FOTO: TURNER

Por: Bruno Carvalho

Pacto de Sangue sai do eixo RJ/SP para contar uma intrigante história no Pará

Estreou no último dia 27 de agosto às 22h30 no canal Space a série Pacto de Sangue, drama que conta a história de Silas Campello (Guilherme Fontes, Chatô, O Rei do Brasil), um repórter carismático e pouco conhecido de uma pequena emissora, mas que fará de tudo para mudar este status utilizando sensacionalismo e táticas pouco usuais. Logo de cara a boa surpresa desta atração é sua ambientação em Belém/PA, fora do tradicional e batido eixo Rio/SP e que evidencia as escolhas arrojadas que o grupo Turner tem feito na produção nacional, seja em termos de seleção de roteiros e boas histórias(Zé do CaixãoRua Augusta), quanto em qualidade técnica e artística, batendo de frente com produções nacionais de canais premium como HBO.

FOTO: TURNER

Pacto de Sangue pretende retratar o dia a dia de programas sensacionalistas que exploram crimes hediondos em troca de audiência, ao mesmo tempo em que uma investigação sobre uma rede de tráfico humano que realiza estranhos rituais na Amazônia paraense avança. Com ajuda de Edinho (Adriano Garib, Magnífica 70), Silas mostra desde os primeiros instantes na série que não tem o menor pudor em suas táticas para conseguir furos exclusivos e sangrentos, enquanto negligencia a família e sua filha em reabilitação em prol do trabalho.

Guilherme Fontes retorna à TV muito bem no papel de um protagonista multifacetado que, apesar de parecer inescrupuloso e inconsequente, sabe do peso que suas ações carregam. Já Adriano Garib rouba a cena interpretando um tipo “meio malandro, meio correto” que virou sua assinatura (inevitável não relacionar Edinho com o Manolo de Magnífica 70).

FOTO: TURNER

O drama também leva à tela com eficiência boa parte da cultura paraense, desde as músicas de tecnobrega que tocam ao fundo das cenas e nos créditos, até as particularidades e expressões do vocabulário local (égua!), sem jamais soar exagerado ou caricato como faz a Globo em suas produções ambientadas fora do Leblon ou Jardins. Mas o forte de Pacto de Sangue é a sua história que, embora fictícia, é facilmente relacionável com o Brasil caótico em que vivemos, onde a sede de sangue, tragédia, audiência e dinheiro pautam não apenas a televisão, como a política, com direito a críticas ao sucateamento da nossa polícia investigativa.

Pacto de Sangue é uma coprodução do canal Space com a Intro Pictures e tem oito episódios de 45 minutos cada, exibidos toda segunda às 22h30. O elenco conta também com Mel Lisboa, Fulvio Stefanini, André Ramiro, Gracindo Jr e Paulo Miklos.


ss