FOTO: NETFLIX

Por: Bruno Carvalho

Boneca Russa é uma série magnífica sobre dor, amor e empatia

Sem qualquer tipo de alarde, a Netflix estreou no último dia 1º de fevereiro a série Boneca Russa, uma dramédia produzida por Amy Poehler (Parks and Recreation) e estrelada por Natalsha Lyonne (Orange is the New Black) e Charlie Barnett (Valor) e é simplesmente magnífica. Esqueça o mistério, a alusão ao Dia da Marmota e tudo mais. Boneca Russa é uma série delicada, bem construída, maravilhosamente fotografada e que aborda a empatia (ou a falta dela) de uma forma brilhante.

Num mundo onde milhares de histórias se conectam, Nadia (Lyonne) e Alan (Barnett) vivem suas vidas aparentemente desconexas, mas um estranho evento muda tudo: eles passam a morrer em diversas ocasiões, retornando ao mesmo dia repetidas vezes à exaustão.

FOTO: NETFLIX

Todos nós fantasiamos sobre a possibilidade de ter uma segunda chance na vida em algum momento, seja no trabalho, em um relacionamento ou simplesmente para tomar outro rumo na vida. Mas o que faríamos se efetivamente tivéssemos essa chance? Boneca Russa faz este exercício com a história do casal de protagonistas e leva a um nível interessante colocando aqui e ali diversas pistas que levam essa história lúdica a uma conclusão maravilhosa.

São apenas oito episódios de vinte e poucos minutos cada (o que por si já é muito bem-vindo) e a produção não perde tempo algum com tramas paralelas bobas e inúteis e, mesmo quando demora pra entregar certas respostas, o faz instigando o espectador a pensar e a desvendar esse “mistério” junto com os personagens.

Aliás, falando neles, Natasha Lyonne – uma ótima atriz que não recebe os merecidos créditos – parece ter nascido para este papel. Nadia é errática, mas decidida quando quer e sempre deliciosamente imprevisível. Já o Alan de Charlie Barnett evoca aquela sensação constante de quando estamos perdidos na vida, ou cegos diante da imprevisibilidade das complexas relações humanas.

FOTO: NETFLIX

Ambos têm em comum o fato de estarem levando suas realidades de uma forma aquém da que merecem, presos a passados doloridos. Sem revelar qualquer spoiler, é possível extrair de Boneca Russa que esta é uma série sobre empatia e sobre como cada um, por mais diferente que seja, também pode estar passando por algo ruim ou profundo e às vezes só precisam de encontrar alguém que se importe para destravar seu verdadeiro potencial.

Boneca Russa é complexa de início, mas muito simples e direta em sua linda mensagem. Já é uma das minhas séries favoritas de 2019.

Os comentários estão desativados.

ss