FOTO: LIFETIME

Por: Bruno Carvalho

Sobreviver a R.Kelly: documentário do Lifetime terá prévia no NET NOW

Em seis episódios e formato de documentário, Sobreviver a R. Kelly (Surviving R. Kelly) é a polêmica produção original do canal Lifetime, que estreia no Brasil dia 15 de março às 20h40. Após sua exibição nos Estados Unidos, que registrou recorde de audiência e tornou-se um dos assuntos mais comentados nas redes sociais, diversas celebridades se posicionaram contra o músico, e até se desculparam por terem colaborado com o artista, como foi o caso de Lady Gaga, Celine Dion, Chance the Rapper, da banda Phoenix, entre muitos outros.

Esta é a segunda produção que vai ao ar no mês de março que aborda escândalos sexuais de um astro da música. Deixando Neverland, sobre as práticas de grooming de Michael Jackson, vai ao ar nos dias 16 e 17 na HBO.

Sobreviver a R. Kelly aborda o escândalo que envolve o controverso cantor de R&B que hoje está em evidência por abuso sexual e conduta inapropriada com garotas menores de idade. A minissérie do Lifetime dá voz a dez vítimas e revela segredos que o público ainda não conhecia até então.

Os assinantes da NET poderão conferir o primeiro episódio em uma pré-estreia especial, a partir do dia 11 de março pelo NOW, além de todos os outros conteúdos liberados pelo acesso na TV (NOW > Programas de TV > Lifetime). Além disso, o LIFETIME estará com o sinal aberto aos assinantes NET e Claro TV, de 11 a 25 de março, VIVO, de 8 a 17/3, e Algar e Oi TV, de 7 a 16 do mesmo mês

Os depoimentos trazem novas acusações a respeito dos abusos sexuais, psicológicos e físicos de R. Kelly. Foram registrados dez casos de vítimas, por meio de 52 entrevistas, entre elas, com a ativista de direitos civis Tarana Burke, e com os músicos John Legend e Sparkle.

Também participam a apresentadora Wendy Williams, a ex-esposa do cantor, Andrea Kelly, sua ex-noiva Kitti Jones, seus irmãos Cary e Bruce Kelly, bem como outras pessoas que foram próximas a ele e que têm o firme propósito de revelar seu polêmico passado, que remonta desde os anos 1970.

Sobreviver a R. Kelly tem produção executiva da cineasta, crítica cultural e ativista Dream Hampton, Tamara Simmons, Joel Karlsberg e Jesse Daniels, para a Kreativ Inc, em parceria com Bunim/Murray Productions (BMP), e Brie Miranda Byant, do Lifetime.

Os comentários estão desativados.

ss