FOTO: NETFLIX

Por: Bruno Carvalho

E não é que Punho de Ferro melhorou MUITO na 2ª temporada?

A troca de showrunner de Punho de Ferro foi essencial para a considerável melhora na série que a 2ª temporada trouxe. Saiu o incompetente Scott Buck, o mesmo que “causou” a horrível Inumanos da Marvel e em seu lugar entrou Raven Metzner, de Sleepy HollowFalling Skies. Este último foi responsável por eliminar as intermináveis e enfadonhas “tramas” corporativas com inúmeras reuniões e fez mudança significativas na história, tornando o drama muito mais palatável, ágil e interessante do que aquele exibido no ano passado.

Após aparições em DefensoresLuke Cage, reencontramos Danny Rand (Finn Jones, Game of Thrones) lutando dia e noite como um vigilante, da mesma forma como o Demolidor de Matt Murdock fazia, mas aqui defendendo o bairro de Chinatown contra uma crescente rivalidade entre as tríades locais. Morando com sua namorada Colleen Wing (Jessica Henwick, Game of Thrones), eles iniciam a vida juntos até serem surpreendidos pelo retorno de Davos, seu irmão de K’un Lun, que se alia a Joy Meachum (Jessica Stroup, 90210) para tentar recuperar o Punho de Ferro, que acredita ser dele.

FOTO: NETFLIX

A trama não é das mais originais, possuindo elementos diretamente trazidos de DemolidorLuke CageJessica Jones e até mesmo de Pantera Negra e outros filmes e produções da Marvel. Ainda assim, ela funciona e é ampliada pela inclusão de elementos positivos como a chegada da misteriosa Mary Walker (Alice Eve, Entourage) e a bem-vinda presença de Misty Knight (Simone Missick, Luke Cage). Além disso, o maior protagonismo conferido a Colleen Wing é um dos bons destaques da temporada, o que é um grande acerto, considerando o que a série reserva para a personagem em seu terceiro ato.

Danny Rand, contudo, segue como um dos pontos mais fracos da série, apesar dos esforços de Finn Jones. Ele volta com sua “marra” habitual após uma incursão mais divertida na 2ª temporada de Luke Cage, e por vezes é visto como uma espécie de “criança” que Colleen tem que cuidar: ela precisa constantemente contê-lo de seus impulsos inconsequentes e até mesmo responder por ele em diversas ocasiões, provando que ela é uma heroína muito mais pronta para assumir o poder do Dragão.

FOTO: NETFLIX

Em termos de ação, a série também cresce bastante, trazendo finalmente as melhores sequências de luta do grupo de séries da Netflix, como deveria ser desde o início, já que o Punho de Ferro Imortal é – como a própria série faz questão de lembrar – o “melhor lutador do mundo”. Finn Jones está muito mais confortável nas cenas de luta, mas é Jessica Henwick e a estreante na atração Alice Eve que roubam as cenas de ação. Em todas as sequências, contudo, o nível é mantido alto, seja em lutas em espaços confinados (no dojo, na casa de Joy), seja em grandes cenários.

Quem também ganha bom destaque é o Ward Meachum de Tom Phelprey (Banshee), que percorre uma jornada particular de autoconhecimento e redenção pelos seus atos na primeira temporada, e que jamais soa forçada ou desconexa com o resto da trama.

FOTO: NETFLIX

Imensamente beneficiada pela redução no número de episódios (de 13 pra 10, aliás todas as séries de heroi da Marvel deveriam ter, no máximo, esse número), Punho de Ferro parece ser uma produção completamente diferente daquela que vimos em seu ano de estreia, capaz ainda de surpreender com viradas no roteiro e decisões inteligentes (falo daquela envolvendo Colleen) que certamente trarão fôlego para a franquia. Fiquei até perplexo como consegui terminar esta temporada em menos de dois dias, algo que levei semanas para fazer com a primeira temporada.

Embora pecando aqui e ali pelos já característicos diálogos expositivos, cenas desnecessárias e personagens com motivações voláteis (Joy Meachum aqui, especificamente) que marcam as produções da Marvel com a Netflix, a 2ª temporada de Punho de Ferro ainda assim tira completamente o gosto amargo deixado pelos episódios anteriores e consegue encontrar o tom adequado para o heroi de K’un Lun, como os fãs mereciam. Tomara que siga assim neste ótimo caminho.

Há uma cena extra após os créditos do último episódio, que funciona como um rápido teaser para a 3ª temporada de Demolidor.

ss