FOTO: HBO

Por: Bruno Carvalho

Crítica | Here and Now, a nova e estranha série de Alan Ball na HBO

Alan Ball criou o que pra mim é a melhor série que já vi até hoje: Six Feet Under. O drama sobre a família Fisher tinha vários elementos instigantes e lidava de forma aberta com o tema “morte”, afinal acompanhava o dia a dia de uma funerária em Los Angeles. Depois de comandar a irregular True Blood, o autor retorna com uma nova série que estreou hoje na HBO, Here and Now.

A atração segue os passos de uma família multicultural, onde os pais Greg (Tim Robbins, The Brink) e Audrey (Holly Hunter, The Big Sick) decidiram adotar filhos de diversas etnias, no que chamaram de “o experimento”.

Através de recortes no dia do aniversário de 60 anos do patriarca Greg Bishop, a narrativa divide seu foco em cada um dos personagens pouco (ou nada) carismáticos, retratando trivialidades até que todos se encontram na festa. Conhecemos, assim, Ashley, a filha executiva vinda da Libéria; Duc, um vietnamita que é uma espécie de coach de comportamento; Ramon um programador de softwares colombiano e homossexual; e a jovem Kristen, única filha biológica da família. É lá, durante um discurso do patriarca bem-sucedido, porém deprimido e desmotivado com o casamento e com seu “experimento”, que o capítulo começa mesmo a se desenrolar.

FOTO: HBO

Desde o início é possível perceber que há algo meio deslocado com o texto. Aqui, o autor parece desesperadamente querer fazer comentários sobre o mundo atual para que a série se posicione como moderna, ativista e relevante. Há, porém, uma imensa diferença entre uma série querer ser relevante do que realmente ser. Existem hoje muitas produções que discutem questões sociais, raciais, religiosas e sexuais com eficiência, mas que levaram tempo para desenvolver suas narrativas. Em Here and Now, a primeira impressão é que seus realizadores queriam desesperadamente fazer parte deste time, sem antes mostrarem a que vieram e, principalmente, qual a motivação de seu discurso.

Eis que subitamente, na tal festa, Ramon passa a ser o foco das atenções quando começa a ter aparentes alucinações com o número 11:11, algo que vinha acontecendo de forma menos evidente desde aquela manhã. As velas da decoração da festa invadem a casa como uma grande aparição, interrompendo até mesmo o momento de Greg. Com isso, os pais são forçados a levá-lo para o psiquiatra e ele decide se tratar ali.

E, é isso.

Não deu pra saber sobre o que é Here and Now, se uma série familiar ao estilo This is Us, se é um drama com elementos místicos, ou um grande caso médico para ser desvendado pelo Dr. House. Apesar de bem executada tecnicamente, o drama peca com um texto raso que aparenta ser profundo sem, contudo, explicar suas motivações. Não sei como a série vai se desenrolar – espero que pelo menos sua temática seja melhor delimitada -, mas esta primeira visita ao novo drama de Alan Ball evidencia que a cada ano ele está mais distante de conseguir repetir o sucesso e, aí sim, a verdadeira relevância que Six Feet Under teve para sua época, ao discutir todas as questões que parecem permear Here and Now, mas com autoridade e de forma coerente.

Aguardemos a próxima semana…

ss