FOTO: HBO

Por: Bruno Carvalho

Crítica | HBO erra feio com Succession, drama familiar insosso, fraco e sem carisma

Há algumas semanas a HBO estreou no slot pós-Westworld a série Sucession, cujos trailers prometiam um intenso drama familiar com direção e produção de Adam McKay, das fracas e canceladas Bad JudgeLA to Vegas. A trama gira em torno de um magnata das comunicações,  Logan Roy (Brian Cox) que está em vias de transferir o comando de sua empresa e fortuna para seu filho Kendall (Jeremy Strong) por conta de sua saúde debilitada. Isso inicia um “jogo” de interesses entre os membros da poderosa família. E é isso.

Comandada sem nenhuma inventividade por McKay e com um “tique” de câmera irritante (que dá pequenos e desnecessários closes na maior parte das cenas), o drama peca desde o piloto por não conseguir extrair nenhuma empatia do seu insosso elenco, a começar pelo inexpressivo Kendall e passando pelos demais membros da família Roy, incluindo os antipáticos Roman (Kieran Culkin), Shiv (Sarah Snook) e Connor (Alan Ruck). É impossível “torcer” para os desprezíveis personagens ou sequer se importar com o que está acontecendo a cada episódio.

O elenco não faz mais do que o básico e as “viradas” de roteiro apresentadas se limitam às típicas disputas de sala de diretoria que trazem um desfile sem fim de jargões de Wall Street, ao melhor estilo da primeira temporada de Punho de Ferro. Todos os cinco episódios que vi (e parei por aí) não trazem nenhum tipo de inventividade à história, que permanece linear e sem emoção.

Após o recente fracasso de Here and Now, que acompanhei a duras penas até o fim devido exclusivamente ao elenco estelar, a HBO dá mais uma bola fora com esta Sucession, que evidencia que seus projetos devem ser melhor selecionados, especialmente porque preenchem um importante slot de programação (domingos à noite) com algo de qualidade tão precária como esta série.

Poucas vezes eu paro uma série no meio de uma temporada como fiz com essa e me questiono quem em sã consciência aprovou algo com um texto tão ruim, uma produção tão fraca e com um elenco tão sem carisma como esse.

ss