FOTO: NETFLIX

Por: Bruno Carvalho

Porta dos Fundos é vítima de atentado terrorista contra liberdade de expressão

O grupo Porta dos Fundos foi vítima de um atentado na sede de sua produtora no Rio de Janeiro. Dois coqueteis molotov foram atirados na fachada do estabelecimento onde os vídeos do canal são produzidos, na madrugada do dia 23 para 24 de dezembro. De acordo com nota do grupo, imagens de câmeras de segurança registraram três indivíduos. O caso foi registrado em delegacia e o vídeo do atentado entregue às autoridades. Ninguém se feriu, exceto pela liberdade de expressão no Brasil, que segue cada vez mais ameaçada.

Toda a celeuma ocorre por conta do especial de Natal do grupo na Netflix intitulado A Primeira Tentação de Cristo, que relata o 30º aniversário de Jesus (Gregório Duvivier, Greg News) e insinua que, após 40 dias no deserto, ele teve um relacionamento homossexual com Orlando (Fábio Porchat, Que História é Essa Porchat?), que depois viria a se revelar como lúcifer disfarçado. O Porta dos Fundos sempre foi conhecido pelo humor desafiador e crítico ao que é estabelecido, incluindo religiões, figuras políticas e questões sociais.

Antes do atentado, o grupo já havia sido alvo de críticas pesadas vindo de religiosos e conservadores pela inofensiva sátira, que, vale lembrar, é protegida pelo art. 5º da Constituição da República brasileira e por toda a legislação infraconstitucional. O grupo há havia se manifestado acerca da controvérsia, por meio do vídeo “Inritado” em que Jesus, novamente vivido por Duvivier, reclama com um padre pelas “piadas” do grupo Porta dos Fundos.

Após o atentado, o Porta dos Fundos emitiu a seguinte nota:

Os comentários estão desativados.

ss