FOTO: AMC

Por: Bruno Carvalho

Crítica | The Walking Dead 8×06: The King, The Widow and Rick

Com a promessa do que podia ser a “última” batalha para se livrar de Negan e dos Salvadores, The Walking Dead terminou sem cumpri-la, é fato, mas pelo menos entregou um episódio com roteiro mais consistente que os anteriores. Parte disso foi graças à reintrodução de Siddiq, primeiramente visto cercando Carl no início da temporada, no episódio Mercy, e com direito a uma boa sequência de ação e tensão (mas não foi dessa vez, galera).

Maggie também finalmente voltou a ganhar protagonismo e importância na trama, destacando o sempre competente trabalho de Lauren Cohan, assim como a Michonne de Danai Gurira. A cena com as caixas de som marcou o ponto alto no meio de tantos baixos.

Este, é claro, não seria um episódio da série se não trouxesse sua parte de cenas enfadonhas como a “DR” de Carol e Ezekiel. É impressionante como que o Rei é sempre um personagem mais desinteressante em tela do que nas páginas da HQ, com a tendência de ficar ainda mais insuportável sem sua Shiva.

Pouco ou quase nada avançou, evidenciando cada vez mais que os roteiristas não têm mais o que incluir para postergar o tal grande confronto. Foi mais um capítulo filler, com a constante e interminável preparação para algo maior que nunca vem, mas não desastroso em termos de montagem, composição e diálogos como a série vinha fazendo em níveis preocupantes.

Ainda assim, The Walking Dead continua com uma temporada fraca, morosa, esquecível e que precisa melhorar muito para começar a voltar a empolgar como antes.

  • Thalyta Andrade

    Eu gostei do episódio, muito por ter abordado vários núcleos. Isso acaba implicando um dinamismo que deixa a história menos arrastada. Todos poderiam ser assim. Mas, concordo que a série anda muito pouco. É inacreditável roteiristas com um produto que tem uma fonte tão boa (HQs) e que simplesmente não sabem fazer com que cada episódio tenha uma passagem marcante e de fato importante pro enredo. Não que todo episódio tenha que ser épico, mas o problema é se esforçarem apenas para que mid season e finale sejam de fato boas e com acontecimentos marcantes. Amo TWD, acompanho desde o começo, mas não engulo os rumos que deram a série. Rumo preguiçoso demais. Estão confortáveis na audiência e foda-se a qualidade. OBS: Sim, sou trouxa e seguirei acompanhando, mas isso não tira meu direito de apontar a decadência (e torcer MUITO pra que se reencontrem).

ss