FOTO: NETFLIX

Por: Bruno Carvalho

Mas que grande porcaria é essa tal de Insatiable da Netflix, hein?

Eu estava ciente da polêmica em torno de Insatiable, nova série original da Netflix, quando seu trailer foi divulgado. Ainda assim, decidi esperar a produção estrear para poder assistir e falar com propriedade, já que a impressão inicial poderia estar errada. Não estava. A série é grotesca, desnecessária e errada em tudo que se propõe a fazer, a começar, é claro, por colocar a atriz Debby Ryan em roupas com enchimento para contar a história de uma garota com sobrepeso que, quando emagrece, decide se vingar de todos aqueles que fizeram bullying com ela. Dizendo combater a gordofobia, essa produção apenas a reforça.

Tentando desesperadamente pegar carona em produções de vingança e “volta por cima” como EleiçãoMeninas Malvadas, essa sitcom de câmera única consegue ser ainda mais ofensiva do que sua premissa original vai ao cúmulo de abordar “temas” esdrúxulos como tacar fogo em mendigos, agressão física, verbal, slutshaming e por aí vai. Tudo é embalado com uma narração em off expositiva e que só denota a falta de competência de seus realizadores.

FOTO: NETFLIX

Às vezes me questiono se os recursos ilimitados de produção da Netflix cegam seus executivos de enxergarem a qualidade duvidosa de algumas atrações que colocam no ar, como também ocorreu com aquela Haters Back Off (que vira Shakespeare perto dessa). O grande problema de Insatiable não é ela ser “apenas” politicamente incorreta, pois existem várias séries que eventualmente são assim, mas são boas (vide Veep, a recente Who is America? etc.). O problema é que esta é uma sitcom ruim em tudo que se propõe.

O texto coloca Patty virando uma figura repugnante, mesquinha e egocêntrica após emagrecer, assim como todos os personagens principais, inclusive o ótimo Dallas Roberts (The Good Wife) como Bobby Armstrong, que vive um advogado injustamente acusado de assédio. Ele então decide tornar a ex-gorda Ryan em uma rainha da beleza, como se tal feito só pode ser atingido se uma pessoa não tem quilos a mais. Isso sem contar que a trama é repetitiva, sem ritmo e incapaz de extrair riso nas várias situações absurdas que exibe.

Insatiable é por fim insensível e irresponsável por exibir comportamentos como privação alimentar como forma de emagrecimento, enaltecer Patty como uma mulher forte, segura e decidida somente depois que essa perdeu peso e considerar aceitável que violência extrema e vingança seja uma reação justificada ao bullying. 

Que bela bosta e um grande desserviço.

ss