ver eles xingarem os roteiristas péssimos e o Scott Gimple, que tem sido um péssimo showrunner à 2 temporadas. TWD, eu assistia todo fds, ao vivo. Hoje, nem ligo. Lamentável. :/

  • Alexandre

    Acho que nem assim daria certo. Veja na temporada passada, não teve um único episódio que prestasse. O problema deles não é exagero de episódios e sim falta de criatividade mesmo.

  • Sidney Luzio

    Ler as reviews está mais divertido que ficar perdendo mais tempo com essa série.

  • klaus

    mais um episódio que vai do nada ao (quase) lugar nenhum

  • Leonardo Damaso

    Fear é Trash

  • Leonardo Damaso

    Galera vai ver a estreia de
    Peaky Blinders e seja feliz
    Alias nâo rola nada aqui desta obra prima…
    Lamentável

ss