FOTO: HBO

Por: Allan Verissimo

Diretor de Vingadores: Ultimato comenta final de Game of Thrones: “eu amei todas as escolhas dos roteiristas”

Vingadores: Ultimato encerrou a Saga do Infinito no Universo Cinematográfico Marvel com aclamação da crítica e do público, além de se tornar a maior bilheteria mundial da história. Enquanto isso, Game of Thrones chegou ao fim por volta da mesma época, dividindo radicalmente as opiniões do seu público e da crítica. Não seria absurdo dizer que a série tomou o lugar de LOST como final mais controverso e debatido online durante um bom tempo…

Durante um debate/entrevista de um dos diretores de Vingadores: Ultimato, Joe Russo, no Google, um dos membros da platéia decidiu aproveitar o momento das perguntas e respostas para fazer uma ligação entre as duas franquias:

“Obviamente, Ultimato foi um filme incrível. A culminação de uma história de dez anos que atendeu ou superou as expectativas mais loucas que tínhamos. Há outra série que terminou recentemente, Game of Thrones, que na verdade seguiu um caminho muito diferente … não atendeu a nenhuma expectativa…”

Nesse exato momento, Russo interrompeu a pergunta:

“Essa é a SUA opinião. Eu só quero deixar isso claro. Não é a minha opinião”

Apesar da interrupção, o membro da audiência continuou com a sua pergunta:

“De qualquer forma, onde você acha que deu certo com a história dos Vingadores e onde Game of Thrones deu errado?”

Antes de responder a pergunta, Russo começou com um comentário irônico:

“Serão 20.000 headlines nas próximas três semanas, se eu responder a essa pergunta… Olha, É interessante ser um artista no mundo de hoje com as mídias sociais, porque é um nível de propriedade sem precedentes que o espectador sente sobre o material. Quando eu cresci, Ernest Hemingway queria escrever um livro, ele escreveu um livro e você leu e foi ‘ótimo’ e ‘incrível’ e ‘obrigado, Ernest Hemingway, por escrever uma peça incrível de literatura’. muito grato por isso. Hoje, com ou sem razão, existe uma quantidade intensa de propriedade e opinião, e as opiniões voam rápido e furiosamente. Aprendi isso sobre as mídias sociais, que há uma minoria de opiniões muito altas e elas tendem a impulsionar o ciclo da mídia de uma maneira que não é saudável porque você não está obtendo uma amostra verdadeira da opinião de todos. É preciso energia para ficar online e reclamar de algo, você sabe, e nem todos nós temos essa energia ou se importam em fazê-lo. Você sabe, também há um pouco de narcisismo envolvido em ficar online para reclamar de alguma coisa, então você precisa ter a combinação dessas coisas para fazer isso, e eu não acho que isso evoque um grande segmento da sociedade.”

Finalmente, após admitir que ainda não tinha respondido a pergunta, Joe Russo deu uma resposta diplomática:

“Eles fizeram as escolhas que eles queriam fazer com aquela série e as pessoas sentiram, o que eu acho que eles sentiram, foi que eles não sentiram que isso foi semeado adequadamente ao longo da série. Eu amei todas as escolhas. Eu pensei que elas foram loucas e inesperadas, e é isso que eu quero de uma narrativa, mas eu entendo porque as pessoas se sentem chateadas. E eu acho que isso nos leva ao artista que diz que essa foi a sua intenção. E se você voltar e olhar tudo de novo, nós achamos que tudo foi cuidadosamente desenvolvido. E talvez de uma maneira sutil demais, mas está lá. E o espectador irá achar que foi tudo sutil até demais, e nós não entendemos. É uma circunstância única. Mas eu fico feliz que não apanhamos tanto”.

Apesar da polêmica, a temporada final de Game of Thrones também foi defendida por showrunners como Ronald D. Moore (Outlander, Battlestar Gallatica), Dan Harmon (Community, Rick & Morty) e Charlie Brooker (Black Mirror). A série também bateu o recorde de 32 indicações no Emmy 2019, cuja cerimônia ocorrerá em setembro. Você pode assistir o vídeo da entrevista de Joe Russo abaixo (a pergunta especifica ocorre aos 30 minutos):

Os comentários estão desativados.

ss