FOTO: NETFLIX

Por: Bruno Carvalho

Cursed é uma interessante releitura da lenda do Rei Arthur

Baseada em um best-seller do New York Times, Cursed – A Lenda do Lago é uma interessante releitura da história do rei Arthur, que já foi adaptada à exaustão. Aqui, pelo menos, ela é contada pelos olhos de Nimue (Katherine Langford, 13 Reasons Why), uma jovem com um dom misterioso destinada a se tornar a poderosa Dama do Lago. Em seus 10 capítulos, o drama se desenvolve de forma crescente – curiosamente tendo seus episódios mais fracos logo no início – mas estabelecendo-se bem a partir de sua segunda metade.

Após a morte de sua mãe em um ataque de grupos “anti-bruxas”, Nimue encontra um parceiro inesperado no mercenário Arthur (Devon Terrell) e sai em missão para entregar uma espada ancestral ao mago Merlin (Gustaf Skarsgård). O grande destaque da atração é a forma como ela estabelece a personagem principal como uma mulher empoderada e que cresce diante das circunstâncias, jamais caindo na (fácil) armadilha de sexualizá-la.

FOTO: NETFLIX

Ao longo de sua história, Nimue acaba se tornando um símbolo de coragem e rebelião contra os Paladinos Vermelhos e o Rei Uther (Sebastian Armesto), na clássica e pouco inventiva “jornada do heroi”. Embora esteticamente agradável (em especial graças às estilizadas transições que remetem à HQ) e com um design de produção eficiente e bem caracterizado (ao contrário do visual medieval-genérico da recente The Witcher, por exemplo), Cursed inevitavelmente apresenta efeitos visuais que oscilam entre o bem-feito e o amador (a cena com os lobos é sofrível).

Não obstante, o drama chega como um bom passatempo (embora nada excepcional) e que é mais forte quando está focado no núcleo de Nimue do que em seus personagens e tramas secundários que carecem de melhor desenvolvimento e podem ocasionalmente afastar o interesse do espectador.

FOTO: NETFLIX

Possui também sequências de ação bastante eficientes e que sempre permitem ao espectador compreender o que está acontecendo em tela, o que é sempre positivo. Como uma história “coming of age”, Cursed é uma bem-vinda adaptação e reimaginação de um dos maiores clássicos da literatura mundial.

Os comentários estão desativados.

ss